Lucas Bassotto

Escrito por

Author

Economista, trader e especialista em conteúdo sobre economia, finanças e criptomoedas.

O Coronavírus foi um evento daqueles que ninguém esperava. Ele trouxe muitos impactos no nosso modo de viver, trabalhar, se relacionar. Além disso, também vai afetar muito os sistemas de saúde, empresários, as contas públicas, a economia e os investimentos de muitas pessoas.

Nas duas últimas semanas, o Ibovespa chegou a cair mais de 45% desde a sua máxima história. Os preços das ações voltaram para patamares de antes de 2017. Muita gente que entrou em 2018 e 2019 ficou com grande prejuízo. O mercado estava em um ciclo de alta e, de repente, muitos investidores estavam no prejuízo.

ibovespa seguro de carteira
Queda de 45% do Ibovespa. Fonte: TradingView

O medo é que o Coronavírus engatilhe uma mudança de paradigma na economia mundial, com os principais participantes entrando em recessão, encarando ondas de desemprego, empresas falindo e a economia entrando em uma depressão. Esse cenário despertou pânico que ocasionou um efeito manada que levou a grandes vendas.

Os poucos que conseguiram ter lucro, ou ficar no zero, venderam suas ações antes da queda, ou utilizaram seguros de carteira para se proteger. Aliás, poucas pessoas sabem, mas é perfeitamente possível correr riscos em investimentos de renda variável, mas estando protegido.

Os seguros de carteira têm essa função. Você paga uma apólice todo mês e se protege caso algum imprevisto aconteça e derrube o mercado, como aconteceu com o Coronavírus. Em alguns casos, é até possível lucrar com esses imprevistos. Todos esses seguros são feitos através do mercado de opções, com opções do tipo PUT.

O que são opções PUT?

Opções são uma espécie de derivativo que funcionam como uma apólice de seguro. Quem adquire elas, ganha o direito de comprar ou vender um determinado ativo (ação, moeda, commodity, bitcoin) em uma data futura (data de vencimento) a um preço pré-determinado (preço de strike).

Existem duas opções: do tipo CALL (que confere ao portador o direito de comprar o ativo) e do tipo PUT (que confere ao portador o direito de vender o ativo). Quem compra uma CALL está apostando na alta do mercado, a ideia é comprar uma opção para ganhar o direito de comprar um ativo no futuro (ao preço que você escolheu) e vendê-lo a um preço mais alto. 

Por outro lado, quem compra opções do tipo PUT está querendo se proteger. Com ela, você ganha o direito de vender o ativo a um preço que você escolhe em uma data futura. Se o preço do ativo cair, sua opção vai te dar o direito de vender o ativo ao preço que você escolheu.

Para fazer seguros de carteira, são utilizadas principalmente as opções do tipo PUT, porque elas foram feitas para isso: proteger os investidores caso o preço de suas ações despenquem. Porque elas se valorizam conforme o preço do ativo vai caindo.

Como fazer um seguro de carteira

Você compra uma PUT do ativo e fica com ela até o vencimento. Se nada acontecer, você perderá o valor gasto na compra da PUT. A vantagem é que as PUTs são baratas e, em caso de sinistro, a valorização da PUT que você comprou poderá superar a desvalorização das suas carteiras.

Isso funciona exatamente como o seguro de um carro. Você fica pagando todos os meses e, caso o sinistro aconteça, você ganha o direito de comprar outro carro no mesmo valor, evitando que você perca o valor total gasto na compra do veículo. A única diferença é que no mercado de renda variável, isso é feito com opções.

Se você investe em ações, sua carteira tenderá a se comportar de maneira semelhante ao índice da bolsa brasileira, o Ibovespa. Portanto, você pode comprar opções PUT do Ibovespa, representado pelo símbolo BOVA11. Se acontecer um evento muito impactante, suas PUTs irão proteger sua carteira nessa situação. 

É possível se proteger em corretoras tradicionais se você tem commodities e ações. Se você tem criptomoedas, pode utilizar o Bitcoin Capital Protegido para fazer um seguro de carteira em Bitcoin, se protegendo da queda e ainda ficando exposto à alta do mercado até um determinado preço.

Poucos investidores fazem seguro. Contudo, é importante lembrar que é muito mais difícil se recuperar de uma queda de preço do que ter ganhos no mercado. Suponha que você tem um capital de R$ 10.000 e teve ganhos de 100% durante 1 ano, aumentando ele para R$ 20.000. Bastaria uma queda de 50% para que ele volte à estaca zero.

Usar a estratégia de Barbell também pode ser uma boa alternativa. Ela utiliza uma alocação de 90% em investimentos de baixíssimo risco (Tesouro Direto, Imóveis, etc) e 10% em investimentos de altíssimo risco (opções, cripto, startups, derivativos). A ideia é: se você perder, estará vivo no próximo dia, se ganhar, terá ganhos exponenciais.

estratégia de barbell
A estratégia de Barbell.

A melhor hora para fazer um seguro de carteira

Você faria um seguro de carro depois que acabou de ser roubado? Certamente não. Aliás, essa é uma das piores horas. Portanto, não se faz seguro depois do sinistro, porque a chance já passou e não tem mais o que ser assegurado. A melhor hora para fazer um seguro é quando o “mar está calmo e o céu ensolarado”.

Quando o mercado está calmo e subindo, o preço das opções do tipo PUT está barato. Por isso, o seguro fica muito mais em conta e com um melhor retorno potencial. Quando o mercado está desabando e em pânico, as PUTs ficarão muito mais caras, porque todo mundo vai querer comprá-las e é aí que você ganhará dinheiro com o seguro.

Por exemplo, no dia que o Bitcoin caiu 45%, algumas opções PUT chegaram a valorizar mais de 145%, mais que o triplo da queda do ativo! Aliás, essa uma particularidade interessante das opções: elas têm uma variação muito maior do que o ativo-base que elas representam!

Essa particularidade torna elas essenciais para qualquer portfólio. Você gasta pouco, se perder, você perderá de “canequinha”, mas quando você ganhar, ganhará de “balde”. Foi assim que Nassim Taleb, um dos maiores investidores da história, conseguiu enriquecer. Ele estava exposto a opções: perdia um pouco todo mês, mas quando ganhou, ficou milionário.

Esses ganhos acontecem justamente de eventos imprevisíveis, do tipo cisne negro, como o Joesley Day, segunda-feira negra e o Coronavírus. É essencial estar protegido e, quem sabe, exposto a ganhos exponenciais com opções.

maiores cisnes negros da história

Nunca menospreze os acontecimentos relevantes

Quando estamos ganhando dinheiro no mercado, tendemos a desacreditar que algo muito ruim possa acontecer. E é justamente por essa natureza que os eventos cisne negro acontecem e machucam tantos investidores.

Fazer uma proteção de carteira é essencial, principalmente quando os ganhos com o mercado estão elevados. Conforme dito acima, você pode vencer por 5 anos seguidos, mas basta apenas 1 semana ruim para que todos aqueles ganhos obtidos sejam apagados.

O que é pior: é muito mais difícil se recuperar de uma queda do que ganhar. Por isso, estar protegido e ciente dos riscos é quase mandatório para quem quer investir em renda fixa e ativos de maior risco como ações e criptomoedas.

Write A Comment