Renda

Viva com menos do que a sua renda permite

Conciliar nossas fontes de renda e despesas pessoais não é uma tarefa fácil. Nem sempre agimos de forma racional quando estamos falando de finanças pessoais e isso ocorre por diversos fatores. Nossa incansável busca por conforto, vontade de saciar desejos de curto prazo e a consolidação desses comportamentos em hábitos.

Posto isso, como então frear esse círculo vicioso, gastar menos do que se ganha e pensar mais propriamente no longo prazo? No artigo de hoje, caro leitor, chamo sua atenção para algumas ações que podem frear esses comportamentos inadequados e ações que estimulam o equilíbrio financeiro. Para que o leitor em vez de juntar dívidas, possa realmente investir de forma plena.

Entendendo seu padrão de vida

O primeiro questionamento que você caro leitor deve se fazer, é o seguinte. “Será mesmo que vivo conforme a renda que ganho?”. Não é uma reflexão tão simples, mas deve ser realizada. Muitas vezes o que coloca o individuo na famosa corrida dos ratos, é o não reconhecimento de um padrão de vida acima do que deveria sustentar.

A maioria das pessoas vive sem dúvidas em um patamar acima do que a renda permite. Isso ocorre por fatores como comodismo, status, tentativa de se igualar a algum amigo, vizinho ou parente. E isso é muito mais comum do que possamos imaginar.

O ideal é reconhecer o que faz realmente sentido na sua vida. Evitar gastos supérfluos com itens que você não compra por necessidade. E encaixar na sua rotina, atividades que condizem com os seus rendimentos mensais.

Esse ponto é um pouco sobre autoconhecimento, sem dúvidas o ideal é vivermos abaixo do que nossa renda permite. Isso exige esforço, sacrifício e dado que estamos em um patamar errado, é necessário praticar o desapego.

Organizando as finanças

Uma vez feita a reflexão, e identificado o padrão de vida que condiz com sua faixa de rendimentos. Você passa a ter uma margem de segurança para eventuais imprevistos e pode finalmente começar a organizar seu orçamento.

Com isso em mente, finalmente podemos considerar o início de uma reserva de emergência para aí então se aventurar tranquilo no mundo dos investimentos. Nesse sentido, organizar as finanças é um passo fundamental para isso.

Coloque tudo em uma planilha para facilitar e ganhar tempo com isso. Caso ainda não seja muito familiarizado com o uso de planilhas, o bom e velho caderno pode te auxiliar. Com isso, mantenha todos os registros, luz, cartão de crédito, mercado, tv, água etc.

Isso te dá previsibilidade e controle sobre o seu fluxo financeiro. Além disso, é importante olhar para sua planilha e identificar o seu padrão de gastos, fazer aquela reflexão sugerida acima, sobre a representação desses gastos dentro dos seus rendimentos mensais.

A realidade mudou, o que fazer?

renda

Um erro bastante comum ao avaliar as finanças pessoais, é não identificar uma mudança de paradigma com relação aos seus rendimentos. Se há queda nas receitas, é necessário repensar o seu padrão de vida. Com isso, muitas vezes o que ocorre é que o indivíduo não aceita mudar o seu dia a dia.

Quer continuar frequentando os mesmos lugares caros, tomando o mesmo café todo dia de tarde e viajando com a mesma regularidade. Convenhamos, não dá pra viver no mundo fantástico de bob. Proponho que caso tenha identificado algo semelhante, faça o seguinte exercício caro leitor.

Analise sua renda criteriosamente, verifique seus gastos extras diários e observe se esse estilo de vida corresponde com esses rendimentos. Peço que seja bastante rigoroso e criterioso. Caso seu estilo esteja acima, procure uma solução com urgência, caso contrário, parabéns, você está no caminho para se tornar um investidor de sucesso.

Como manter o foco

Embora, em teoria, identificar esse problema e ajustar as condições pareçam uma tarefa relativamente simples, na prática, exige muito esforço. No entanto, é possível, segundo Charles Duhigg “Transformar um hábito não é necessariamente fácil nem rápido. Nem sempre é simples. Mas é possível.”.

Nessas horas, além do esforço e disciplina é importante que essa mudança seja tratada como objetivo, uma vez realizada algumas pequenas mudanças, outras grandes devem vir.

“Uma vez que uma pequena vitória foi conquistada, forças que favorecem outra pequena vitória são postas em movimento. Pequenas vitórias alimentam mudanças transformadoras, elevando vantagens minúsculas a padrões que convencem as pessoas de que conquistas maiores estão dentro de seu alcance.” Charles Duhigg

Estou vivendo dentro da minha realidade e poupando, e agora?

Primeiramente parabéns por isso, agora é hora de investir. O mundo dos investimentos é amplo, indo desde investimentos mais seguros como renda fixa e a própria poupança. Até os mais arriscados como a bolsa e o mercado de criptomoedas.

Percebido seu apetite ao risco, é importante que você estude bastante sobre o tipo de investimento escolhido. De forma que você tenha segurança sobre o que está fazendo. Não se esqueça de sempre manter bem guardada sua reserva de emergência para casos especiais.

Outro ponto a se destacar é quanto a diversificação, possua renda diversificada, não coloque seus ovos em uma mesma cesta. Dado que é possível que setores específicos passem por algum tipo de turbulência em dados períodos.

Conclusão

O tempo passa, mudanças ocorrem. Precisamos estar preparados, a renda que eu e você caro leitor tínhamos há 10 anos, pode não ser a mesma hoje. Viver com mais é sempre mais fácil, sem dúvidas. No entanto se adaptar a uma dura realidade de redução da qualidade de vida exige mudanças comportamentais.

Além disso, a ausência dessa reflexão provocada no artigo, pode provocar mais ainda sofrimento. Dado que o stress psicológico de conviver com dívidas e no aperto, faz muito mal e pode prejudicar nossa saúde. Ninguém gosta de chegar ao final do mês e perceber que a conta não fecha.

Por fim, caro leitor, aproveito para deixar como sugestão o livro do autor citado neste texto. O poder do hábito, de Charles Duhigg. Como já dito, uma mudança como essa requer um alto nível de dedicação e esforço, mas estar dentro de sua realidade financeira, além de gratificante, é o primeiro passo para você poder finalmente investir.

Veja também: 13 dicas para aprender como economizar dinheiro diariamente

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts