XP Inc. fecha parceria com a Giant Steps, gestora de fundos quantitativos

XP Inc. fecha parceria com a Giant Steps, gestora de fundos quantitativos

Após um intensa disputa entre os gigantes brasileiros do mercado de capitais,  a XP Inc, maior empresa de investimentos do Brasil, venceu o BTG Pactual, anunciando a aquisição de participação minoritária na Giant Steps, gestora de fundos de investimento quantitativos que tem cerca de R$ 7 bilhões sob gestão.

Fundos quantitativos são fundos de investimento cujos títulos são escolhidos com base em dados numéricos compilados por meio de análise quantitativa . Esses fundos são considerados não tradicionais e passivos. Eles são construídos com modelos customizados usando programas de software para determinar os investimentos.

Atualmente os fundos quantitativos estão em expansão, para que você possa ter uma ideia, atualmente, 8 das 10 maiores gestoras do mundo são quantitativas, e este tipo de estratégia representa mais de 30% do total de gestão nos Estados Unidos. No Brasil, atualmente, este tipo de estratégia representa menos de 2% do total de patrimônio em fundos.

“Com cerca de R$ 7 bilhões sob gestão, a Giant Steps é a principal referência num dos mercados com maior potencial de crescimento do setor financeiro”, afirma a XP Inc. Além disso, a empresa complementa que o time da Giant Steps conta com matemáticos, engenheiros e programadores para aumentar a rentabilidade dos investimentos.

Planos da Giant Steps

Com a entrada da XP, a Giant Steps pretende acelerar planos de expansão nacional e internacional, com abertura de filiais fora do Brasil.

“Vamos acelerar ainda mais nossos investimentos nas frentes que acreditamos ser as maiores fontes de vantagem competitiva: pessoas, ampliação da infraestrutura tecnológica e aquisição/desenvolvimento de dados alternativos (que vão desde análise de sentimento no Twitter até processamento de imagens e vídeos)”, afirmou Flavio Terni, um dos sócios fundadores da Giant Steps, em comunicado à imprensa.

De acordo com a Giant Steps,  a escolha de investimentos  quantitativos, usando insumos e programas de computador ajuda as empresas de fundos a reduzir os riscos e perdas associados à gestão por gestores de fundos humanos. O principal fundo da casa, o Giant Zarathustra, registra desde 2012 um retorno absoluto de 290% contra 110% do CDI, o indicador de referência.

Além disso, a empresa deve lançar um fundo de ações baseado em dados alternativos e um fundo de criptoativos, o primeiro do mercado brasileiro que terá o Bitcoin (BTC) como benchmark, ainda neste semestre.

Veja também: O futuro do mercado financeiro? Conheça os robôs de investimento

Brasil é “TEC”

Os grandes gestores brasileiros de ativos têm procurado aumentar seus investimentos em estratégias quantitativas, à medida que os gestores de fundos lutam para superar as referências do mercado ao longo do tempo

Conforme Flavio Terni, “Em um mundo onde a velocidade de transação de pedidos é uma fração de segundo, e a criação de informações muito maior do que a capacidade de absorção humana, recusar-se a incorporar tecnologia no processo de investimento é o mesmo que fechar os olhos para a evolução dos mercados.”

Ainda segundo o comunicado, a governança e a independência das companhias seguem inalteradas. Em suma, a conclusão da transação da Giant Steps está sujeita ao cumprimento de certas condições precedentes.

Veja também: Linguagem de programação e o Mercado Financeiro

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts