João Belarmindo

Escrito por

Author

João Belarmindo. Graduando em administração pela UERJ, aficionado pelo mercado financeiro. Cobre assuntos como finanças pessoais, carreira, negócios e investimentos.

Na última quarta-feira (14), os papéis de Magazine Luiza passaram a ser negociados com desdobramento de um para quatro, ou seja, 1 ação de MGLU3, que já estava na faixa R$ 100,00, a partir do desdobramento transformou-se em 4 ações na casa dos R$ 20,00.

Mas afinal, para que serve o desdobramento?

Antes de mais nada iremos nos aprofundar um pouco mais sobre o termo, do inglês Split, o desdobramento de ações é um processo em que a empresa divide seus papéis em várias partes, sendo responsável pelo aumento do número de ações disponíveis no mercado, no entanto, não há aumento do capital da empresa. Este movimento não gera valor ao acionista, pois apenas divide a empresa em um maior número de ações.

Um dos principais objetivos do split é tornar o preço do ativo mais acessível ao investidor, ou seja, esse movimento geralmente ocorre quando as empresas se valorizam muito, tornando-se inviável a alocação de capital  para os investidores de pequeno porte.

 É importante frisar que historicamente, as empresas que passaram por um forte processo de valorização de suas ações realizaram splits ao longo de sua trajetória, isso se dá ao fato de que no longo prazo a cotação acompanha o lucro da empresa. Veja o exemplo abaixo: 

Comparação da cotação da Magazine Luíza com a Receita total

Outro exemplo foi o caso do Banco Inter, que desdobrou suas ações em uma proporção de 6 para 1, para que pudessem transformá-las em units (pacote que reúne ações ordinárias e preferenciais). Neste caso cada unit continha duas PN e uma ON, possibilitando maior número de investidores,  maior liquidez ao mercado e maior participação dos acionistas nas decisões. 

Antes que o desdobramento seja realizado a empresa responsável deve realizar uma reunião junto ao conselho de acionistas para aprovação, após homologação a empresa deverá escolher a data para realizar a divisão. 

Assim que a data for definida, deverá ser emitido informativo ao mercado sobre o desdobramento. Em geral, a prática do desdobramento segue uma proporção de 1:2, 1:3 ou 1:10, os investidores que não possuem ações da companhia não perdem nada, uma vez que se trata apenas de uma divisão.

Ao desdobrar suas ações as empresas abrem um leque de oportunidades para os seus negócios, tornando o papel mais acessível, atraindo mais investidores e facilitando a negociação, além de melhorar o potencial de valorização do papel, mesmo que os desdobramentos de ações não representem vantagem para ganho de capital, todavia historicamente, os preço antes do desdobramento costumam se elevar.

O caso mais recente de split foi a da varejista Magazine Luiza, que desdobrou suas ações em uma proporção de 4 por 1, de modo que no dia 13 de outubro, um dia antes do desdobramento, o papel fechou em alta de 5,96%, atingindo o valor de R$ 104,00.

Mas nem tudo são flores, o aumento na quantidade de ações no mercado pode trazer mais liquidez ao ativo, o que pode provocar aumento na volatilidade no papel com a chegada de novos entrantes. Muitos deles atraídos pelos preços baixos e em busca por especulação, acabam por realizar seus lucros, o que derruba o preço da companhia no curto prazo. 

Grupamento 

Do inglês inplit, o grupamento de ações é o processo no qual ocorre a união do capital em um número menor de ações, com aumento do valor patrimonial do papel. Tem por objetivo melhorar a liquidez e ajustar o valor nominal da ação, uma vez que estão cotadas a preços muito baixos.

Para entendermos melhor, peguemos o caso de MMX (MMXM3) que em 2 de maio de 2016 passou a negociar na BM&FBovespa somente em quantidades de ações grupadas, na proporção de 25 para 1. Ou seja, caso MMX fosse negociada a R$ 0,18 por ação, após o grupamento valeria R$ 4,50, respeitando a proporção mencionada. O principal objetivo era diminuir a volatilidade dos ativos, melhorando gradativamente sua liquidez, além disso, a empresa buscava melhorar o planejamento estratégico, juntamente com as suas práticas de governança corporativa. Isso quer dizer que o preço extremamente baixo inibia os investidores, alterando a percepção de entrega de valor da MMX.

É importante frisar que o inplit possibilita o aumento do interesse por parte do investidor, mas não garante sua efetividade, afinal, apesar da sensação de supervalorização da ação, seu valor real continuará o mesmo.

Conclusão 

Para Aswath Damodaran, professor de finanças da Stern School of Business, na Universidade de New York, porém mais conhecido como papa do valuation, uma pizza não fica mais gostosa só porque a dividimos, ela continuará sendo a mesma pizza, com o mesmo sabor e o mesmo tamanho. 

Entenda que o preço na tela do seu Home broker é representativo, o que você paga deve ser proporcional à sua tese de investimentos, baseada nos resultados e lucros da companhia.

Write A Comment