Os 4 estágios de evolução de um trader. Em qual você está?

A profissão de trader tem ganhado cada vez mais espaço no mercado financeiro, em especial, no Brasil, que ainda tem um grande público iniciante na bolsa de valores e no mundo dos investimentos de renda variável.

Não só na bolsa de valores em si, mas o número cada vez maior de traders está se engajando nesse meio também em criptomoedas, como bitcoin, ethereum, e diversas outras.

Um trader costuma procurar oportunidades de ganhos através de um processo especulativo dos preços, utilizando a análise técnica e também gráfica dos ativos que escolhe para atuar no mercado nesse segmento.

Como já exploramos algumas vezes aqui no site do Investificar, existem algumas formas de se atuar como trader, por meio das diferentes exposições de tempo-gráfico que o mesmo utiliza para realizar suas operações.

Mas o objetivo deste artigo em específico é abranger os 4 estágios de evolução dos traders existentes por meio de uma classificação conforme o conhecimento e a percepção do próprio trader em saber de sua própria realidade de aprendizado e experiência no mercado financeiro. Em qual você se encaixa?

A Incompetência Inconsciente (II)

O primeiro estágio de um trader trata-se da Incompetência Inconsciente (II). Esse estágio é para os traders iniciantes no mercado financeiro, com pouca experiência, e que ainda precisam buscar bastante conhecimento.

Entenda como “incompetência” descrita aqui não como um juízo de valor, pelo contrário, mas sim pela própria definição da palavra, que é a ausência de conhecimentos suficientes sobre um determinado assunto.

Veja também: Como um único trader gerou uma crise de quase US$ 1 trilhão no mercado de ações americano

Não há nada de errado em não conhecer o mercado financeiro ou não saber os conceitos para ser um trader profissional e consistente logo de cara. Isso é inevitável, e qualquer um que está começando nesse meio vai passar por esse primeiro estágio.

O problema nesse caso, é o fato de quem está no estágio de Incompetência Inconsciente ainda não tem a capacidade de entender a sua própria realidade. Isso acaba gerando a falsa sensação de que você sabe o que está fazendo, e com isso, aumenta-se a confiança para tomar decisões, que no final das contas, podem trazer grandes prejuízos.

Esse estágio geralmente é o que está presente na maioria esmagadora de quem está atuando no mercado financeiro, uma vez que a necessidade gerada pelas campanhas de marketing de traders para a venda de cursos, é que você precisa ter ganhos rápidos, fazendo com que muitos atropelem o caminho do real aprendizado consistente.

Esse estágio de trader costuma seguir conselhos de investimento em ativos não por conceitos e estudos realizados, mas sim, porque esse ativo já deu bons resultados para alguém. Sendo assim, acaba apenas seguindo tudo que dizem a ele, sem ter um conceito crítico sobre essas recomendações. 

O problema nesse caso é que o trader desconhece os riscos que está inserido, ao passo que entra em qualquer operação que ele “acha” que está barato ou sai nas que ele “acha” estar caro, sem qualquer fundamento.

Geralmente acaba perdendo muito mais dinheiro do que perderia em uma única operação de loss comum, porque não aceita as perdas, e acaba repetindo as operações de forma incessante em busca de recuperar o que perdeu, porém acaba tendo ainda mais prejuízos.

De forma análoga, esse estágio de trader também não se contenta com seus lucros, sempre achando que vai subir mais. Trata qualquer ativo ou a própria bolsa de valores como se fosse um verdadeiro jogo de apostas.

A Incompetência Consciente (IC)

De forma parecida ao estágio anterior, o trader no estágio de Incompetência Consciente (IC) começa a ter uma maior percepção de sua realidade, uma vez que ele percebe que ainda não tem o conhecimento para sair tomando decisões de alto risco e que podem comprometer todo seu patrimônio.

A questão é que o fator “Consciência” aqui citado é essencial para que o trader consiga evoluir no mercado financeiro. Muitos nem sequer acabam saindo do estágio anterior, ficando durante muito tempo preso a ele.

Apesar de reconhecer que ainda não sabe, a pessoa que está nesse estágio de trader ainda busca alternativas para ganhar mais dinheiro no mercado, ele só não sabe ainda como escolher as melhores possibilidades.

Veja também: Naji Nahas: o trader que quebrou a Bolsa do Rio

Além disso, ainda não apresenta a maturidade psicológica necessária para aceitar suas perdas e ainda não possui uma estratégia definida. A vantagem aqui, é que aceitando que ainda não sabe, o trader tem mais cautela com suas decisões, ao passo que se busca conhecimento com muito mais vontade e paciência, que são virtudes essenciais para o desenvolvimento no mercado financeiro.

Uma realidade é que muitos acabam só fazendo a transição do estágio de Incompetência Inconsciente para o de Incompetência Consciente após uma série de perdas, que infelizmente acaba sendo necessária na maioria das vezes até que o trader aprenda.

Competência Consciente (CC)

No estágio de Competência Consciente (CC), o trader já tem um conhecimento a respeito do mercado financeiro, e só saiu do estágio anterior por meio de certificações, cursos e muito estudo.

A partir daqui, a pessoa já sabe o que está fazendo e não baseia mais suas operações com achismos, e sim, através de análises realizadas de acordo com seus estudos mais aprofundados a respeito do ativo que está operando e o seu preço.

Não obstante, o trader que opera no estágio de Competência Consciente consegue encontrar oportunidades excelentes de ganhos por meio do uso de indicadores, análises, e diversos processos que o ajudem nisso, sempre com planejamento e método.

Algo que está muito relacionado a transição para esse estágio, está justamente na preparação para perder. Na renda variável não existem ativos sem riscos, desse modo, compreender os riscos em que se está inserido e saber que vai perder também, é fundamental até mesmo para começar a ganhar mais.

Afinal, se você tem consciência das perdas e consegue estimar quantitativamente os prejuízos, você também conseguirá estimar os ganhos, o que faz com que você tenha um olhar mais atento às melhores oportunidades considerando o fator risco-retorno.

Veja também: Como gerenciar riscos nas operações de trade?

Como nesse estágio o trader já está preparado para perder, ele precisa fazer algo para amenizar esses riscos. Desse modo, é aqui que já acontece a elaboração de um bom gerenciamento de risco, que é essencial a qualquer trader de sucesso.

Esse tipo de trader apresenta um bom desenvolvimento de consciência para operar, sabendo controlar suas emoções e seguindo as regras fundamentais, através do seguimento de uma metodologia e o estabelecimento de metas.

Essas metas são baseadas em se estipular um “Stop” na operação e também um “alvo”, para saber o momento certo de parar, seguindo isso com muita disciplina. Além disso, opera a favor de tendências e com boas estratégias de entrada. Por fim, só entram em uma operação que apresentam risco-retorno favorável, ou seja, 1:2, 1:3 e assim sucessivamente.

Competência Inconsciente (CI)

Esse estágio é o mais avançado do ponto de vista não só do trader, mas também de qualquer segmento do mercado financeiro. Ele traz à tona uma qualidade extra ao trader profissional, que é o talento.

Desse modo, é preciso muito estudo, experiência e também tempo de tela para conseguir chegar até esse estágio, no qual apresenta uma consistência operacional quase que involuntária.

É o nível em que se adquire maestria para operar, como se fosse uma arte, no qual o trader consegue realizar operações quase por instinto e por isso leva esse termo “inconsciente”. Mas são pouquíssimos que acabam alcançando esse patamar.

Basicamente os traders nesse nível acabam tendo taxas de acerto altíssimas, de modo que “inconscientemente” eles já sabem o que estão fazendo, tendo agilidade para tomar decisões corretas.

É importante ressaltar que esses estágios de aprendizado e experiência dos traders são válidos para qualquer tipo de modalidade, ao qual vamos relembrar um pouco mais as características de cada uma delas a seguir.

Relembrando as modalidades de trader

Vamos relembrar aqui os 3 principais perfis de traders que temos no mercado financeiro com base numa classificação de tempo-gráfico que ele atua, ou seja, de acordo com a quantidade de operações correspondente a um intervalo de tempo.

A primeira modalidade que vamos relembrar é o day trader. O trader que opta por operações de day trade, faz operações de compra e venda de ativos em um mesmo dia. Nesse caso, ele busca abrir e fechar sua operação no mesmo pregão, e a diferença de preços nesses momentos distintos pode lhe trazer uma rentabilidade (ou um prejuízo).

Os day traders, embora não seja uma regra para isso, tendem a serem ainda mais arrojados e apresentarem um caráter especulativo a respeito dos preços ainda mais intensos.

Esse tipo de operação cresceu muito aqui no Brasil, mas levanta alguns questionamentos, uma vez que acaba sendo um tipo de trading ainda mais sujeito a riscos. Além disso, uma pesquisa levantada pela FGV em 2020, apontou que 99% dos day traders apresentavam prejuízo.

Embora seja um número muito considerável e relevante, vale lembrar que boa parte dos day traders acabam sendo novos nesse meio, o que talvez possa relacionar a maior parte do problema em si com a falta de conhecimento que ressaltamos anteriormente nesse artigo do que propriamente o tipo de operação intraday.

A segunda modalidade de trader que vamos relembrar é o swing trader. O swing trader, por sua vez, é aquele em que a abertura e o fechamento da operação vai ocorrer dentro de alguns dias.

Veja também: Mini dólar WDO: Tudo que você precisa saber para começar a investir

Geralmente sua exposição inicial se torna menor que o do day trader, mas o intervalo de tempo em que ele atua em suas operações será um pouco maior. O planejamento de operação do swing trader permite um menor tempo gasto operando, o que pode ser uma alternativa para quem não tem muito tempo para ficar fazendo operações na frente do home broker todos os dias.

O terceiro tipo de perfil de trader trata-se do position trader. A pessoa que atua como position trader, assume determinadas posições, no qual geralmente pode ser associado à prática de buy and hold, de modo que ele tem a possibilidade de focar no pagamento de dividendos e valorização em um prazo mais longo.

Nesse sentido, os positions traders podem atuar utilizando tanto a parte técnica e gráfica, por meio de operações baseadas no price action, como também a análise fundamentalista, que utiliza outros tipos de indicadores para escolher os ativos.

Conclusão

Entender o estágio de trader que você se encontra é fundamental para qualquer um que queira realmente adquirir conhecimento dentro do mercado financeiro, e a partir disso, não só ganhar dinheiro nesse segmento, mas assegurar os seus ganhos a longo prazo.

O fato é que não existem fórmulas mágicas para aprender uma profissão, é preciso muito estudo e boas ferramentas que serão utilizadas para o aprendizado. O aprendizado dentro do mercado financeiro é como uma escada, mas que se você tentar pular os degraus, pode cair e regredir no seu caminho.

Compreender todos esses fatores pode te ajudar a não cair em ciladas, como discursos de ganhos rápidos e fáceis, que tem se tornado algo cultural no mercado brasileiro entre os mais variados vendedores de cursos, em que muitos deles acabam te fazendo perder tempo e dinheiro. 

Veja também: Joesley Day: o dia que muito trader chorou e a mãe não viu

Total
8
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts