Nova York se posiciona contra as plataformas de empréstimos com criptomoedas

Nova York se posiciona contra as plataformas de empréstimos com criptomoedas

Parece que temos uma nova guerra financeira: desta vez, seria Nova York tomando uma posição para evitar ações de empresas que trabalham com empréstimo de criptomoedas. A procuradoria, que é comandada por Letitia James, anunciou novos esforços para proteger os investidores.

Também serão enviadas notificações para empresas do setor de empréstimos com criptomoedas, para que seja feito um acordo e que estas empresas deixem de prestar serviços para o estado de Nova York. O movimento parece ser um pouco contrário do que aconteceu em Miami, onde o Prefeito da cidade irá distribuir criptomoedas aos moradores.

Segundo as informações que constam no documento da procuradoria, as plataformas de “crypto lending” são empresas que utilizam dos lucros através de empréstimos para oferecer retornos aos investidores através das criptomoedas.

O que as entidades de Nova York entendem que são as plataformas de empréstimos com criptomoedas?

Para a procuradoria, as plataformas de empréstimos com criptomoedas trabalham da seguinte maneira: quem deposita recebe o lucro, quem empresta da plataforma é que paga os juros, como funciona em um banco tradicional.

Já está registrado como uma lei do estado de Nova York, todas as plataformas que atuam precisam estar registradas no Escritório da Procuradoria Geral, para que assim possam desempenhar as suas atividades dentro do estado e oferecer produtos gerais para os cidadãos que residem em Nova York.

Segundo algumas cartas que passaram pela Procuradoria Geral, fica entendido que as plataformas de criptomoedas precisam seguir a lei, e que por isso já estariam sendo designadas duas companhias para a atuação no estado, atuando para pedir respostas das empresas de criptomoedas sobre as suas atividades ligadas com empréstimos.

Nexo e Tether se posicionaram

Mesmo que o nome das companhias não tenham sido divulgados, a Nexo, plataforma de empréstimos de criptomoedas que é líder no mercado europeu, se pronunciou através do Twitter.

A plataforma Nexo respondeu informando que recebeu a carta das autoridades de Nova York e que ela não tem nenhum sentido, já que a mesma não oferece serviços voltados para o estado de Nova York. A Nexo têm crescido no mercado de criptomoedas, conseguindo competir com gigantes como Binance e Huobi, oferecendo bons produtos, sobretudo em programas de staking.

Mesmo com o protesto da Nexo, usuários afirmaram que ela pagou com recompensas na região de Nova York, o que a colocaria na jurisdição do estado norte-americano, o que poderia justificar as cartas enviadas pela entidade regulatória.

Inquérito que investiga a Tether está aberto

Um inquérito que investiga a Tether teria sido reaberto, que exige detalhes sobre transações consideradas suspeitas, clientes, detalhes sobre contratos e mais. A Tether pode ser uma das empresas que supostamente foi citada por Letitia Jame, com a tentativa de forçar respostas por parte da entidade.

Com o avanço recente do mercado de criptomoedas, é normal que cada vez mais apareçam grandes empresas oferecendo empréstimos de criptomoedas, tanto no mercado de varejo como também por parte de investidores institucionais. E se isso acontecer, é normal que os estados entrem no meio das discussões

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts