Camila Russar

Escrito por

Author

Designer, marketeira de produto e apaixonada por escrever textos sobre tecnologia e startups.

Criar um bom planejamento é essencial para você viajar barato. Muitas vezes, ele é seu principal aliado. 

Com uma boa antecedência, é possível encontrar passagens baratas, descobrir datas em que atrações no destino são gratuitas e reservar hospedagens sem nenhum custo de cancelamento. 

Neste texto, reuni algumas dicas para você viajar barato no próximo ano. 

Perca a vergonha

A primeira dica vale muito em conjunto com algumas das seguintes: não tenha vergonha de falar, apontar, perguntar, pedir e fazer mímicas. Essas habilidades podem te tirar de muitos perrengues e também fazer você economizar um bom dinheirinho.

Marcar a data

Muitas pessoas tiram férias justamente em alta temporada, por isso, não têm muita escolha em relação à data. Professores, servidores públicos e trabalhadores de fábricas têm férias coletivas, que normalmente acontecem no meio, final e início de ano. 

Nesse período, as passagens e hospedagens podem chegar a preços estratosféricos, por isso, principalmente para esse grupo, o planejamento é fundamental. 

Mas, se você tem a liberdade de poder escolher seu período de férias, escolha a baixa temporada pela diferença nos preços. 

O que é baixa temporada? 

Aí vem uma pegadinha. Se você for fazer uma viagem internacional, a alta/baixa temporada pode variar do padrão brasileiro. Na Europa, por exemplo, o pico do verão é em agosto, enquanto no Brasil, neste mês, as aulas já voltaram e muitos já retornaram ao trabalho também. 

Por isso, pesquise sobre a data da alta temporada em seu destino. 

Mas meu sonho é esquiar em Bariloche

Às vezes queremos ter experiências que aquele lugar só proporciona nas altas temporadas. Se esse for o seu caso, planejar suas férias se torna ainda mais importante para viajar barato.

Escolher o destino

Escolher um destino pode ser muito fácil se você tem um grande sonho de conhecer um país, cidade ou atração. Tomando Paris como um grande clássico, não é dos mais baratos, mas com planejamento, é possível chegar lá.

Viajar para Paris barato
Paris

Para quem não tem certeza de onde quer ir, limitar pelo fator preço pode ser muito bom. O Skyscanner, um site de busca de passagens aéreas, permite que você faça uma busca somente pela sua origem. Ou seja, você seleciona a opção “Qualquer Lugar” e ele lista os destinos a partir do seu ponto de partida do menor para o maior preço. 

Montar um orçamento

Ao montar seu orçamento, faça um checklist com tudo o que você precisa gastar naquela viagem: 

    • passagem; 
    • estadia; 
    • alimentação; 
    • atrações; 
    • internet; 
    • seguro viagem; 
    • roupas ou outros itens que precisa comprar antes de viajar; 
    • taxas de transferência de dinheiro; 
    • taxas dos cartões de crédito; 
    • aluguel de carro; 
    • traslados; 
    • e um valor para compras no destino (se for querer algum souvenir). 

Não pense só na passagem e hospedagem. Dependendo da viagem, esses gastos podem ser menores que todos os outros somados. 

Depois da sua lista completa, faça orçamentos e negocie. Se você for comprar um pacote, por exemplo, você pode mostrar valores de outros orçamentos para tentar abaixar o preço em sua agência. 

Manter o orçamento

Durante a viagem, manter o orçamento estabelecido pode ser uma das coisas mais difíceis de se fazer. Por isso, antes de viajar, estabeleça sua meta de gasto diário. Assim, você já sabe em qual refeição pode investir mais ou se deve comprar aquela lembrancinha R$10 mais cara que o planejado. 

Pontos, milhas e cashback

Esses benefícios podem te ajudar e muito nas contratações e compras pré-viagem. Consulte o seu cartão de crédito para ver quantos pontos você tem disponível e se podem render trocas em milhas. Com as milhas, você pode, por exemplo, comprar um dos trajetos da viagem. 

Dinheiro

Se sua viagem for internacional, faça contas antes de trocar a moeda. Cote o valor em diferentes caixas de câmbios, pois elas têm valores e taxas diferentes. Apesar do IOF, em alguns casos, o cartão de crédito pode ser sim um aliado. O cartão do Nubank, por exemplo, considera o preço do dólar no dia em que você fez a compra, por isso, você não terá surpresas no fim da sua fatura. 

Talvez esse seja o ponto mais complicado do planejamento para sua viagem. É preciso colocar na ponta do lápis os valores para gastar o menos possível. 

Em caso de emergências, se você já estiver no destino e precisar de dinheiro, existem algumas casas de câmbio como a Western Union. Nela, você pode receber o dinheiro em qualquer uma das unidades ao redor do mundo. 

Para isso, basta uma pessoa depositar o dinheiro para a agência no Brasil e informar os dados do favorecido. Na maioria dos países, após 5 minutos da confirmação do depósito você já pode retirar o dinheiro. 

Comprar as passagens

Aqui, a antecedência é sua melhor amiga para viajar barato e o google também. Quanto mais perto da data em que você pretende viajar, mais caras normalmente são as passagens. Por isso, comece a olhar o preço das passagens assim que possível. 

O Google tem uma ferramenta que pode ajudar muito nessa busca, o Google Flights. Com ela, você consegue criar alertas e receber e-mails diários com os preços das passagens para o destino que você procura. 

viajar barato google flights

Traslados 

Durante a viagem, você provavelmente vai utilizar o transporte público. Algumas cidades disponibilizam pacotes de 3, 5, 7 ou mais dias, com um preço bem menor e com passe liberado.

Não deixe de pesquisar sobre esses bilhetes da sua cidade destino antes de chegar lá. Tem alguns lugares, por exemplo, em Paris, que se você for usar um passe prolongado, ele precisa ter uma foto 3×4 sua. Nos sites das prefeituras normalmente você encontra essas informações.

Aeroporto para a cidade

Em alguns destinos, o aeroporto não é tão perto assim e não tem oferta de transporte público. Normalmente nesses casos existem opções de transfer e táxis, mas podem ser bem carinhos. 

Aí que entra a minha primeira dica que dei lá em cima. O táxi pode ser a sua melhor opção se você dividir ele com alguém. Chegue perto do ponto em que os carros estão parados e converse com suas pessoas ao seu redor. Se conseguir dividir um táxi por 4 pessoas, mesmo desconhecidas, pode ser uma economia gigante.

Reservando a estadia

Sabia que você pode ficar de graça na casa das pessoas? Esse é o serviço que o Couchsurfing presta. Ele une viajantes com pessoas que têm espaço disponível em sua casa para recebê-los. 

Se estiver preocupado com a segurança, o Couchsurfing não é diferente de outros serviços de hospedagem e tem uma avaliação tanto sua, quanto de quem irá te receber. Assim, você sabe o que esperar do seu hostes. 

O Hostelword também é uma opção para quem quer gastar pouco. Lá, estão listados milhares hostels ao redor do mundo, que são hotéis mais simples, com quartos compartilhados. 

O que comer?

Escolha uma refeição principal por dia e, para as outras, visite um supermercado. Como em sua cidade, os supermercados têm os preços mais baratos. Então se equipe de pães de forma, queijo, presunto, fruta e água e encha sua mochila para passar o dia, não tenha vergonha de tirar sua “farofa” da bolsa. Isso ajuda muito a viajar barato.

Para mim, comer a comida local é uma das melhores experiências da viagem. Não deixe de reservar um momento no dia para fazer isso, nem que seja em feirinhas de rua ou fast food local. 

Escolhendo as atrações

Muitos museus e atrações tem um dia específico na semana ou no mês que são totalmente gratuitos. Quando for montar seu roteiro, identifique esses dias e construa a partir deles. Só lembre que todos também vão querer aproveitar a gratuidade e chegue cedo!

Outra forma de conhecer a cidade com um custo bem baixo é o free walking tour. Nele, você anda pela cidade a pé, em transporte público ou de bicicleta com um guia local explicando as curiosidades e, ao final, ele pede uma gorjeta pelo serviço prestado.

Usar a internet 

Muitos locais tem wi-fi grátis. Assim, pode ser que não seja necessário a compra de pacotes de internet. Também existem aplicativos, como o Instabridge, que te ajudam a encontrar as senhas dos wi-fis da região. É um app colaborativo, cada usuário vai alimentando o banco de dados de senhas.

Mas, para não ficar perdido e não ter como fazer pesquisas no seu celular, antes de viajar baixe o mapa offline do local. Existem algumas alternativas como o Maps.me. Nesses aplicativos, você também pode marcar os pontos que quer visitar e onde está se hospedando. 

Tax Free

Parte do valor que você gastou em seu destino pode ser reembolsado. Em compras de produtos duráveis, você paga impostos que são revertidos para a população do país. Como você não vai aproveitar esse benefício, ao sair do país, no aeroporto ou em postos específicos, você leva suas notinhas e recebe parte do dinheiro de volta. 

Essa taxa varia de país para país. Você só vai precisar de mais tempo no aeroporto para entender o processo todo e encontrar os locais de reembolso.

Seguro viagem para viajar barato

Faça um seguro viagem. Aqui é aquele famoso o barato sai caro. Imprevistos acontecem e se você não estiver protegido pode ter que gastar o que tem e o que não tem. Inclusive, em alguns países você não entra se não tiver o seguro contratado.

As opções de seguro são várias, Assist Card, SulAmérica, dos próprios bancos e também dos cartões.

Para alguns cartões de créditos com mais benefícios, ao comprar a passagem com ele, você automaticamente ganha um seguro viagem, você pode já ter pagado por isso e nem sabe. Confira com seu banco se esse produtos está disponível para você.

Bagagem 

Por fim, a bagagem. Hoje, as cias aéreas cobram por bagagem despachada. Por isso, vá com pouca mala. Além de evitar gastos para transportar, você evita desconfortos de carregar malas enormes de um lado para o outro. 

Mas, se sua mala grande for essencial, procure as companhias aéreas com antecedência e compre a opção de despacho. Se deixar para comprar na hora, será muito caro.

Tem mais alguma dica para viajar barato? Compartilha aqui com a gente! É sempre bom gastar menos e aproveitar mais, né?

Leia também: 

  1. A primeira parcela do décimo terceiro já foi. Sabe o que fazer com a segunda?
  2. Quais são os melhores bancos digitais no Brasil?

Write A Comment