Receber salário em criptomoedas? Veja esse projeto na Argentina

Receber salário em criptomoedas? Veja esse projeto na Argentina

A Argentina é um dos países com maior inflação no mundo atualmente, com uma marca que se aproxima dos 50% anuais. E após pressão do próprio Banco Central do país, os hermanos seguem procurando alternativas para se proteger da desvalorização do peso e é nesse ponto que entram as criptomoedas

O projeto em questão foi feito pelo Deputado da Nação da Província de Mendoza, José Luis Ramón, que através da sua conta do Twitter realizou um anúncio que teria como proposta oficializar que tanto trabalhadores como exportadores de serviços possam receber criptomoedas como forma de pagamento.

Detalhes sobre o trâmite do projeto

O projeto de lei já passou da fase inicial na Câmara dos Deputados da Argentina e agora já foi apresentado pelo Comitê de Finanças, Legislação Geral e Orçamento de Finanças da Câmara dos Deputados da nação.

O legislador é experiente, sendo um dos membros atuais da Unidade Federal de Desenvolvimento e após apresentar oficialmente o seu projeto deu maiores explicações: “Apresentei um projeto de lei para que os trabalhadores em regime de dependência e os exportadores de serviços tenham a possibilidade de cobrar seu salário em criptomoedas”.

Segundo as ideias do projeto do deputado, a ideia está em poder fortalecer a sua autonomia e conservar o poder recebido pela remuneração, claramente fazendo uma profunda crítica à inflação terrível que vive o país.

Entenda como a inflação argentina é um problema de décadas para os vizinhos

A Argentina tem uma inflação acumulada que atinge quase 50% ao ano. O peso argentino foi oficializado no país em 2001, porém foi perdendo valor com o passar dos anos, muito mais que em comparação ao nosso real. Nossa inflação média de 6% ao ano nem se compara ao que acontece na Argentina.

O efeito da inflação é normalmente menos sentido pelas pessoas que têm um maior poderio financeiro, como investidores que têm uma parte do capital em dólares e também em criptomoedas.

Porém, a inflação não é o único problema que atualmente os argentinos precisam lidar. As restrições financeiras no país são altíssimas, como restrição de até US$ 200 por mês para cada cidadão, além de várias cotações do dólar no mercado informal, o que dificulta o acesso de moedas mais fortes. As criptomoedas podem ser o divisor de águas.

Uso das criptomoedas na Argentina

A Argentina é um país com pouco mais de 45 milhões de habitantes e registra um alto número de carteiras digitais, cerca de 2 milhões. Para se protegerem da inflação, os nossos vizinhos estão apostando em criptomoedas, como Bitcoin, Ethereum ou Tether.

O número de contas de usuários para investir em criptomoedas na Argentina quase dobrou no último ano e ao lado da Venezuela, este é o país que mais procura por transações em criptomoedas. Se antes os clientes tinham medo de serem confiscados, agora estão investindo nas criptomoedas sem pensar duas vezes.

Mais recentemente a empresa argentina e líder do setor de e-commerce na América Latina aprovou a venda de imóveis com Bitcoin na sua plataforma e depois do anúncio, a oferta e procura disparou.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts