Como usar a análise gráfica para identificar queda no mercado de ações?

Como usar a análise gráfica para identificar queda no mercado de ações?

Nos ativos de renda variável, é muito comum encontrarmos diferentes formas de se avaliar o comportamento das oscilações de preço dos ativos, por análise gráfica por exemplo e assim, tentar prever alguma tendência de alta ou de queda. No caso do mercado de ações, a movimentação dos preços acontece de forma bastante dinâmica, dependendo do ativo que se está estudando.

Essas oscilações podem gerar oportunidades, desde que se saiba os momentos corretos de compra e venda, principalmente antecipando as quedas das ações. Os diferentes tipos de análise no mercado de ações podem ser: Análise fundamentalista, análise técnica e análise gráfica.

A análise fundamentalista se refere às questões ligadas ao projeto da empresa, fluxo de caixa, fatores políticos e econômicos do país, situação financeira da companhia, enfim, fatores diretamente dependentes com resultados da empresa

Esse tipo de análise é feito com o objetivo de se ter lucros a longo prazo, o conhecido buy and hold. Sendo assim, acabam não sendo condizentes ao perfil de investidores que tem um perfil mais arrojado, em especial, às práticas de day trade e swing trade.

Veja também: Day trader perde R$240 mil em dois dias operando ao vivo no Youtube

O price action, como o próprio nome sugere, descreve a ação dos preços e sua movimentação. Existem diversas técnicas e indicadores importantes no price action que podem nos indicar algum momento de possível queda no mercado de ações.

Nesse contexto, podemos incluir a análise de candlesticks, estudo de tendências, padrões gráficos, figuras e até o uso de indicadores. Cada um destes será utilizado de maneira específica para localizar tendências de alta e também de queda, quando forem pertinentes.

As operações de trade no mercado de ações acabam sendo dinâmicas, juntando todo esse conhecimento de price action de uma vez só, embora vamos tratar cada um dos conceitos de forma pontual.

Importante dizer ao leitor que não é interessante operar no mercado apenas por notícias específicas ou utilizando apenas um dos conceitos de price action. Vale lembrar que as notícias acabam refletindo nos preços, e assim, a análise gráfica acaba sendo suficiente para refletir as notícias, embora seja importante continuar acompanhando o que acontece no mercado.

Veja também: Mini dólar WDO: Tudo que você precisa saber para começar a investir

Vale ressaltar que qualquer queda no mercado de ações é bastante comum de acontecer, seja ela relacionada a alguma correção de preço ou então acontecimentos marcantes, tanto da empresa em questão, quanto no cenário político e econômico.

É comum que alguns grandes investidores acabem vendendo suas ações após sucessivas altas no mercado, e assim, eles acabam colocando seus “bilhões” de lucro no bolso antes de entrar nas operações novamente.

É com esse grande volume de venda de ações que acontece alguma queda no mercado de forma mais considerável, e às vezes pode assustar muitos investidores desavisados. Nesse momento, um investidor preparado e experiente sabe que essas quedas podem gerar ainda mais oportunidades de compra e de ganhos.

Sendo assim, vamos explicar aqui alguns conceitos simples, mas que são extremamente importantes na análise gráfica, para que assim, o investidor possa identificar com mais facilidade os momentos que antecedem a uma queda no mercado de ações.

Identificando as tendências de queda no mercado de ações

Importante relembrar como funcionam as linhas de tendência de um gráfico, já que elas acabam baseando outros diversos conceitos. As linhas de tendência conectam dois pontos com preços distintos e em tempos-gráficos diferentes, de modo que essa linha vai descrever os momentos de queda no mercado de ações em algumas ocasiões.

Desse modo, um nível de suporte demonstra a região de preço aos quais os investidores estão com mais disposição para comprar, enquanto um nível de resistência é onde os investidores estão mais dispostos a vender suas ações.

Para identificar suportes e resistência em um gráfico, basta verificar quais são os topos e fundos que podem facilmente ser verificados. Em uma tendência de baixa, o gráfico com os topos e fundos se comportaria da seguinte forma:

Como usar a análise gráfica para identificar queda no mercado de ações?

Para localizar a tendência ao qual se está analisando, fica fácil observar neste caso que se trata de uma tendência de queda no mercado de ações, já que é possível notar a presença de topos e fundos descendentes.

Como usar a análise gráfica para identificar queda no mercado de ações?

Num gráfico como este, os topos e fundos são ascendentes, ou seja, tanto os topos acabam atingindo patamares maiores com o passar do tempo como também os fundos, nos demonstrando que estão, nesse caso, em uma tendência de alta.

No caso inverso, pode-se então traçar uma linha de tendência de queda no mercado, como na demonstração a seguir:

Como usar a análise gráfica para identificar queda no mercado de ações?

A análise gráfica de candlesticks na queda

Os candles são muito utilizados pelos traders, seja qual for a modalidade que mais se identifique. Isso acontece porque é a forma mais simples de se analisar o comportamento de um ativo, de uma forma mais resumida e informativa em certo intervalo de tempo.

É muito mais fácil prever o que pode acontecer com o preço, estabelecer linhas de tendência e ficar mais seguro das decisões que se vai tomar em um trade quando se enxerga através de candlesticks, e assim, se identificar queda no mercado de ações.

O sentimento do mercado é visto através das quantidades de compra e venda dos ativos, que por consequência, é refletido nos preços. Sendo assim, o candlestick se torna a maneira mais efetiva para os investidores poderem enxergar oportunidades.

Dentro das mais variadas combinações de candles, podemos enxergar padrões, que por sua vez, se repetem de forma periódica. Obviamente que qualquer repetição de um padrão gráfico não se concretiza em todos os casos, se não seria muito fácil prever uma queda no mercado de ações a qualquer momento.

Mas entender esses padrões é importante para aumentar a probabilidade de acerto numa compra e principalmente numa venda, para acabar não entregando tudo que foi anteriormente obtido em lucro.

O conjunto de candlesticks poderá formar figuras que nos ajudará a perceber momentos de reversões de tendência e também padrões gráficos que antecedem uma queda. Existem diversos tipos de figuras que podem ser formadas a partir dos conjuntos de candlesticks.

Desse modo, os padrões de candlesticks com tendência de baixa, levam a se ter uma melhor previsão de momentos em que os preços têm uma maior possibilidade de cair, após esses padrões que serão mostrados terem ocorrido.

Vamos relembrar quais são apenas os padrões de candlesticks de baixa. São eles:

• Engolfo de Baixa, Doji (acima);
• Shooting Star;
• Enforcado;
• Marubozu de Baixa;
• Harami de Baixa;
• Tempestade;
• Kicker de baixa.

Como usar a análise gráfica para identificar queda no mercado de ações?

Eles são melhor analisados, quando colocados dentro de figuras, como vamos ver a seguir.

Análises gráficas que identificam queda no mercado de ações

Temos dois tipos de figuras dentro da análise gráfica: As figuras que podem representar tendências de continuidade e as figuras que demonstram uma tendência de reversão. No caso aqui a análise é em torno da queda no mercado de ações.

Desse modo, as de continuidade mostram uma breve “pausa” na tendência de queda, mas que em seguida tem uma probabilidade maior de continuarem caindo. Já nas de reversão vamos tratar daqueles gráficos que estão em uma tendência de alta, mas que podem nos sinalizar que uma queda está por vir.

A primeira figura de reversão que vamos tratar aqui que sinaliza uma futura queda no mercado de ações é o canal de alta. Ele é uma conformação do gráfico ao qual apresenta topos e fundos ascendentes, e assim, podemos traçar uma linha em cima e embaixo do gráfico, de modo a observar esse canal.

Como usar a análise gráfica para identificar queda no mercado de ações?

O canal vai seguindo sua tendência de subida no gráfico, até que ele tende a se quebrar e obter uma baixa assim que houver o rompimento da linha de tendência de alta (LTA). A queda no mercado de ações, nesse caso, será de módulo correspondente a distância entre a linha de canal (resistência) e a linha de tendência de alta (suporte).

Outro padrão gráfico a ser analisado para prever uma queda no mercado de ações é o ombro-cabeça-ombro (OCO), no qual existe na figura uma conformação de 3 topos seguidos, aos quais os dois da ponta são parecidos entre si e o do meio acaba sendo maior.

Como usar a análise gráfica para identificar queda no mercado de ações?

Após a ocorrência de um OCO, rompendo para baixo da linha de pescoço que está demonstrada na figura, o preço terá uma tendência de baixa. Esse é um sinal muito importante para se prever uma queda no mercado de ações.

Outro conceito importante de figura é o topo duplo. Já se mostrou aqui o que são fundos e também o que são topos de um gráfico, desse modo, fica fácil pensar em como se dará fundos e topos duplos, como podemos ver na figura a seguir:

Como usar a análise gráfica para identificar queda no mercado de ações?

Para um topo duplo, a lógica é que o preço da ação tenderá a romper abaixo da linha de suporte dessa figura, que no caso da ilustração corresponde ao valor do fundo localizado ao meio dos dois topos. Para ficar mais fácil de se memorizar, topos terão formatos de “M”.

Outro sinal de reversão que vamos citar aqui é justamente a diminuição das distâncias entre topos e fundos. Sendo assim, percebe-se que os topos e fundos estão ficando mais próximos entre si, de modo que se espere que em algum momento eles até possam inexistir e o gráfico lateralizar.

Desse modo, se diminui os spreads de preço e o mercado entra em certa “exaustão”, percebendo-se nitidamente sua dificuldade em continuar subindo, consequentemente abrindo numa queda das ações.

Outro sinal muito importante de reversão é o rompimento da linha de suporte após uma forte alta. Desse modo, traçando esta linha no gráfico a seguir, vemos claramente um rompimento contrário da LTA que vinha se formando.

Gatilhos de entrada

A parte importante de se operar levando em conta este sinal de reversão, é que este só se deve ter uma possibilidade maior de se vender o ativo, caso este confirme o rompimento, desse modo é importante aguardar a conclusão do rompimento de forma um pouco mais visível.

A partir de então temos as figuras que sinalizam continuidade na tendência de queda do mercado de ações. Essas figuras representam uma pausa na tendência que estava se formando até que o gráfico se lateralize.

Após essa lateralização do gráfico, as figuras de continuidade indicam uma maior possibilidade de que a tendência de queda que estava se formando antes possa continuar caindo da mesma forma. Em resumo, se há uma tendência de baixa, essa interrupção vai ocorrer e logo em seguida os preços continuam em queda.

A primeira figura de continuidade de queda é o retângulo de baixa. Além de prever a continuidade da tendência de baixa, essa figura ainda pode descrever até que ponto essas ações devem cair, equivalente ao módulo da distância entre as linhas de suporte e resistência do retângulo formado.

Seguindo essa ideia, algumas outras figuras de continuidade de queda no mercado de ações bastante utilizadas pelos traders de análise gráfica são a bandeira e a flâmula de baixa. A representação delas está na imagem:

Bandeira

Na bandeira de baixa, ocorre a formação de um retângulo inclinado, com duas ondas de impulsão no preço, sinalizadas pela linha verde, e em seguida, uma correção, que é mostrada pelas linhas de suporte e resistência da correção realizada.

Essas ondas que se descrevem aqui, são muito conhecidas no conceito de análise gráfica como as Ondas de Elliot, ao qual também é um indicador presente em plataformas para indicar tendências.

Tanto as bandeiras quanto as flâmulas apresentam diversas semelhanças. As duas apresentam o que chamamos de mastro, que descreve a alta obtida anteriormente à correção. Vale lembrar que elas surgem a partir de uma mistura de outras figuras gráficas.

Na bandeira de baixa, temos a presença de um canal de baixa durante a correção do preço e na flâmula de baixa ocorre também uma cunha de baixa. O que acontece aqui é que há outros padrões de figuras gráficas dentro dessas figuras.

Temos outras 2 figuras para indicar a queda no mercado de ações por meio da análise gráfica: Triângulo descendente e triângulo simétrico de baixa. Elas são parecidas, mas com algumas ressalvas pontuais:

Triangulo
Nos triângulos descendentes, as figuras formadas são muito semelhantes a triângulos retângulos. Nesse caso, a queda da ação virá a partir da quebra da linha de suporte, que é no formato retilíneo que vemos na imagem acima.

A diferença nos triângulos simétricos, é que as linhas de suporte são curvadas, onde tanto os topos quanto os fundos da interrupção de tendência são descendentes, enquanto nos triângulos anteriores apenas um deles será descendente.

Conclusão

A pandemia trouxe um período de uma brutal queda no mercado de ações durante o mês de março de 2020. No entanto, passou-se um longo período de recuperação, até que o Ibovespa atingisse o maior patamar de sua história no mês de janeiro de 2021.

Mas assim como é importante analisar os momentos de alta, é essencial que se veja também os momentos de queda. Para isso, aprender os conceitos de operar vendido, por exemplo, pode ser bastante útil para se conseguir ganhar dinheiro na queda do mercado de ações.

No entanto, o conhecimento de diversos recursos da análise gráfica pode auxiliar a saber em que momento realizar esse tipo de operação, afinal, se você estiver vendido em um ativo e eles começar a subir muito, poderá ter prejuízos enormes como vimos com grandes investidores do caso Gamestop nos EUA.

É por isso que além de acompanhar os noticiários, entender o contexto de medo ou euforia que o mercado está inserido e apresentar maestria na identificação de queda no mercado de ações ou até mesmo de reversão de uma alta se torna não só um diferencial de um trader, mas uma chance de gerar oportunidades.

Veja também: Price Action: Fundamentos principais desse tipo de análise de ativos

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts