Lucas Bassotto

Escrito por

Author

Economista, trader e especialista em conteúdo sobre economia, finanças e criptomoedas.

A formação de preço dos ativos ainda é uma grande questão para todos os participantes do mercado. Valor e preço, embora sejam vistos como sinônimos, são medidas completamente diferentes. Quando o preço de um ativo não reflete o seu real valor, há assimetria, ele pode estar sobrevalorizado ou subvalorizado, sendo possível ganhar dinheiro explorando-a.

A Hipótese do Mercado Eficiente é uma das teorias econômicas mais famosas. Para esta teoria, o valor e o preço de um ativo estão quase sempre perfeitamente alinhados, pois o mercado é muito eficiente em analisar as informações e sinais e rapidamente incorporar estes fatores no ativo.

Segundo a hipótese, a maior parte dos investidores não vai conseguir se sair acima da média do mercado no longo prazo.

Como funciona a Hipótese do Mercado Eficiente

Elaborada por Eugene Fama em sua tese de mestrado, a Hipótese do Mercado Eficiente parte dos seguintes princípios:

  • Todos os participantes têm acesso instantâneo à informação, sendo ela pública ou privada;
  • Todas as informações já estão incorporadas ao preço;
  • Os investidores são racionais;
  • A liquidez é elevada;
  • O acesso ao mercado é fácil.

Partindo destes princípios, é de se imaginar que qualquer formação, seja ela pública ou privada, já está sendo imediatamente refletida nos preços. Pois, os investidores são racionais e estão sempre procurando aumentar a maximização dos retornos da carteira.

Por isso, seria impossível obter ganhos financeiros com notícias ou “vazamentos” no mercado financeiro, pois essas informações já foram assimiladas muito rapidamente por todos os outros investidores. Da mesma forma que seria impossível obter retornos acima do mercado.

Se as informações estão disponíveis para todos os participantes, rapidamente a oportunidade e as assimetrias entre preço e valor já seriam exploradas. Por isso, a maioria das carteiras tendem a convergir para a média do mercado. Nem mesmo os “insiders”, que têm informação privilegiada, conseguiriam ter retornos sustentáveis acima da média.

Essa teoria também explica o porquê existe o ditado “Sobe no boato e cai no fato”, pois os investidores estão analisando informações e projetando suas expectativas. Quem nunca se questionou após a bolsa cair quando um evento muito esperado acontece?

Leia também:

Sobe no boato e cai no fato

Se um fato relevante já é conhecido ou até mesmo projetado, o mercado irá incorporá-lo ao preço com antecedência. Por exemplo, se uma empresa espera anunciar que irá pagar 5% de dividendos daqui a 1 mês, o mercado irá precificar essa informação agora, não daqui a 1 mês.

Isso acontece porque os especuladores utilizam suas expectativas e tentam antecipar os eventos para terem lucro. Eles querem ser mais rápidos que os outros e explorar as oportunidades primeiro, com o intuito da maximização de lucros. 

Caso ninguém tentasse antecipar os acontecimentos do mercado, necessariamente não haveria liquidez, negócios e tão pouco lucro. Imagine se todo mundo quisesse, ao mesmo tempo, comprar um ativo sem ter outro especulador na parte oposta? Não haveriam negócios e mercado.

Os três graus de força da Hipótese do Mercado Eficiente

Na teoria de Mercado Eficiente, existem três versões principais da hipótese: “fraca”, “semiforte” e “forte”. Cada mercado se encaixa dentro de uma dessas classificações. Alguns tendem a ser extremamente eficientes, outros já possuem caraterísticas que o tornam mais lentos e menos eficientes.

  • A hipótese “fraca” considera que os preços negociados para os bens (por exemplo, ações, obrigações ou propriedade) refletem toda a informação histórica disponível publicamente.
  • A hipótese “semi forte” afirma que os preços refletem todas as informações publicamente disponíveis, e também que os preços mudam instantaneamente para refletir as novas informações públicas.
  • A hipótese “forte” afirma que os preços refletem instantaneamente até mesmo informações ocultas ou “privilegiadas”.

Quanto mais pessoas participando no mercado, maior o número de competidores, de informação gerada e de negócios. Com isso, o mercado tende a se tornar mais eficiente, pois as assimetrias entre preço e valor tendem a durar muito pouco, sendo estas exploradas muito rapidamente.

O outro lado

A existência de um mercado eficiente é muito contestada por economistas e pessoas que trabalham no mercado financeiro, principalmente gestores de fundos. A principal crítica está no argumento de que existem muitos gestores que de fato conseguiram retornos consistentes acima da média do mercado.

Um desses casos seria o Medallion Hedge Fund, fundo quantitativo de Jim Simmons, um dos melhores fundos de investimentos do mundo.

Dessa forma, segundo os críticos da hipótese, a ideia de que mercado seria eficiente não é verdadeira, porque bons gestores conseguem retornos acima do benchmark ao explorarem a assimetria entre o preço e o valor de um ativo. 

Outra crítica, mas em aspecto mais econômico seria questionando a racionalidade dos participantes do mercado. Segundo os críticos, se o mercado fosse racional, não haveriam crises econômicas. 

Mas os defensores da hipótese de Mercado Eficiente argumentam que a teoria não foi feita para garantir a estabilidade econômica, pois se os sinais e as informações são ruins, essas informações seriam igualmente refletidas no preço.

No fim, amada por alguns, odiada por outros, esta teoria nos ensina algo importante: é extremamente difícil se manter acima da média nos mercados. A competição é grande e todos estão buscando maximizar seu lucro. Essa teoria explica o jargão “Sobe no Boato e cai no fato”.

Write A Comment