Demian Mangiacomo

Escrito por

Author

Escrevo sobre finanças, desenvolvimento pessoal, inteligência emocional para investimentos e mudança de hábitos que atrapalham a sua prosperidade.

Já vi vários relatos de investidores que estavam desconfortáveis demais com as variações negativas dos seus ativos. A famosa galera que, compra topo e vende fundo. Não se iluda, todo mundo já passou ou vai passar por isso.

Muitas vezes, as pessoas compram ações escutando dicas de youtubers ou de pessoas que estão no meio dos investimentos com interesses próprios: Ganhar dinheiro com corretagem ou indicações. Isso não costuma funcionar muito bem. Mas, vamos direto ao assunto: a Regra dos 100.

A Regra dos 100

Em praticamente 12 anos como investidor e pelo menos uns 6 anos como consultor de investimentos, percebi que, o sucesso e a longevidade do investidor no mercado, vai justamente de encontro com a sua capacidade de suportar o risco envolvido nas operações.

E sim, isso é muito importante: O perfil do investidor muda de acordo com a personalidade da pessoa! Alguns querem investir em ações, mas não estão prontos para isso ainda. 

O equilíbrio da carteira é essencial, principalmente aos investidores de perfil moderado. Não adianta um iniciante que está construindo patrimônio para a sua aposentadoria entrar pesado em renda variável.

O ideal é que ele entre aos poucos, com ações mais conservadoras, tipo ações de setor elétrico e bancário, entenda que as flutuações de mercado são comuns e que a cotação nada mais é do que um combinado de muita especulação com pouca lógica, e, aos poucos vá se soltando.

regra dos 100

Podemos exemplificar um modelo de investidor conservador da seguinte maneira:

Investidor possui 30% do seu patrimônio em renda variável: Ações, FII, Criptomoedas, ETF, ou outros investimentos de risco maior. Em contrapartida, ele mantém 70% do seu patrimônio em títulos do Tesouro, CDB, LCI, LCA, LC ou outros investimentos de renda fixa.

O resumo é que, esse investidor, normalmente, terá menos variações expressivas em sua carteira, porém, também terá menos possibilidades de ganhos expressivos com os ativos variáveis.

Eu sempre prezo pelo conforto. Investimos para nos garantir um futuro melhor. Não adianta nada investir para passar raiva. Faça algo de uma forma que você se sinta tranquilo e satisfeito.

perfil do investidor

Se você tem um perfil moderado de investidor, você distribui os investimentos em 50% renda variável e 50% renda fixa. E um perfil agressivo é aquele que distribui pelo menos 60% do patrimônio em renda variável e no máximo 40% em renda fixa.

Onde eu quero chegar?

Vamos lá: O ideal é ter constância, ou seja, investir parte do seu salário todos os meses. É impossível prever o melhor momento para comprar uma ação ou um fundo imobiliário, que seja. Agora, aportando todos os meses, a sua chance de construir uma posição bacana e poder usufruir de dividendos no futuro, é muito maior:

regra dos 100

O importante é frisar o estudo no balanço da empresa. A cotação, na maioria das vezes, não vai seguir o fundamento. Não se engane! O mercado é muito mais especulativo do que lógico.

São exemplos de ativos distintos, aportados separadamente durante o ano de 2019. Veja que, no final do ano, os últimos aportes já superam em valor de cotação o preço médio da sua carteira. Agora, imagine você repetindo esse processo por uma década e reaplicando os dividendos!? Sim, é sucesso! Digo por experiência própria!

Em relação a cotação, muitas vezes ela sofre variações negativas, enquanto os dividendos, JSCP (juros sobre capital próprio) acabam crescendo, de acordo com que o crescimento da empresa acontece. E sim, isso vai refletir na cotação sim, pois no longo prazo, a cotação acompanha o crescimento dos lucros. Eu disse no longo prazo!!!

Acredito que, cada pessoa deve adequar seus investimentos de acordo com o seu perfil, e procurar especular com capital ganho pelas próprias aplicações, para tentar alavancar seus resultados anuais.

Pare de olhar somente para cotação e passe a analisar o que tem de bom por trás dela: Governança, lucro, segmento, expectativas…

Tenha consciência de que nada acontece de uma hora para outra. Ninguém compra uma fazenda e fica ligando todo dia para o corretor de imóveis perguntando quanto está valendo a fazenda. O mesmo para apartamentos, casas e afins.

Faça seu papel: Invista todos os meses e construa seu patrimônio. E só se exponha ao risco de uma forma consciente e que não te faça perder os cabelos a cada queda que tivermos na bolsa. Crises virão, e acredite: São boas oportunidades.

Bons investimentos a todos. Espero que a Regra dos 100 ajude a melhorar sua carteira.

Write A Comment