Na contramão de Ford e Audi, Renault investe $1,1 bilhão no Brasil

Na contramão de Ford e Audi, Renault investe $1,1 bilhão no Brasil

A Renault anunciou nesta segunda-feira (1) o investimento de aproximadamente R$1,1 bilhão no Brasil. A ideia é que os investimentos ainda sejam acompanhados de diversas novidades da linha de carros da Renault dentro do Brasil.

A divulgação acaba surgindo em meio a fuga de algumas montadoras do mercado brasileiro, como aconteceu recentemente com a Ford, episódio que acabou gerando grande polêmicas e discussões a respeito do custo-brasil.

Apesar disso, a Renault acabou indo na contramão dessa ideia e decidiu fazer um investimento bilionário dentro do território brasileiro e a inserção de novos modelos de carros que poderão surgir no país mais adiante.

Os investimentos da Renault serão destinados à fábrica localizada em São José dos Pinhais, no Paraná. Além disso, a montadora pretende desenvolver um novo motor turbo para sua linha de veículos.

No anúncio da Renault, que foi realizado pelo presidente da montadora no Brasil, Ricardo Gondo, destacou-se que 5 novidades devem surgir no Brasil até a metade do ano de 2022. Além disso, dois modelos de veículos elétricos também devem ser lançados em breve.

Veja também: PIX: Saiba quais são os golpes mais comuns

O vice-presidente sênior da Renault para a América Latina, Luiz Fernando Pedrucci, afirma que o mercado brasileiro ainda continua sendo estratégico para a Renault, o que justifica os investimentos que vêm sendo feitos pela empresa no país.

Pedrucci afirmou que “O mercado brasileiro continua sendo estratégico para o Grupo Renault. A aprovação de um novo ciclo de investimentos para futuros projetos depende da melhoria da competitividade. Fatores como a complexidade e alta carga tributária, os altos custos logísticos e de fabricação comprometem a competitividade para fabricar no país”.

O investimento da Renault no Brasil vem na contramão das saídas de empresas como Ford e Audi no começo de 2021 do país. Os investimentos que surgem nesse período, embora sejam em um curto prazo, mostram que a companhia deve tentar ter um aproveitamento maior sobre os espaços que foram deixados pelas outras montadoras.

Acordo com sindicato e fala do CEO da Renault, Luca de Meo

O investimento acabou surgindo após dois episódios importantes que aconteceram nos últimos períodos. Um deles foi o acordo coletivo que a Renault conseguiu desenvolver junto ao sindicato de metalúrgicos de Curitiba.

O acordo foi renovado até o ano de 2024, e dá uma tranquilidade para a Renault nas relações de trabalho com seus funcionários por mais alguns anos, pelo menos é o que se tem expectativa até o momento.

A companhia afirmou que com esse acordo, se consegue uma maior flexibilidade e previsibilidade, que são elas são fatores essenciais para que se tenha a aprovação de mais um ciclo de investimentos no Brasil.

Outro episódio a se destacar antes do anúncio da Renault, foram as falas do CEO da empresa, Luca de Meo, durante uma entrevista realizada ao Automotive News. Na ocasião, ele disse que iria rever os investimentos de curto prazo no Brasil e usar o dinheiro para outros modelos, em especial, o inédito Bigster ou o Duster.

Além disso, o CEO destacou a importância de se acabar com os prejuízos da Renault dentro do Brasil, de modo que a companhia deve rever as operações para que assim se consiga reduzir os gastos de produção no país.

Veja também: O que esperar da bolsa no mês de março?

Total
24
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts