Como deixar de ser uma das sardinhas na bolsa?

Como deixar de ser uma “sardinha”na bolsa?

O artigo de hoje se inicia com uma verdade dolorosa para muitos investidores e traders, em particular para os iniciantes no mercado financeiro, chamados de sardinhas e que conscientemente perdem dinheiro na bolsa.

Muitos investidores sabem que se deve comprar na baixa e vender na alta, contudo, frequentemente, compram na alta e vendem na baixa. Todos sabem que vender no pânico é uma péssima ideia, mas basta um rumor para que a ação de uma empresa perca bilhões em valor de mercado num piscar de olhos.

Além disso, ninguém consegue prever o que vai acontecer com o mercado, todavia os investidores adoram seguir qualquer estimativa que possa aparecer em sua frente.

Por fim, todos também sabem que ficar correndo atrás das ações que mais subiram é um ótimo caminho para perder dinheiro, pois a rentabilidade passada não é garantia de lucros futuros.

Como resultado, muitos “quebram”e acabam por desistir nos primeiros anos, dizendo aos quatro cantos que “bolsa é cassino”. Dentre os que restaram no mundo dos investimentos, uma grande parte possui um desempenho ruim ao longo do tempo, não conseguindo sequer acompanhar o índice ou inflação.

Os tipos de sardinhas

Não há como ter rodeios nesse assunto, ganhar dinheiro no mercado está longe de ser fácil hoje em dia, com todos os conflitos políticos e econômicos, está ainda mais difícil.

Tendo isso em vista, saiba que a vida de um sardinha não é nada fácil, é um fluxo estrutural sem fim, onde se compra bolsa na máxima e se vende na mínima. No entanto, mesmo que você fosse participante desse ciclo, saberia dizer que tipo de vida de sardinha você é?

Costumo definir 3 tipos de investidores sardinhas: os que se acham gênios, os que se acham idiotas e os que não têm certeza.

Para aqueles que se auto intitulam os gênios dos investimentos, certamente é menos esperto do que imagina e deveria se policiar para não perder dinheiro tentando ser mais inteligente que os outros.

Os que acreditam que são idiota em relação aos seus investimentos, não fiquem tristes, você provavelmente é mais esperto do que acredita, no mínimo muito mais daquele que se acha o gênio,  precisando apenas treinar sua consciente e  entender como triunfar no mercado.

Na grande maioria dos casos, aqueles que se enquadram no tipo “não têm certeza” são os que estão em maiores condições de parar de nadar contra a maré. Digo isso, pois, é esse tipo de investidor que irá absorver os ensinamentos aqui contidos e irá aplicá-los na prática, fazendo com que tenha resultados melhores e com mais segurança.

Principais erros dos sardinhas

Os investidores sardinhas comentem diversos tipos de erros em seus investimentos, destaco aqui 3 deles, que considero como os piores nas decisões de investimento.

Você compraria um produto sem antes saber qual o sua usabilidade? Provavelmente, a sua resposta é não. Por que então você faria diferente com as ações?

O argumento pode parecer óbvio demais, no entanto, na maioria das vezes não é considerado pelos investidores, que cometem esse mesmo erro repetidas vezes, que adquirem uma parte de um negócio, sem ao menos entender minimamente a sua operação.

Para fugir desse erro, sempre se questione sobre o ramo de atuação da empresa, quão boa é a gestão da companhia, se ele possui histórico de crescimento. Essas são algumas questões importantes que todo investidor deveria ter em mente antes de investir.

Seguindo esse caminho, a possibilidade de estar empregando o seu dinheiro em um  investimento muito mais consciente é maior, permitindo que você “nade” com mais confiança em mares revoltos.

Esse é um erro comum entre os iniciantes, no caso das ações, os principais índices escolhidos são o DY (dividend yield) e o múltiplo P/VPA (preço sobre o valor patrimonial).

O dividend yield é um indicador que mede a relação entre os dividendos pagos pelo fundo em relação à sua cotação atual. Se o DY de uma ação é 8%, significa que ele paga 8% do valor da sua cotação atual em forma de dividendos, por exemplo.

Por conta disso, muitos investidores escolhem ações que possuem os maiores DY possíveis. Inclusive, o que não faltam por aí são rankings com as ações com maiores DY para se investir.

No entanto, em alguns casos, essas distribuições podem ser excepcionais, e passado esse período, o valor dos dividendos tende a se ajustar à nova realidade, podendo trazer grandes prejuízos ao investidor desavisado.

Veja também: Indicadores fundamentalistas em ações: como escolher uma boa empresa?

Já o P/VP, é um múltiplo utilizado para comparar o valor de mercado da ação, com o seu valor patrimonial. Se uma ação possui um P/VP de 0,8, por exemplo, significa que ela está negociando 25 por cento abaixo do que, em teoria, ela valeria.

Muitos investidores adotam a lógica de comprar uma ação pelo simples fato de ela está negociando a um múltiplo baixo. O grande problema do investidor sardinha é que ele não sabe diferenciar que nem tudo que é barato é bom.

É importante frisar que existem sim, casos de desconto, que podem ser uma excelente oportunidade. Todavia, o referido desconto pode ser justificado por uma má gestão ou uma antecipação do mercado a uma provável piora em seus resultados, por exemplo.

Desse modo, P/VP baixo não é sinônimo de oportunidade, assim como quando o seu valor está mais elevado também não significa que a ação está cara.

Em suma, é necessário avaliar caso a caso e sempre ter em mente que todos os indicadores são relevantes na hora de avaliar uma ação, devendo ser analisados conjuntamente, e não isoladamente.

Vida de sardinha

Definitivamente o que vem acontecendo com nosso país ultimamente, entre a transição de dias de euforia como a chegada das vacinas e os dias de desespero com o caos fiscal, estão deixando o mercado inquieto. Tudo isso demonstra que o mar não está para peixes, ou melhor, para sardinhas.

Qualquer movimento que saiba muito além do limite, pode ser fatal para qualquer investidor, principalmente para os sardinhas, que, no geral,  não possuem um grande montante de dinheiro para reaver parte de suas perdas,  investindo em outros negócios mais rentáveis.

Como resultados, são inevitavelmente “devorados” pelos tubarões, como são conhecidos os investidores institucionais. O objetivo desse artigo é fazer com que você não se torne mais uma “vítima” do mercado e acabe virando “comida de tubarão”. Sendo assim, minha principal meta é te conscientizar sobre os movimentos do mercado, a fim de que você possa sobreviver, ganhar algum dinheiro e não virar almoço de peixe grande.

Veja também: Dicas valiosas para o investidor iniciante

Minha primeira dica é não se iludir e acreditar que você ganhará uma “fortuna” no mercado financeiro. Os retornos da maioria dos investidores, no longo prazo, tendem a convergir para um determinado ponto e esse determinado ponto está, na maioria das vezes, próximo ou abaixo dos principais índices do mercado.

Acreditar que você ganhará, consistentemente e no longo prazo, 20% ao mês é ilusão. Também é ilusão pensar que você conseguirá tirar um “salário” consistente  do mercado financeiro. Na época da renda fixa generosa e dos juros altíssimos, isso até podia ser verdade, mas hoje não mais.

Saiba trabalhar em cima do que o mercado normalmente pode oferecer, em termos de retornos. Qualquer coisa muito acima disso implica em riscos maiores que podem, em algum momento, comprometer todo o seu patrimônio.

Fuja do cardume

No mundo animal, as sardinhas andam em grandes bandos, denominados como cardumes. Grande parte dessa estratégia é sobre nadar em conjunto, com objetivo de parecer um só animal, confundindo ou afugentando um predador.

Mas no mundo dos investimentos, esse tipo de estratégia não pode ser a melhor opção para você,  tenha coragem de ser diferente, de ir contra a opinião da multidão, no seu caso, do cardume.

É preciso fazer seus próprios estudos e tomar suas próprias decisões. Obviamente qualquer investidor pode utilizar análises e opiniões de terceiros, mas essas coisas sempre serão ferramentas de apoio à tomada de decisão. A decisão é por seguir uma estratégia ou não será sempre sua.

Benjamin Graham, pai do Value Investing, já dizia que “Para ser um investidor de valor bem sucedido não é preciso ser um gênio. Razoável inteligência, princípios e firmeza de caráter são o suficiente.”

Veja também: Como funciona a análise fundamentalista de Bitcoin?

Saiba gerenciar seus riscos

É impossível prever os movimentos do mercado, mas o mercado possui inércia. O mercado cria tendências dependendo do teor do noticiário. Por conta disso, saiba enxergar a enorme diferença de ótimas empresas e empresas que dependem de fatores externos.

No mundo dos investimentos em renda variável, perder uma parte do dinheiro é inevitável. Porém, é possível controlar o quanto se perde, como as famosas ordens “stop loss” e realizando estratégias simples de diversificação.

Entende que Investidores de sucesso não investem em uma ação, e sim em carteiras, com objetivo de maximizar os retornos e minimizar os riscos.

Veja também: Como gerenciar riscos nas operações de trade?

Conclusão 

É extremamente normal, que como sardinha, você cometa erros, no entanto, é preciso que o seu aprendizado seja contínuo, que você consiga evoluir diariamente, e que, com cada conhecimento adquirido você possa refletir sobre as suas decisões de investimento. 

Visibilidade de resultados é a confiança que qualquer investidor precisa para observar o crescimento dos resultados, tais como receita, Ebitda e lucro, futuros de uma empresa. Além disso, é preciso entender o negócio da companhia, suas vantagens competitivas, suas estratégias, seus riscos, sua concorrência e principalmente seu mercado. 

Entende que as ações, no longo prazo, são reflexo dos resultados bons e crescentes. São essas empresas que o mercado reconhece valor, por isso a visibilidade é uma ótima ferramenta para evitar value traps, em tradução armadilhas de valor.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts