João Vitor

Escrito por

Author

Trabalha como consultor financeiro, é estudante de Engenharia Química pela Unesp e escreve sobre temas relacionados a economia, finanças e investimento.

Candlestick é uma das principais formas de representação gráfica que se usa no mundo dos ativos. Assim como gráfico de linhas e o de área, por exemplo, o uso de candlesticks é muito importante para se entender a variação e o comportamento do preço de alguns ativos, porém cada um deles também terão suas particularidades na representação.

Esse tipo de gráfico é usado principalmente pelos traders que se utilizam de análise técnica para tentar entender padrões nas variações de preço, e assim, prever o que pode acontecer com ele em outros períodos no futuro.

Cada tipo de gráfico vai apresentar algumas vantagens e também desvantagens em relação ao seu uso para visualização dos preços, dependendo do que se deseja. A todo momento, o que importa para o investidor é saber o melhor momento para compra ou para venda do ativo, de modo que o candlestick é mais vantajoso e com maior número de informações para se tomar uma melhor decisão.

Entretanto, para os investidores iniciantes pode ser um pouco complicado entender a visualização em candlestick, afinal, o que representa esses retângulos de diferentes tamanhos inseridos em um eixo, com cores vermelha e verde?

O significado da palavra candlestick é candelabro e vem de uma tradução do inglês. Por essa razão, muitos associam o candlestick a uma vela, com o corpo retangular e o pavio que seria o eixo ao qual o retângulo está inserido.

O criador do candlestick foi Homma Munehisa, um japonês que operava contratos futuros de arroz na cidade de Osaka e começou a utilizar preços baseados nessa forma gráfica para obter sucesso em suas operações, tudo isso durante o século XVIII.

Com o passar do tempo, o mundo ocidental também teve os primeiros contatos com o candlestick, devido a fama de Homma Munehisa, que segundos contam as histórias, obteve sucessivos lucros, que ultrapassam 100 operações seguidas de ganho, apenas utilizando preços iniciais e finais, além de máximo e mínimo durante um período de tempo.

No ocidente, Steve Nilson foi quem trouxe a ideia japonesa por volta da década de 80, um bom tempo tempo depois dela já ter existido no Japão. Desde então, a ideia se difundiu e hoje é a principal forma gráfica que os traders utilizam para operar numa análise técnica.

Dessa forma, é essencial para um investidor entender todo o processo de funcionamento dos candles, para que assim ele possa ter ainda mais ferramentas para operar ativos e obter maiores chances de lucratividade. 

Muito provável que em algum momento lendo ou assistindo algo sobre o mercado financeiro, mesmo que você não entenda muito a respeito do funcionamento de candlesticks, você já deve ter se deparado com um gráfico desse tipo ou até parecido com ele:

dólar candlestick

E é aqui que temos a intenção de fazer você entender o funcionamento dessas barrinhas com linhas em cima e embaixo, de modo que você não fique mais perdido quando se deparar com um gráfico desse novamente.

Leia também:

Como é formado um Candlestick? 

O candlestick terá cores diferentes e estas cores vão mudar alguns significados na demonstração da tendência dos preços. Um candle apresenta quatro dados importantes: O preço de ínicio, preço de fechamento, preço máximo e preço mínimo. As cores vão mudar a ordem dos preços de início e fechamento, invertendo-os, como podemos ver no desenho a seguir:

leitura candlestick

O candle verde, que também pode ser representado como branco em alguns gráficos, simboliza uma alta no preço. É é por isso que o preço de abertura está abaixo do preço de fechamento, já que o preço aumentou.

Ao contrário disso, tem o candle vermelho, que por sua vez também pode ser preto. O preço de fechamento fica embaixo, já que as operações naquele período que o candlestick está representando, o preço final ficou menor que o inicial, ou seja, uma representação de queda no preço.

grafico de baixa

Cada candle vai aparecer em uma representação em um período, ou seja, se o gráfico está sendo representado por valores de 5 em 5 minutos, por exemplo, o candle vai simbolizar o preço inicial e final naquele período, através do corpo do candle. Quanto maior for o corpo do candle, ali simbolizado por um retângulo, maior foi a variação do preço nos 5 minutos analisados.

Além disso, também vai representar qual foi o maior preço de cotação no período dos 5 minutos de modo a ser analisado através das linhas superiores e inferiores, que chamamos de sombra, ou então, como alguns gostam de chamar, os pavios. 

A sombra ou pavio superior sempre vai simbolizar o preço máximo de cotação e a sombra inferior vai simbolizar sempre o preço mínimo do ativo no período em que você escolher. É possível escolher quais períodos se deseja analisar, dessa forma, os candles vão se comportar de acordo com a variação numa divisão de intervalos iguais de tempo, seja de minuto em minuto, mês a mês, ano a ano, etc.

Por que os traders usam candlestick?

Os candles são muito utilizados pelos traders, seja lá qual for a modalidade de trade que se deseja fazer. Isso acontece porque é a forma mais fácil de se analisar o comportamento de um ativo, de forma bem resumida e informativa em um intervalo de tempo de interesse. 

É muito mais fácil prever o que pode acontecer com o preço, estabelecer linhas de tendência e ficar mais seguro das decisões que se vai tomar em um trade quando se enxerga através de candlesticks.

Sendo assim, sabe-se que o mercado sempre vai agir por dois sentimentos principais: Medo e ganância. Entender isso, faz com que fique fácil a compreensão do porque os preços dos ativos flutuam tanto, já que a todo momento há pessoas comprando e vendendo seus ativos.

Dessa maneira, para alguém que está analisando um preço através do price action, ou seja, a ação dos preços dentro de uma análise técnica, o que importa realmente é o comportamento do preço e nada mais. E para isso candles são simples e com mais informação que outros métodos de representação gráfica.

