28 de outubro, 2019

|

por: Lucas Bassotto

|

Categorias: Iniciante, Investimentos

O que é e como funciona um IPO?

O IPO (Oferta Pública Inicial) é um dos passos mais marcantes na história de qualquer empresa. Essa euforia acontece porque a empresa está abrindo seu capital na bolsa de valores pela primeira vez. 

As empresas recorrem aos IPOs como forma de captar dinheiro do mercado para expandir suas operações. Empresas gigantes como Facebook, Uber, Visa, Alibaba (Grupo dono do Aliexpress) e Lyft fizeram seus IPOs, que aparecem entre os 10 maiores da história. 

os 10 maiores ipo da história

Fonte: Renaissance Capital

Leituras sugeridas:

O que é IPO e como funciona?

Conforme dito acima, um IPO é uma oferta pública inicial. Uma empresa vai ao mercado para captar dinheiro e, em troca, oferece cotas societárias para os investidores. Essas cotas consistem em ações da empresa que serão negociadas na bolsa de valores.

Ou seja, uma empresa abre captação e vende suas ações ao público pela primeira vez. Esse processo também é conhecido como abertura de capital, isto é, os proprietários iniciais estão abrindo mão de parte da propriedade da empresa. 

Em contrapartida, estão buscando capital de terceiros para financiar a expansão da companhia. Os compradores das ações da empresa se tornam os novos sócios, detendo a fatia da companhia que foram negociadas na bolsa pela primeira vez.

A proporção dessa fatia é determinada pelo valor que a empresa quer captar e por quanto ela se avalia. Por exemplo: uma empresa X quer captar R$ 50 milhões, mas se avalia em R$ 500 milhões. Logo, ela está oferecendo 10% de suas cotas societárias por R$ 50 milhões..

Depois do IPO, as empresas se tornam Sociedades Anônimas e são negociadas livremente na bolsa de valores, que caracteriza o mercado secundário.

como funciona um ipo?

O funcionamento de um IPO. Fonte: Yubb

Por que as empresas fazem IPO?

O principal objetivo é levantar recursos para expandir sua operação. Muitas vezes, um IPO é visto como caso de sucesso para a empresa, porque só através de grande captação de dinheiro que a empresa pode financiar uma expansão em larga escala. 

Um exemplo disso é a Amazon, que hoje é uma gigante da internet ao lado de Google, Microsoft e Apple. Suas ações estrearam no IPO cotadas a US$ 18 e terminaram o dia a US$ 23. 

A Amazon queria arrecadar US$ 54 milhões e estava avaliada a um valor de US$ 438 milhões. Quase 20 anos depois, um investimento de US$ 1,800 se tornou US$ 894,000, uma multiplicação de 497 vezes. Desde então, a Amazon se tornou uma das maiores empresas do mundo.

Contudo, é preciso ter cuidado, nem sempre as empresas estão sendo bem sucedidas, ou querendo expandir. Algumas empresas só abrem IPO para não falirem, isto é, arrecadar dinheiro para pagar obrigações (dívidas, salários).

O exemplo mais recente foi o IPO do WeWork, uma das maiores empresas de Co-Working do mundo. O WeWork estava se vendendo como uma empresa disruptiva de tecnologia, avaliada em US$ 47 bilhões. 

Contudo, investidores resolveram investigar e concluíram que a situação era muito diferente do que estava sendo falado nos prospectos do IPO da WeWork. 

As investigações concluíram que o IPO seria utilizado pela diretoria do WeWork para obter recursos financeiros próprios, não para expansão de negócios. O resultado disso está sendo uma “quase falência” da empresa.

Vantagens de IPO para empresa

Empresas que abrem IPO recebem atenção da mídia, possibilidade de acelerar o crescimento e oportunidade de lucro para os proprietários.

Muitos fundos de Venture Capital, investidores anjos utilizam o IPO para resgatar parte do dinheiro investido na empresa durante os dias iniciais. Eles aproveitam e vendem ações da empresa quando ela vai para a bolsa de valores.

Uma empresa que abre IPO também se torna mais atrativa para grandes talentos profissionais. Ela pode pagar um salário menor aos primeiros executivos e oferecer ações da empresa. 

Desvantagens para empresa

Um IPO é um processo extremamente caro, demorado e burocrático. A empresa vai precisar despender uma grande quantidade de trabalho e dinheiro para a realização de todo o processo. 

Os proprietários também precisam ficar presos às suas ações (lock-up). Em algumas ocasiões, empresários ficam proibidos de vender suas ações por anos. Isso acontece para evitar manipulação no preço das ações. 

Pode acontecer de os proprietários da empresa perderem o controle de decisão. Isso já aconteceu com Steve Jobs na Apple, quando o próprio foi demitido no final dos anos 90.

Quero investir em IPO. Vale a pena?

Muitos investidores acreditam que IPOs sejam a oportunidade perfeita para comprar ações por um preço melhor. O mercado também fica empolgado com todo esse processo. Contudo, é preciso cautela antes de entrar em qualquer IPO.

É preciso fazer uma análise muito cuidadosa da empresa dos prospectos que está abrindo seu capital. Especialistas e investidores mais qualificados olham para o balanço financeiro da empresa, estrutura societária, histórico, potencial de crescimento, de forma a chegar na avaliação correta da empresa.

Conforme dito acima, algumas empresas fazem IPO com má intenção. No entanto, há empresas que se tornam muito bem sucedidas depois de abrirem o capital na bolsa. Uma dessas empresas bem sucedidas é o brasileiro Banco Inter.

As ações do Banco Inter valorizaram mais de 240% em apenas 1 ano depois do IPO. O banco estreou na bolsa, dia 30 de abril, com uma capitalização de R$ 1,9 bilhão. Três meses depois, o Banco Inter chegou a uma capitalização de R$ 8,5 bilhões.

ações do banco inter

As ações do Banco Inter depois do IPO. Fonte: TradingView

Qual a desvantagem de investir em um IPO?

Investir em IPO te torna vulnerável a cair no “encantamento da narrativa” de empresas com intenções ruins. Algumas empresas podem tentar se vender como algo que não são para enganar investidores e conseguirem levantar dinheiro para benefício dos proprietários.

Além disso, ações de empresas recém saídas de um IPO navegam sobre um mar ainda desconhecido. Por conta disso, os preços se tornam altamente imprevisíveis quando comparados a ações de empresas já negociadas na bolsa.

Algumas também podem decepcionar seus investidores ao não cumprirem com o que foi prometido durante o período de captação, um desses casos é o IPO da Uber. A empresa vem encarando dificuldades para crescer.

ações da uber

Desempenho das ações da Uber após o IPO

Como participar de um IPO?

Não é tão difícil participar de um IPO, é só seguir os seguintes passos:

  1. Você precisa escolher a empresa que deseja investir; 
  2. Se cadastrar em uma instituição financeira (corretoras como Clear, XP Investimentos, bancos também podem oferecer por app);
  3. Ler o prospecto de oferta e analisar a empresa;
  4. Avisar a sua corretora que deseja participar do IPO;
  5. Participar do período de reserva (também conhecido como formação de preço);
  6. Ficar entre as melhores ofertas de preço;
  7. Garantir suas ações.

Após essas etapas do IPO, a ação da empresa estará pronta para ser negociada na bolsa de valores. É preciso ressaltar que esse período é caracterizado por alta volatilidade. Então é importante não se desesperar em caso de queda do preço das ações nos primeiros dias.

Conclusão

IPOs são eventos empolgantes para investidores e os donos da empresa. Afinal, é o momento de ver a aceitação pública do negócio ofertado. Além disso, IPOs são a chance de conseguir comprar ações de uma empresa por um preço muito barato.

Contudo, é preciso tomar cuidado na escolha das empresas. Algumas delas fazem IPO apenas para pagar obrigações.

Ainda assim, existem muitas oportunidades para serem exploradas no IPO. É possível encontrar boas empresas a um preço muito barato e ótimo potencial de lucro no futuro.