19 de novembro, 2019

|

por: Lucas Bassotto

|

Categorias: Educação Financeira, Iniciante

Problemas para pagar dívida? Renegociar com o banco pode ser o caminho

Infelizmente, as dívidas ainda são realidade de muitos brasileiros. Para ser mais exato, 63,2 milhões estão com o CPF negativado, o que representa 40,4% da população de adultos no Brasil. A maioria deve cartões e empréstimos tomados em bancos, totalizando 28,6% do total de devedores. Isso poderia ser evitado com uma orientação mais adequada para pagar essa dívida.

Os brasileiros se endividam por diversos motivos, mas a raiz do problema está em um fato: gasta-se mais do que ganha. Como estivemos em um cenário de crise econômica, muitas famílias tiveram uma restrição de orçamento e recorreram a empréstimos para pagar dívidas.

Algumas dívidas, seja de cartão de crédito, empréstimos ou financiamentos, se acumularam com juros e se tornaram impagáveis. E agora? O que é preciso fazer para retirar o nome no Serasa? Confira as dicas desse texto.

Como funciona o pagamento mínimo do cartão de crédito

Se você não tem dinheiro para pagar o total, pagar o mínimo da fatura é o equivalente a jogar toda a poeira para baixo do tapete. Essa é uma das piores alternativas para quem está devendo o cartão de crédito. 

Sua dívida ainda continua, o que está sendo apenas evitado, é que o banco inclua seu nome no SERASA e cancele seu cartão. Para piorar, o valor remanescente vem acrescido de juros e é somado na próxima fatura. 

Antigamente, o pagamento mínimo era fixado a 15% do total da fatura. Contudo, o Banco Central mudou a regra e agora as operadoras de crédito podem decidir qual deverá ser o mínimo, que pode ser variável. Cuidado!

Quando vale a pena pagar o mínimo?

Hoje, o pagamento mínimo pode vir até 40% da fatura. Ele só é uma boa opção se você já tem um valor bem próximo da fatura do mês. Suponha que a fatura seja de R$ 1.000 e você tenha R$ 700, nesse caso, o pagamento pode ser uma boa opção.

Só é preciso tomar cuidado para calibrar os gastos do próximo mês e evitar a formação de uma bola de neve. Ao equilibrar as contas, você vai quitar rapidamente o seu cartão de crédito sem pagar muitos juros.

Não tenho dinheiro para pagar o total da fatura

Se você não tem dinheiro, procure seu banco, ou operadora de cartão. Informe que não tem dinheiro para fazer o pagamento total da fatura. Eles vão te propor um parcelamento, mas os juros são bem altos, em alguns você vai pagar até 3 vezes o valor original da fatura.

Se não estiver satisfeito com os juros propostos, procure por alguma linha de crédito especial, ou consignado, você vai conseguir pagar juros mais baixos no parcelamento. Na verdade, parcelar não é o adequado, mas muitas vezes é a única alternativa possível.

risco investimentosNão consigo pagar o financiamento

Se você financiou um imóvel ou um carro, também deverá procurar renegociar seu financiamento. Procure o banco utilizado no financiamento e proponha um tempo maior de parcelamento com os mesmos juros. Isso vai ajudar a diluir as parcelas, mas os juros vão aumentar o valor financiado.

Se mesmo assim você não conseguir, será preciso tomar a decisão menos pior entre todas disponíveis. Quem financiou um carro e não conseguiu pagar, pode tentar vender o carro e repassar a dívida, ou entregar para o banco. 

No segundo caso, o valor que você pagou de financiamento será perdido. Em alguns casos, o leilão poderá arrecadar menos do que a dívida, fazendo com que você fique devendo uma pequena quantia.

O caso dos imóveis é um pouco mais sensível. Os bancos utilizam seu imóvel como garantia do financiamento. Isso significa que eles podem leiloá-lo em caso de seguidos atrasos. Caso isso aconteça, todo seu dinheiro será pedido.

Por isso, é importante procurar negociar um acordo com o banco utilizado no financiamento. Caso não seja possível, tente utilizar seu FGTS para o pagamento de parte das prestações (apenas sob decisão judicial favorável).

Se não for o caso, tente alugar seu imóvel para abater do valor das parcelas. O financiamento de imóveis deve ser feito somente após pensar muito, porque os bancos podem executar a dívida depois de 3 ou 4 meses de atraso. Por isso, pense bem antes de entrar em qualquer prestação.

Se organize para pagar sua dívida

Não é eficaz ignorar a dívida e continuar gastando como se nada estivesse acontecendo. É preciso se organizar financeiramente para conseguir guardar dinheiro de modo a efetuar o pagamento da dívida. 

Coloque todo o seu custo de vida no papel e veja o que é possível cortar. Evite gastos supérfluos e também diminua os gastos com cartão de crédito. O essencial é conseguir guardar o valor da dívida original, ou bem próximo disso. Ter o valor da dívida te dá mais poder de barganha para negociar um acordo melhor.

Negocie com seu banco

A comunicação com o banco é essencial. A demonstração de boa vontade pode te ajudar a conseguir uma oferta melhor na negociação da dívida. O importante é não deixar a bola de neve crescer.

Antes de negociar com seu banco, faça as seguintes perguntas:

  • Qual será o desconto percentual sobre a dívida total?
  • Se pagar à vista, o desconto é maior?
  • Quais serão os juros cobrados mensalmente no parcelamento?
  • Após o pagamento, em quanto tempo terei minha situação regularizada no Serasa?
  • Receberei uma carta de quitação quando terminar de pagar?

Opte sempre por parcelamentos em prazo menor. Os juros cobrados serão menores, assim como o total da dívida será pago mais rápido.

Feirão Limpa Nome do Serasa

limpa nome serasa

Também é possível participar dos feirões limpa nome da Serasa. Esses feirões acontecem tanto online como presencialmente e muitas pessoas aproveitam a oportunidade para conseguir grandes descontos, que possibilitam pagar sua dívida com mais facilidade.

Em alguns casos, os descontos chegam a 80% do original da dívida. O site serasaconsumidor oferece renegociações tanto em feirão online, quanto em eventos presenciais, mantenha-se atento às datas e procure um melhor desconto.

Nome negativado é um problema sério

Em suma, se estiver com dificuldades para pagar uma dívida, procure a melhor alternativa, desde pagar o mínimo, parcelar ou fazer algum acordo para pegar empréstimo. Não ignore ou deixe que essa dívida cresça. 

Organize-se financeiramente, consiga juntar ao menos o valor original da dívida e renegocie, muitas vezes é possível obter um bom desconto em feirões do Serasa. O importante é não ficar pagando juros altos ao mês, porque sua dívida poderá crescer exponencialmente com o passar do tempo.

O nome sujo pode dificultar a obtenção de novo crédito, os serviços de mensalidade podem ser cancelados junto com outras operações de crédito. Também fica mais difícil alugar imóveis e abrir contas em serviços financeiros. Se você for empreendedor, a sua empresa também pode ter problemas. Se você conseguir conviver bem com tudo isso, seu cadastro negativo deixa de existir em 5 anos.

Leia também:

Investimento para iniciantes: por onde começar?

Comprar imóvel ou alugar? Qual é a melhor opção?

Os melhores livros sobre investimentos para iniciantes