João Vitor

Escrito por

Author

Trabalha como consultor financeiro, é estudante de Engenharia Química pela Unesp e escreve sobre temas relacionados a economia, finanças e investimento.

No contexto do mercado de ações, a maioria dos investidores busca comprar ações nas quais acreditam na rentabilidade, através da valorização das mesmas, seja esta em uma estratégia de curto ou a longo prazo.

O que são dividendos?

Uma forma de lucratividade não tão explorada é um plano traçado a partir do pagamento de bons dividendos a longo prazo. Os dividendos são parcelas do lucro de uma determinada empresa, dentro de um determinado período.

Vale salientar que esses períodos de pagamento vão variar de empresa para empresa, e estão relacionados diretamente com questões ligada ao lucro, à estratégia adotada pela companhia em relação a forma de atrair mais investidores ou até mesmo no desfecho do calendário contábil.

Sendo assim, a quantidade de ações que determinado investidor possui, ele receberá proporcionalmente seus dividendos. Empresas de capital aberto, são obrigadas por lei no Brasil a pagar pelo menos 25% do lucro líquido da mesma para seus acionistas.

Obviamente esse 25% é o mínimo, porém parte das empresas acabam pagando mais que isso, e até mesmo aumentando isso ao longo do tempo. 

Isso acontece com empresas que estão buscando atrair ainda mais investidores, afinal, dentro de uma volatilidade tão grande de crescimento e queda do valor das ações, um dividendo alto em determinado período seria interessante para os acionistas.

Uma vantagem importante dos dividendos é que seria uma renda isenta de imposto de renda, ao passo que o lucro com a valorização das ações exige esse pagamento. Justamente pelas empresas já terem pago o imposto de renda desse valor antes da distribuição aos acionistas é que se torna desnecessária essa nova cobrança.

Essa é inclusive uma discussão que está em pauta atualmente, pois dentro da proposta da reforma tributária da equipe econômica do atual governo, estava sendo proposto essa tributação de dividendos..

Outra vantagem associada a se expor a esse tipo de ação é que se uma empresa paga bons dividendos, muito provavelmente ela está tendo bons lucros no mercado, que por sua vez estará associado talvez a uma boa valorização de sua ação.

Leituras sugeridas:

Quais são os tipos de dividendos?

Temos 3 tipos de dividendos: Juros sobre capital próprio, Dividendo especial extraordinário e a bonificação. O juro sobre capital próprio não é isento de impostos como os demais tipos de dividendos, pois é colocado como um “gasto” da empresa nas questões formais da contabilidade. Sendo assim, é uma forma da empresa pagar menos impostos, passando essa taxa para o acionista, que por sua vez, também vai lucrar com isso.

Dividendo especial extraordinário é um tipo de remuneração paga aos acionistas em momentos oportunos, dentro dos quais estão inseridos em um contexto de bons lucros, talvez mesmo maiores do que a empresa esperava. Sendo assim, esse lucro extra acaba sendo dividido com os investidores como forma de manter atraídos àquele ativo.

A bonificação é quando o pagamento feio ao acionista é realizado em próprias ações, ou seja, aumentando o número de ações que ele já tem naquela empresa. Pode ser interessante para o acionista alavancar sua participação naquela empresa, caso ele consiga lucro e ao mesmo tempo acredita no projeto e em seu crescimento.

Quais empresas que pagam mais?

Dentro do atual contexto, analisando o mês de setembro de 2020, temos algumas empresas interessantes no pagamento de dividendos que são estrategicamente pensadas para o momento em relação a expectativa do futuro próximo. Além disso analisando o ano todo também incluímos algumas deles nesse meio. São elas:

BB Seguridades (BBSE3): Com 4,14% de Dividend Yield (DY), que é um medidor do pagamento de dividendos em relação ao preço da própria ação. A BBSE3 está pagando 10,23% ao ano, essa opção não tem grandes volatilidade de alta e queda, porém a longo prazo pode ser uma alternativa de ótimos dividendos e valorização.

TAESA (TAEE11): Paga aproximadamente 8,45% ao ano e ainda tem grande potencial de crescimento. Conta ainda com 1,69 de DY. Apresentou um superior a 42% esse ano em relação a 2019.

VIVO (VIVT4): Com dividendos de aproximadamente 6,13% ao ano, a Vivo é atualmente umas principais opções, apresentando um DY de 2,54%.

ITAÚSA (ITSA4): Ótima opção do Itaú, com pagamentos de aproximadamente 5,73% ao ano em dividendos.

Vale (VALE3): Pagamentos de dividendos de aproximadamente 2,3% ao ano, foi uma das que mais pagou na história e ainda tem grande potencial de crescimento. Conta ainda com 2,41% de DY.

Banco Santander (SANB11): Apresentou o terceiro maior DY de 2020, igual a 2,54%. Em crescimento em relação a 2019, que foi de 1,82%.

Analisando os últimos 5 anos, temos destaques para os maiores pagamentos de dividendos de forma histórica:

Comgás (CGAS5): Foi a melhor pagadora de dividendos dos últimos 5 anos, com 12,2% de DY.

Enauta (ENAT3): Apresentou nos últimos 5 anos um DY de 8,8% e está entre os destaques.

TAESA (TAEE11): Desde de 2018, a empresa obteve um retorno de patrimônio líquido igual a 24,7% e como citada, está entre os destaques históricos desse pagamento.

BB Seguridades (BBSE3): Que além de todas as informações citadas, está pagando dividendos há um bom tempo. Só em fevereiro 2020 chegou a pagar R$ 1,8984 de dividendo por ação.

Banco Santander (SANB11): Realiza pagamento de dividendos desde 2019.

Analisando-se os setores que historicamente de maior participação dos que pagaram mais dividendos nos últimos 5 anos, temos: Setor bancário, com o maior número de representantes nesse quesito, setor de energia elétrica, e também seguradores.

O índice mais importante em relação aos excelentes pagadores de dividendos é o IDIV que é uma carteira teórica de ativos ao qual mede o desempenho geral de que pagam esses proventos. Vejamos o desempenho do IDIV através do gráfico de sua variação nos últimos tempos:

Além disso, há uma forma de se expor as ações pagadores de dividendos por meio da compra de cotas da uma ETF muito conhecida que é a DIVO11, que reúne as empresas com maior DY do mercado. 

Quando analisamos opções importantes para se analisar dividendos, é muito importante verificar os setores que mais pagam, aliados ao perfil e aos objetivos do investidor, além das particularidades de cada ação que podem resultar em relações diferentes de dividendos/valorização.

Write A Comment