Lucas Bassotto

Escrito por

Author

Economista, trader e especialista em conteúdo sobre economia, finanças e criptomoedas.

A Faria Lima, em São Paulo, e o Leblon, no Rio de Janeiro, são os endereços que mais concentram profissionais do mercado financeiro no Brasil, embora com mais oportunidade do lado paulista. Isso acontece porque assets, bancos, fundos de investimentos, corretoras, casas de análise estão sediadas nesses locais.

A remuneração entre os profissionais de cargo Sênior costuma ser alta. Para comprovar isso basta dar uma olhada para o preço dos restaurantes e cafés nos arredores. Um almoço na região da Faria Lima não sai por menos de R$ 30, um bom cafézinho custa na média de R$ 7,00.

A alta remuneração e os bônus semestrais estão atraindo jovens de todo o país especialmente para a cidade de São Paulo. Um estagiário ganha um salário base na média R$ 2.000/mês, fora os bônus semestrais, que muitas vezes dobram os ganhos anuais dos funcionários.

No entanto, é preciso cumprir alguns requisitos antes de aplicar a uma vaga. Afinal, o que é necessário para entrar nesse mercado?

Gostar de mercado financeiro 

Gostar do mercado no qual pretende exercer sua profissão é essencial para todos os profissionais, ainda mais quem quer trabalhar com mercado financeiro, que é bastante exigente dos seus funcionários em qualidade e pontualidade das entregas. Isso significa que grandes erros não são tolerados em um ambiente de trabalho extremamente competitivo.

Além disso, é preciso estar sempre estudando e se atualizando para se manter competitivo neste mercado, afinal, existem muitos conhecimentos a serem explorados. A rotina também costuma ser intensa, afinal, ninguém quer perder oportunidades de negócios, para se ter ideia, o pessoal chega a almoçar na mesa.

Pablo Spyer, um dos diretores da Mirae Asset, acorda às 5 horas da manhã para fazer um boletim diário com as novidades mais relevantes. Acordar cedo e dormir tarde é uma rotina de muitos profissionais da Faria Lima e Leblon. Entrar 9h e sair 18h? Esquece. No mercado financeiro toda hora é hora de trabalhar.

Também é preciso ter um senso analítico sobre o conteúdo e a informação que está sendo consumida, ser capaz de estabelecer relações lógicas com uma linha de raciocínio clara e que faça sentido. O mercado muda a todo momento, a tecnologia avança a cada dia, ter adaptabilidade é uma característica essencial para quem planeja entrar nesse mercado.

Além disso, muitos profissionais do mercado financeiro ganham salários fixos mais uma parcela variável. Essa taxa variável vai depender da capacidade da equipe em bater metas. Portando, o profissional deve saber lidar com pressão e se sentir motivado por metas.

Qual curso escolher na universidade?

Estudar em uma boa universidade também é um essencial para aumentar as chances de entrar nesse mercado. Quem se forma na USP, PUC-Rio, FGV e Insper costuma largar na frente. O curso também deve estar em sintonia com os conhecimentos exigidos no mercado financeiro.

Quem pretende trabalhar nessa área, costuma escolher os cursos de engenharia, economia, contabilidade ou administração, porque o conhecimento teórico desses cursos são mais relacionados com o que é abordado na rotina diária do mercado financeiro.

A economia é altamente relacionada com mercado financeiro. Economistas podem ser bons analistas em identificação de tendências e ciclos econômicos, utilizando teorias e modelos construídos com estatística e cálculo (econometria).

Os engenheiros são procurados para trabalhar com programação de algoritmos para estratégias de trading, alocação de carteira e construção de modelos matemáticos. Também não é raro ver engenheiros exercendo função de economistas.

Os contadores possuem um excelente conhecimento para analisar os balanços financeiros de uma empresa. O curso de contabilidade oferece um excelente aparato teórico para fazer uma boa análise fundamentalista. 

Também é possível trabalhar no mercado financeiro com outras graduações, o que realmente importa é a especialização que a pessoa escolhe após a universidade. Os profissionais geralmente fazem um MBA de Finanças.

Certificações para trabalhar no mercado financeiro

Ter certificações é um bom caminho para quem está querendo começar a trabalhar com mercado financeiro. Muitas vezes, elas são um pré-requisito para determinados cargos, como analista ou assessor independente.

As certificações geralmente são emitidas pela Anbima, Apimec ou CFA. Cada certificação tem um propósito diferente: te habilitam para ser analista, consultor de investimentos, gestor de carteiras, trabalhar com segmento de alta renda.

A certificação mais prestigiada de todas é a Chartered Financial Analyst (CFA). A prova é difícil e exige muito estudo e preparação dos candidatos. Quem quer começar, geralmente tira CPA-20 e CEA, as duas certificações da Anbima. 

Em conteúdo são bem semelhantes, mas a CPA-20 é focada em distribuição de produtos de investimentos para clientes de varejo de alta renda em bancos ou plataformas de atendimento.

A CEA, por outro lado, certifica profissionais que assessoram os gerentes de conta de clientes pessoas físicas em investimentos, podendo indicar produtos. Essas duas certificações costumam ser pré-requisito para começar no mercado.

Quem quer se tornar analista e indicar investimentos pode tirar a certificação CNPI para análise fundamentalista ou técnica. Analistas CNPI encontram emprego com relativa facilidade em casas de análise. 

A certificação Ancord também é um pré-requisito para quem quer trabalhar com consultoria independente de investimentos. Muitos escritórios só contratam profissionais com essa certificação.

Os principais cargos do mercado financeiro

Existem diferentes cargos no mercado financeiro. Todos eles exigem profissionais bem capacitados, ambiciosos e capazes de tomar boas decisões. Os cargos mais concorridos são:

Portfólio Manager (Gestor de Carteira)

Gerencia a carteira de investimentos do cliente ou da corretora. Precisa ter a habilidade de identificar, tecnicamente, a melhor estratégia de investimentos de acordo com a necessidade e os pré-requisitos estabelecidos pelos clientes.

Equity Research (Analista de Investimentos)

Trabalha fazendo análise de cenários econômicos, ações e outros investimentos com o intuito de oferecer embasamento na tomada de decisões do Gestor de carteira. Precisa entender tudo sobre o setor da bolsa que está cobrindo: empresas, negócio, relação com a economia. 

Trader

Busca ganhar dinheiro com operações de compra e venda de curto prazo no mercado de ações e commodities. Precisa ter conhecimento do funcionamento dos mercados e de análise técnica. Geralmente operam em mesas proprietárias de grandes bancos com o auxílio de têcnicas como HFT.

Private Banking

Gerencia uma carteira de clientes do segmento de alta renda. Auxilia os clientes mais ricos na escolha dos melhores produtos de investimentos. É preciso conhecer os produtos oferecidos no mercado financeiro e adaptá-los de acordo com o perfil de investidor do cliente. Geralmente, os clientes focam em proteção de patrimônio.

Operador de Mesa

O operador de Mesa fecha negócios de compra e venda com clientes institucionais que movimentam um grande volume por operação. Concentração e agilidade são duas características essenciais que um bom operador de mesa deve ter, já que errar uma operação pode trazer um grande prejuízo financeiro.

Agente Autônomo de Investimentos (AAI)

O AAI é parecido como o gerente de banco, embora tenha menos conflito de interesses com o cliente. São responsáveis por captar e indicar investimentos. Para se tornar um AAI, é preciso tirar a certificação ANCORD. Alguns escritórios recrutam profissionais por salários fixos, mas o atrativo deste cargo é a possibilidade de bônus.

Gestor de risco

É o responsável por mensurar o grau de risco de todas as operações. Ele avalia o risco de mercado, liquidez, legal e de crédito.

Matemática financeira HP12c, Excel, R e Python

Estar em dia com Excel e com os conceitos de matemática financeira são essenciais para quem quer trabalhar na área. Também não se pode esquecer de carregar uma calculadora HP12c no bolso, uma das calculadoras mais utilizadas no mercado.

R e Python são linguagens de programação para quem quer ir além do Excel e realizar: modelagem financeira, programação de robôs, automatização de tarefas, análise de um volume gigantesco de dados, algo-trading e muitas outras tarefas que não são fáceis de serem feitas à mão.

Somando tudo isso com as certificações, o candidato a uma vaga de estágio terá um grande diferencial em relação aos concorrentes. 

Quer trabalhar no mercado financeiro? Melhor começar a estudar

O mercado financeiro é um dos ramos mais competitivos e exigentes. O profissional que pretende entrar nessa área precisa se cobrar e manter uma rotina de estudos. Afinal, você estará lidando com dinheiro dos outros, o que deixa o nível de cobrança mais elevado.

Correr para tirar as certificações, manter o Excel e a matemática financeira em dia são essenciais para quem quer começar bem nesse mercado. Nem é preciso lembrar o domínio da língua inglesa é obrigatório.

Caso queira conhecer melhor a rotina, confira a reportagem da Veja, que conta um pouco da rotina dos profissionais do mercado financeiro na Faria Lima.

Leia também:

Fintwit: como o Twitter se tornou o maior fórum de finanças do mundo

Os melhores livros sobre investimentos para iniciantes

Como decidir a hora de fazer um trade

Write A Comment