14 de novembro, 2019

|

por: Lucas Bassotto

|

Categorias: Intermediário, Investimentos

Empresa de Warren Buffett está segurando US$ 128 bi de dinheiro em caixa

Se você não está familiarizado com investimentos, Warren Buffett se trata de um dos maiores investidores de todos os tempos, ele fez fortuna no mercado de ações e também é diretor do bilionário conglomerado Berkshire Hathaway, que supervisiona e administra um conjunto de empresas subsidiárias.

O que chama atenção é que a Berkshire está com uma pilha de dinheiro em caixa, mais precisamente US$ 128 bilhões. Mas qual será o objetivo dessa estratégia? Alguns analistas especulam que Buffett talvez esteja achando o mercado de ações muito caro, o que poderia ser um sinal negativo.

Os movimentos de Buffett são acompanhados de perto pelo mercado. Afinal, estamos diante de uma grande autoridade quando falamos em investimentos no mercado de ações. 

Excesso de liquidez na Berkshire

A Berkshire Hathaway, administrada por Buffett, tem um valor de mercado estimado em US$ 537 bilhões. O conglomerado é conhecido por fazer aquisições de empresas de grande porte, e também por gerenciar e administrar empresas que atuam em diversos setores, com foco em seguros, energia e varejo.

A empresa também possui investimentos em diversas corporações listadas no mercado de ações dos Estados Unidos, tais como: Wells Fargo, Coca-Cola, Apple, Bank of America e American Express. Contudo, Buffett tem sido silencioso e poupado movimentações no mercado nos últimos anos.

Basta observar o histórico recente de grandes aquisições da Berkshire. O último grande negócio da companhia foi em 2015, quando adquiriu a Precision Castparts, uma fabricante de bens industriais e peças do setor aeroespacial. 

Ele deixa isso claro em sua carta mais recente para investidores. A empresa está com um excesso de liquidez porque esperava fechar a aquisição de participação em novas empresas, mas não obteve sucesso.

Está tudo caro? 

Apesar da ausência de novos negócios, a empresa tem voltado seus esforços para administrar seu portfólio, cujo dinheiro em caixa representa mais de 60% de proporção da carteira.

A empresa nunca esteve com tanto dinheiro em caixa nos últimos 32 anos. Essa é a porcentagem mais alta desde a crise mundial de 2008. Uma razão para essa porcentagem ser tão alta é que Warren Buffett acredita que as empresas listadas nas bolsas americanas estão caras.

Para chegar a essa avaliação, Buffet utiliza um dos seus critérios de análise favoritos: observar o tamanho da capitalização do mercado de ações (soma do valor de mercado de todas as empresas) em relação ao PIB dos Estados Unidos. 

Sua avaliação é que quanto maior for a capitalização do mercado acionário em relação ao PIB, maior será a probabilidade de bolhas financeiras. Quando esse critério é observado, sua argumentação parece fazer sentido.

Em 2017, a capitalização do mercado de ações representava 154% do PIB americano, superando o número registrado na crise da bolha pontocom e a crise mundial de 2008. Se considerarmos os ganhos de mercado nos últimos 2 anos, esse número deve ser ainda maior.

Apesar disso, Buffett deixa claro em sua carta para investidores que prefere investir dinheiro na aquisição de novas empresas e está procurando novas oportunidades, apesar da escassez. No entanto, o valor proibitivo das empresas prospectadas está sendo o impeditivo para os novos negócios:

“Esperamos transferir grande parte de nosso excesso de liquidez para negócios que a Berkshire possuirá permanentemente”, disse ele. “As perspectivas imediatas para isso, no entanto, não são boas: os preços são altíssimos para as empresas que possuem perspectivas decentes de longo prazo”. – Warren Buffett em carta para investidores.

Buffett vs S&P 500

Warren Buffett é um mega-investidor, segue a linha fundamentalista para investir em ações. Isso significa que ele avalia minuciosamente cada negócio antes de preencher o cheque para a compra.

Sua perspicácia o tornou um dos investidores mais respeitados do mundo, influenciando gestores de fundos de investimentos e investidores profissionais. 

Esse respeito tem uma razão, é só olhar a performance do portfólio da Berkshire em relação ao S&P 500 (índice de 500 ações das maiores empresas dos Estados Unidos).

warren buffet a frente da berkshire

Performance da Berkshire Hathaway vs S&P 500. Fonte: Business Insider

As ações da Berkshire estão divididas em duas categorias: classe A (BRK-A) e B (BRK-B). A principal diferença está no preço e também no público alvo dos papéis. 

As ações de classe A são cotadas acima de US$ 300 mil e têm como público-alvo pessoas mais qualificadas que pretendem fazer um investimento de longo prazo na Berkshire.

Por outro lado, as ações de class B são cotadas a partir de US$ 200 e são destinadas para o investidor de varejo, que pretende ganhar dinheiro no médio prazo.

Conclusão

Optar pela liquidez, isto é, ficar com dinheiro em caixa, é uma estratégia de paciência. O investidor que adota essa estratégia prefere esperar o mercado voltar ao seu “valor justo” para começar a investir nas empresas que ele acredita.

Buffett utilizou muito bem essa estratégia ao comprar ações durante a crise de 2008, enquanto o mercado de ações entrava em pânico. Em 2014, cerca de 6 anos depois, Buffett tinha lucrado US$ 10 bilhões.

O que você precisa entender é que Warren Bufett pensa diferente. Ele é temeroso quando o mercado está ganancioso e ganancioso quando o mercado está com medo. Enquanto as ações das empresas estiverem sendo negociadas na máxima histórica, a Berkshire vai continuar segurando dinheiro em caixa.

Leia também: