Lens Protocol, projeto da Aave para mídias sociais

A forma como as gigantes mídias sociais, como Twitter, Meta e Google retém sua dominação do mercado é através de bases de dados centralizadas. Ou seja, qualquer conta de propriedade, seja para anúncios ou postagem, está sujeita à serem banidas unilateralmente.

Embora seja conveniente ter contas centralizadas em algumas plataformas, a Web2 tem algumas questões importantes:

  • Seus dados são controlados pela plataforma, suscetíveis a banimentos arbitrários, apagamentos e danos econômicos;
  • Com a falta de propriedade vem a falta de gerenciamento de conteúdo e portabilidade entre plataformas.

Com isso, a Lens Protocol tenta resolver esse problema desenvolvendo uma plataforma na qual os usuários podem criar e possuir caminhos entre pessoas/negócios no mundo online. Em outras palavras, a Lens Protocol permite que qualquer pessoa tenha uma mídia social de propriedade do usuário.

Veja também: EOS, uma blockhain voltada para dApps

Uma mídia social para Web3

Na Web3, a Lens Protocol coloca a propriedade da interconexão nas mãos das pessoas. Alguns especialistas dizem que a velha questão de “quem irá construir o caminho” tenha sido finalmente respondida quando o assunto é voltado para mídias sociais. Abaixo, seguem os fundamentos da Lens Protocol na Web3:

  • Para que a mídia social seja descentralizada, ela precisa de armazenamento descentralizado e online. Por esse motivo, a Lens Protocol oferece o InterPlanetary File System (IFPS), uma rede ponto a ponto (P2P) para armazenamento e compartilhamento de arquivos;
  • Através do sistema mencionado acima, os usuários podem postar qualquer coisa que queiram e controlar como seu conteúdo é engajado;
  • Por meio da modularidade, a Lens Protocol pode combinar vários recursos de plataforma. Por exemplo, os usuários podem coletar postagens de que gostam para registros públicos. Isso vale para compartilhamento com intuito de amplificação de conteúdo;
  • Usuários podem comentar e seguir outras pessoas.

Nesse sentido, devido ao fato de ser um protocolo baseado em blockchain, isso significa que todos esses elementos fundamentais de mídia social são tokenizados. A sua conta é um ProfileNFT, um contrato inteligente sem custódia.

Além disso, seguindo o mesmo princípio, cada follow feito é também um FollowNFT. Em conjunto, eles criam uma pegada digital permanente em uma blockchain descentralizada. Além disso, como os seguidores são tokenizados como NFTs, a governança do engajamento da mídia social é incorporada.

Dessa forma, os usuários podem permitir que um certo número de FollowNFTs tenham direito a voto na plataforma. Com esse sistema, a Lens Protocol permite que os usuários determinem como o conteúdo é experimentado, em vez de ficar refém de algoritmos centralizados.

Por fim, o conteúdo compartilhado não é apenas colecionável, mas também negociável. Isso abre a porta para a micromonetização, pois cada conteúdo compartilhado/espelhado pode entregar uma fatia para a pessoa que o compartilhou.

Veja também: Yield hacking, conheça essa estratégia ligada aos projetos DeFi

Relação da Lens Protocol com Aave e Polygon

A Lens Protocol tem laços estreitos com a Aave, um protocolo líder em DeFi e plataforma de empréstimo de criptomoedas, com um valor total bloqueado (TVL) de US$11 bilhões. A Aave confirmou que a Lens é feita pela “equipe de desenvolvimento trouxe o para você o protocolo Aave”.

Nesse sentido, o fundador da Aave, Stani Kulechov, também confirmou que a “Aave lançou a Lens Protocol”, mudando seu ícone para o logotipo da Lens. Além disso, Kulechov também foi um dos primeiros a sugerir a ideia do protocolo da rede social já em janeiro de 2021.

A Lens Protocol não foi construída na rede Ethereum, como aconteceu com a Aave. Ao invés disso, foi construída na blockchain Polygon, uma rede segunda camada para Ethereum, conhecida por seu baixo consumo de energia.

Inclusive, a própria Aave já trabalhou com a Polygon. Em março de 2021, a Aave utilizou a Polygon para evitar congestionamentos na Ethereum. Em abril de 2021, os dois projetos se associaram para oferecer recompensa de mineração de liquidez.

Uma aplicação de mídia social

O fundador da Aave, Stani Kulechov, disse em entrevista que “a Lens Protocol ajuda desenvolvedores a criarem mídias sociais nativas da Web3, sem criar a base de usuários do zero. Qualquer aplicativo construído sobre a Lens expande o gráfico social e beneficia todos os aplicativos do ecossistema”.

Com isso, a equipe da Aave lançará o que Kulechov chamou de “um aplicativo de mídia social emblemático” no primeiro trimestre para dar um exemplo a outros desenvolvedores. Ou seja, ainda não há nenhum produto real para os usuários começarem a experimentar.

Dessa forma, ao que tudo indica, a Lens Protocol é mais um back-end no qual outros produtos de mídia social podem ser construídos. Existem versões semelhantes disso, como a blockchain STEEM, que serviu como uma camada de dados para vários produtos diferentes.

Existe um token da Lens Protocol?

Atualmente, não existe nenhum token oficial anunciado pela Lens Protocol. Portanto, qualquer token disponível exclusivamente por meio de exchanges descentralizadas devem ser consideradas como uma fraude em potencial.

Com o recente anúncio, muitas pessoas estão obviamente interessadas em entender se existem algum tipo de token para o protocolo. Os primeiros usuários podem querer investir em um possível token em seu estágio inicial para colher potenciais recompensas.

Dessa forma, é por esse motivo que muitas pessoas estão procurando por “token da Lens Protocol” no Google. Se você vasculhar as exchanges descentralizadas mais populares, como UniSwap ou SushiSwap, encontrará vários tokens que parecem estar se passado pelo token oficial da Lens Protocol, fique de fora deles!

Conclusão

Resumidamente, a Lens Protocol é uma plataforma construída sobre a blockchain Polygon capaz de permitir que desenvolvedores criem diversos aplicativos de mídia social. Por ser descentralizada, os usuários irão ter propriedade sobre seus dados, podendo utilizá-los em qualquer aplicação construída na Lens Protocol.

Nesse sentido, devido ao fato das atuais mídias sociais centralizadas serem controladas por poucas empresas, existe uma grande expectativa sobre o protocolo. Além disso, o projeto surge da Aave, uma plataforma DeFi já bem conhecida na indústria criptográfica.

Com isso, os entusiastas aguardam pelo primeiro lançamento do protocolo, que deve acontecer no primeiro trimestre deste ano. Também há expectativa de que seja lançado um token próprio da plataforma, onde diversos investidores estão prontos para serem os primeiros adquirir com intuito de receber futuras recompensas.

Veja também: Loopring, uma plataforma focada em exchange

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts