Nubank lança campanha de R$ 225 milhões para clientes se tornarem sócios

Nubank lança campanha de R$ 225 milhões para clientes se tornarem sócios

O Nubank está prestes a entrar no mercado de ações, com o lançamento de suas ações classe A ou majoritárias na Bolsa de Nova York (NYSE) e com, BDRs na B3, a Bolsa de Valores com sede em São Paulo.

De acordo com um comunicado recente da fintech, milhões de clientes não vão precisar pagar absolutamente nada pelas pequenas cotas de ações. A solução da fintech será abrir contas gratuitas para os seus clientes, com um investimento que poderá chegar a até R$ 225 milhões.

Segundo informações do blog do Nubank, a inscrição para adquirir as cotas gratuitamente estão abertas desde a última semana, para todos os clientes que tiverem interesse. A fintech já definiu que existirão algumas regras para a participação, além de que o período para garantir o seu “pedaço” é limitado.

Condições para participar das cotas de ações gratuitas do Nubank

Primeiramente, o interessado precisará ser cliente do Nubank, além de estar totalmente ativo, ou seja, fazendo algumas movimentações ao longo do mês, por exemplo. A conta do cliente em hipótese alguma poderá estar bloqueada para realizar transações.

O cliente precisa estar em dia com a empresa, sem dívidas superiores a oito dias. Pague a sua fatura em dia e se tiver contrato algum empréstimo com o Nubank, se certifique de que poderá pagar as parcelas.

Também será necessário ter feito alguma operação, seja de pagamento ou recebimento através do Nubank no período dos últimos 30 dias da inscrição no programa NuSocios.

Entenda o que serão os BDRs oferecidos

A fintech concederá BDRs, que são certificados de recebimentos de ações. Assim haverá uma divisão que classifica ações do grupo A e B. As ações de classe A garantem uma vaga nas votações de decisões que a fintech irá tomar.

Já as ações de classe B não poderão ser vendidas e dão direito a 20 votos por papel para os proprietários. Nesse contexto, cada ação da classe B equivale a um sexto do valor dos papéis ordinários, da classe A.

Sobre a decisão de que os proprietários das ações de classe B não poderão vender os papéis durante os 12 primeiros meses de posse, é de que neste período, os novos acionistas para muitos, vão poder aprender melhor sobre o mercado de investimentos, bem como as suas vantagens em relação à renda fixa.

David Vélez ficará com a maior parte das ações

O fundador do Nubank, David Vélez, terá 86,2% das ações de classe B, o que representa 75% do poder de votos na assembleia e dessa maneira, o torna sócio majoritário do Nubank.

Também houve um anúncio na última semana, de que o Nubank entrou com um pedido para realizar a sua oferta pública de ações, que é chamado de IPO em inglês, processo quando uma empresa torna público o seu capital e de que deseja ingressar no mercado de ações.

Esse protocolo foi aberto e agora o Nubank terá de atender a todos os requisitos dos órgãos regulatórios, juntamente a Comissão de Valores Mobiliários e a Security Exchange Comission, para a abertura de capital nos Estados Unidos. 

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts