4 de novembro, 2019

|

por: Lucas Bassotto

|

Categorias: Intermediário, Investimentos

O que é um ETF?

O primeiro ETF foi criado em 1993 e, desde então, já representa uma indústria de US$ 5 trilhões. Desde então, eles têm sido muito utilizados para uma eficiente diversificação de carteira, com baixo custo e agilidade.

Muitos gestores preferem comprar ETFs de diversos mercados do que ir comprando cada ativo por vez, diminuindo o custo na taxa de corretagem e o risco da carteira de investimento. 

O que é um ETF?

Um fundo negociado em bolsa (ETF) é um tipo de título que envolve uma cesta de diversos ativos – como ações da bolsa brasileira, commodities e moedas – que geralmente acompanha um índice subjacente (Ibovespa), embora eles possam investir em vários setores da indústria ou usar várias estratégias. 

Os ETFs são listados em bolsas de valores e as ações do ETF são negociadas ao longo do dia, como se fossem ações.

Um exemplo bem conhecido no Brasil é o BOVA11, que rastreia o índice Ibovespa. Os ETFs podem conter muitos tipos de investimentos, incluindo ações, commodities, títulos ou uma mistura de tipos de investimento. O gráfico abaixo mostra a relação do Ibovespa (linha laranja) e do ETF BOVA11 (linha azul)

etf bova 11 vs ibovespa

Gráfico representando o BOVA11 e a evolução do Ibovespa

Um fundo negociado em bolsa é um título mobiliário que possui um preço associado que permite que seja facilmente comprado e vendido ao longo do dia.

Resumo

  • Um ETF é uma cesta de valores mobiliários negociados em bolsa, exatamente como uma ação.
  • Os preços das ações da ETF flutuam o dia todo, à medida que a ETF é comprada e vendida; isso é diferente dos fundos mútuos que são negociados apenas uma vez por dia após o fechamento do mercado.
  • Os ETFs podem conter todos os tipos de investimentos, incluindo ações, commodities ou títulos; alguns oferecem apenas participações nos EUA, enquanto outros são internacionais.
  • Os ETFs oferecem baixos índices de despesas e menos comissões de corretagem do que comprar as ações individualmente.

O gráfico abaixo mostra a quantidade de dinheiro investida em ETF ao longo de um período de 10 anos, compreendido entre 2008 e 2018. É possível ver uma evolução de US$ 700 bilhões para US$ 5 trilhões no período.

Um ETF é um tipo de fundo que possui vários ativos subjacentes, em vez de apenas um como uma ação. Como existem vários ativos em uma ETF, eles podem ser uma escolha popular para diversificação. Ele pode possuir centenas ou milhares de ações em vários setores, ou pode ser isolado para um setor específico.

Alguns fundos se concentram apenas nas ações de um país específico, enquanto outros têm uma perspectiva global. Por exemplo, os ETFs focados no setor bancário conteriam ações de vários bancos em todo o setor.

Tipos de ETFs

Existem vários tipos de ETFs disponíveis para investidores que podem ser usados ​​para geração de renda, especulação, aumento de preço e para proteger ou compensar parcialmente o risco na carteira de um investidor. Abaixo estão vários exemplos dos tipos de ETFs.

  • De títulos podem incluir títulos do governo, títulos corporativos e títulos estaduais e locais – chamados títulos municipais.
  • Do setor rastreiam um setor específico, como tecnologia, bancos ou setor de petróleo e gás.
  • De commodities investem em commodities, incluindo petróleo bruto ou ouro.
  • De moedas investem em moedas estrangeiras, como o dólar ou euro.
  • Os ETFs inversos tentam obter ganhos com as quedas de ações. 
  • Os investidores devem estar cientes que muitos ETFs inversos são ETNs (Exchange Traded Notes) e não ETFs verdadeiros. Um ETN é um título, mas negocia como uma ação e é lastreado por um emissor, como um banco. 

Vantagens e desvantagens dos ETFs

Os ETFs fornecem custos médios mais baixos, pois seria caro para um investidor comprar todas as ações mantidas em um portfólio de ETFs individualmente. 

Os investidores precisam apenas executar uma transação para comprar e uma transação para vender, o que leva a menos comissões de corretagem, uma vez que existem poucas negociações sendo feitas pelos investidores. 

As corretoras normalmente cobram uma comissão por cada negociação. Algumas corretoras até oferecem negociação sem comissão em determinados ETFs de baixo custo, reduzindo ainda mais os custos para os investidores.

O índice de despesas de um ETF é o custo para operar e gerenciar o fundo. Os ETFs normalmente têm despesas baixas, pois monitoram um índice. 

Por exemplo, se um ETF rastreia o índice S&P 500, ele pode conter todas as 500 ações da S&P, tornando-o um fundo gerenciado passivamente. No entanto, nem todos os ETFs rastreiam um índice de maneira passiva.

Prós de um ETF

  • Acesso a muitos estoques em vários setores
  • Baixos índices de despesas e menos comissões de corretores
  • Gerenciamento de riscos através da diversificação
  • Existem ETFs focadas em setores-alvo
  • Poucos fundos conseguem superar a performance de um ETF

Contras de um ETF

  • ETFs gerenciados ativamente têm taxas mais altas
  • ETFs com foco no setor único limitam a diversificação
  • Falta de liquidez dificulta transações

ETFs gerenciados ativamente

Existem também ETFs gerenciados ativamente, nos quais os gerentes de portfólio estão mais envolvidos na compra e venda de ações de empresas e na alteração das participações no fundo. 

Normalmente, um fundo gerenciado mais ativamente terá uma taxa de despesa mais alta do que os ETFs gerenciados passivamente. 

É importante que os investidores determinem como o fundo é gerenciado, seja ele ativo ou passivamente, o índice de despesas resultante e pesem os custos versus a taxa de retorno para garantir que valha a pena manter.

Dividendos e ETFs

Embora os ETFs ofereçam aos investidores a capacidade de ganhar com o aumento e a queda dos preços das ações, eles também se beneficiam de empresas que pagam dividendos. 

Dividendos são uma parcela dos ganhos alocados ou pagos pelas empresas aos investidores pela manutenção de suas ações. 

Os acionistas da ETF têm direito a uma proporção dos lucros, como juros auferidos ou dividendos pagos, e podem receber um valor residual caso o fundo seja liquidado.

ETFs e impostos

Um ETF é mais eficiente em termos de tributação do que um fundo mútuo, já que a maioria das compras e vendas ocorre por meio de uma bolsa de valores e o patrocinador do ETF não precisa recuperar ações sempre que um investidor deseja vender ou emitir novas ações sempre que um investidor deseja comprar. 

O resgate de ações de um fundo pode desencadear um passivo fiscal, portanto, listar como ações em uma bolsa podem manter os custos tributários mais baixos. 

No caso de um fundo mútuo, cada vez que um investidor vende suas ações, ele ou vira volta ao fundo e incorpora um passivo tributário que pode ser criado pelos acionistas do fundo.

Impacto no mercado de ETFs

Desde que os ETFs se tornaram cada vez mais populares entre os investidores, muitos novos fundos foram criados, resultando em baixos volumes de negociação para alguns deles. 

O resultado pode levar os investidores a não poderem comprar e vender ações de um ETF de baixo volume facilmente. Também surgiram preocupações sobre a influência dos ETFs no mercado e se a demanda por esses fundos puder inflar os valores das ações e criar bolhas frágeis. 

Alguns ETFs dependem de modelos de portfólio que não são testados em diferentes condições de mercado e podem levar a extremos de pagamentos e transferências de fundos, que apresentam um impacto negativo na estabilidade do mercado.

Como investir em ETFs no Brasil?

Os ETFs são negociados na bolsa de valores (B3), o mais comum deles é o BOVA11, que replica o índice Ibovespa, sendo a maneira mais fácil de investir em ações. É preciso abrir conta em uma corretora para investir em ETFs, as corretoras indicadas são: Clear e XP Investimentos. O mais importante, é procurar entender o título em que está investindo e pensar bem antes de tomar essa decisão.

Confira a lista dos principais ETFs negociados no Brasil.

Conclusão

Os ETFs são uma forma barata, rápida e fácil de se expor a diferentes mercados: ações, commodities e moedas. Eles são compostos por uma cesta de ativos e rastreiam um índice da bolsa de valores.

Por conta disso, eles são muito utilizados por gestores, porque oferecem uma excelente alternativa para diversificação de carteira e menor custo com taxas de corretagem.

Traduzido e adaptado de: Investopedia

Leia também:

Como investir na bolsa de valores de forma simples?

Value Investing: a fonte da riqueza de Luiz Barsi

Como a taxa de juros afeta seus investimentos?

Os melhores investimentos para 2020