Para esse tipo de investidor de análise técnica não importa se surgirem notícias no mercado financeiro que causem mudanças nos preços de forma repentina, já que as próprias variações vão lhe afirmar que isso está ocorrendo.

O sentimento do mercado é visto através das quantidades de compra e venda dos ativos, que por consequência, é refletido nos preços. Sendo assim, o candlestick se torna a maneira mais efetiva para os investidores poderem enxergar todos esses pontos citados, e é por isso que é muito importante entendê-lo e se utilizar dele para fazer operações no mercado financeiro.

Tipos mais comuns de candlestick

Dentro das mais variadas combinações de candles, podemos enxergar padrões, que por sua vez, se repetem de forma periódica. Obviamente que qualquer repetição de um padrão gráfico não acontece de forma perfeita e muito menos o tempo todo, caso contrário, seria muito fácil prever o preço de um ativo de renda variável, que nós sabemos que não é tão simples assim. Mas entender esses padrões é importante para aumentar a probabilidade de acerto numa compra, principalmente analisando o gráfico de forma técnica.

O primeiro que vamos abordar aqui é o martelo e seu antagônico martelo invertido. O Martelo apresenta um preço de mínima muito abaixo do preço de início e fechamento, dessa forma a sombra desse candle acaba sendo alta na parte inferior ao corpo. O martelo invertido, seria um candle com preço máximo muito acima do preço de início e fechamento, ficando com uma sombra longa na parte superior.

martelo invertido

Vale ressaltar que tanto o martelo como o martelo invertido podem ser de alta ou de baixa, sendo assim, vamos encontrar nesses dois tipos tanto a cor verde quanto a vermelha. O que os difere como martelo é simplesmente o preço de máximo ou mínimo discrepante dos preços de ínicio e fechamento.

Outro tipo bastante conhecido é o doji, que por sua vez, nada mais é do que um tipo de candle que apresenta um corpo muito pequeno. Ele vai aparecer, quando os preços de início e de fechamento estiverem muito próximos de si. Pode acontecer até mesmo um candle neutro, que é quando o preço de início e fechamento são iguais e o corpo se transforma apenas num traço.

doji

Geralmente quando se tem um doji, independente de ser um doji de alta ou de baixa ou até mesmo neutro, ele deve demonstrar uma indecisão do mercado financeiro. Dessa maneira, uma investidor de análise técnica precisa averiguar outros padrões de candles para tentar observar a tendência do mercado.

Outro tipo de candlestick bastante conhecido é o marubozu. Este tipo de candle se configura por não apresentar sombra, ou seja pavios inferiores e superiores. Desse modo, os preços mínimos e máximos se aproximam muito dos preços de abertura (inicial) e fechamento (final).

Em alguns momentos, podemos ter marubozu de abertura, de modo que o candle não apresenta sombra apenas no preço inicial, que é na parte inferior em candles de alta e superior em candles de baixa. 

candle maruzobu

Por outro lado, ainda há o marubozu de fechamento, ao qual o candle não apresenta sombra ou pavio apenas no preço final, que é na parte superior em candles de alta e inferior nos de baixa.

maruzobu

Ainda há o terceiro tipo de marubozu, que é o completo, no qual não apresenta sombras inferiores nem superiores, de modo que nos candles de alta: 

  • preço máximo = preço de fechamento
  • preço mínimo = preço de abertura 

De forma equivalente, nos candles de baixa:

  • preço máximo = preço de abertura
  • preço mínimo = preço de fechamento
candlestick marubozu

Marubozu é um termo japonês que significa careca, sendo assim, o próprio nome é bem sugestivo a respeito da ausência dos pavios interligados ao corpo do candle. Na parte técnica, um marubozu de alta pode simbolizar tanto uma continuação de tendência de alta que possa estar por vir, quanto uma descontinuidade e interrupção de uma tendência de baixa que vinha acontecendo, podendo revertê-la.

Já um marubozu de baixa pode significar uma continuidade de uma tendência de baixa ou então uma interrupção na tendência de alta, de forma a ter a possibilidade de revertê-la para uma baixa.

Muito importante ressaltar que todos estes tipos de candlestick, estão inseridos na análise técnica de modo que, quando ocorre a presença destes, podem se formar diversos padrões de baixa ou de alta muito conhecidas entre os analistas. Esses padrões podem ser de candle único, duplo, triplo ou até de maior quantidade, cada um com um nome apropriado para facilitar a visualização de tendência.

Alguns nomes conhecidos desses padrões são: Doji libélula (padrão de candle único), Engolfo de Alta (padrão de candle duplo), Estrela da Manhã (padrão de candle triplo) e muitos outros, aos quais não entraremos tão a fundo no conceito aqui.

Conclusão

Candlestick é a forma mais utilizada de representar graficamente os preços e variações das cotações de ativos dentro do mercado financeiro. Com a introdução desse meio, facilitou-se muito a busca de análises com maior taxa de acertos nas operações, principalmente tratando-se de uma análise técnica.

Para esse tipo de análise, os candlesticks foram essenciais para aumentar o conhecimento a respeito, abrindo a possibilidade para se enxergar novas técnicas e ferramentas para lucrar ainda mais na compra e venda dos ativos, como ações dólar, bitcoin, etc.

Os padrões dos candles, dos mais variados tipos, proporcionaram uma vertente revolucionária para a ascensão dos traders e formou uma gama muito maior de conhecimento a respeito do funcionamento do mercado financeiro, principalmente a respeito do comportamento dos preços. Desse modo, é essencial um investidor entender a leitura de candlesticks, assim como saber aplicar isso na prática.

Write A Comment