Renann Mendes

Escrito por

Author

Publicitário, Gerente de Marketing e Comunicação da Nox Bitcoin desde junho de 2019.

O yuan digital, a nova moeda digital da China representa uma grande mudança estrutural, mas para pessoas acostumadas com o WeChat Pay e o Alipay, fará alguma diferença?

Texto traduzido do site Decrypt.co. Seguindo anos de rumores e especulações, os primeiros testes do yuan digital da China foram oficialmente lançados, com a devida introdução ao sistema DCEP, tecnologia da moeda digital.

As cidades que participam do teste piloto incluem Shenzhen, Suzhou, nova área de Xiong’an e Chengdu, onde pessoas com contas em grandes bancos estatais como o Banco Agrícola da China podem criar uma carteira de Pagamento Eletrônico pela Moeda Digital (DCEP) dentro dos aplicativos dos bancos.

As funções do aplicativo incluem troca da moeda digital (compra e venda), gerenciamento de carteira e registros de transações, bem como recebimento e cobrança de pagamentos básicos.

Mas para um país em que as pessoas já evitam usar dinheiro de papel e estão tão habituadas com pagamentos digitais, como Alipay e WeChat Pay, o quanto esta tecnologia realmente importaria?

Como o DCEP funciona?

O DCEP funcionará no curso legal de outras moedas e pagamentos eletrônicos. Assim como o dinheiro físico – e, diferentemente dos cartões de débito ou de um sistema de pagamento digital privado como o Apple Pay – os varejistas não terão permissão para recusá-lo.

Embora o yuan digital da China não incorpore os elementos descentralizados da tecnologia da blockchain, ele faz uso de contratos inteligentes, criptografia e rastreamento para aprimorar os esforços contra a lavagem de dinheiro e combater a sonegação de impostos.

Como seria emitido e controlado pelo estado, as moedas digitais do Banco Central (CBDC), como o DCEP, responderiam muito mais às políticas monetárias do que cartões de crédito ou criptomoedas como o Bitcoin, independentes do governo. 

A digitalização do dinheiro também pode ajudar os governos a manter um controle mais rígido sobre o dinheiro em circulação, que de outra forma é mais difícil para os bancos centrais acompanharem.

Economistas dizem que o yuan digital também daria ao PBOC, Banco Central da China, maior capacidade de alterar as taxas de juros para estimular o consumo. O aumento do consumo é uma das metas da China estabelecidas no 13º Plano Quinquenal, que estabelece estratégias econômicas de longo prazo até 2020.

Leia também:

Como os bancos centrais reagiram contra o COVID-19?

Como os bancos centrais reagiram contra o COVID-19?

A China já é uma sociedade sem dinheiro

Na China, os pagamentos móveis por meio de aplicativos como o WeChat Pay, da Tencent, e o Alipay, da Alibaba, já são amplamente adotados, com a maioria das pessoas usando o celular para escanear um QR code nos pontos de venda.

De fato, o dinheiro é tão raramente usado que mesmo os moradores de rua na China usam QR codes impressos. Os cartões de crédito também caíram em desuso, pois exigem que as lojas configurem a infraestrutura de processamento e cobrem taxas altas pelas transações.

“Na China, o ‘cashless’ tem sido um modo de vida depois que a Alipay e o WeChat Pay derrubaram o uso de dinheiro e cartões de crédito”,  “O povo chinês vai endossar [o DCEP].”

Lim Wei Ming, gerente de hotel

A nova moeda digital não tem trazido muita empolgação ou novidade para alguns.

“Para um negócio como o meu, eu não quero dinheiro de papel, é muito mais simples. Além disso, quase ninguém sai mais com dinheiro. Mas, se o método de pagamento for o mesmo, será apenas mais um método de pagamento.

[O DCEP] não importa para nós, para melhor ou para pior… porque agora o WeChat, Alipay ou outros métodos de pagamento cobriram basicamente todos os aspectos.”

Da Lin, dono de uma loja de video games

A China é uma sociedade que não usa dinheiro
A China é uma sociedade que não usa dinheiro

Os recursos exclusivos do DCEP

O DCEP oferece recursos que os atuais sistemas de pagamento digital não possuem, como “transações off-line duplas”, que permitem aos usuários transferir e receber diretamente entre si, sem precisar acessar a Internet ou dispositivos móveis.

“Há uma pequena chance de que o Tencent ou o Alipay falharem um dia, o que também favorece um pouco a DCEP.”

Zhiguo Ele, professor de finanças da University of Chicago Booth School of Business.

Mas ele acrescentou que esse cenário – envolvendo gigantes corporativos, descritos como Amazon e Facebook da China – é improvável.

A questão da privacidade

À medida que as sociedades se tornam cada vez mais cashless – uma tendência que o DCEP provavelmente apenas crescerá – as pessoas podem perder a opção de fazer transações em dinheiro anônimas por completo.

Como muitas moedas digitais do banco central em desenvolvimento em todo o mundo , o yuan digital da China poderia oferecer ao governo recursos avançados de vigilância. Ao contrário do dinheiro físico, um CBDC poderia fornecer registros e rastreamento digitais.

Os benefícios anti-lavagem de dinheiro, financiamento contra o terrorismo e outros benefícios que impedem crimes são evidentes, mas também podem significar uma profunda perda de privacidade das pessoas em relação ao dinheiro.

O DCEP poderia ser como um espelho unidirecional, tornando a vida de usuários comuns mais transparentes e mais fáceis de explorar pelo governo e pelas empresas com acesso aos dados gerados – as pessoas comuns, porém, não terão livre acesso à estas informações.

Os chineses têm uma visão de privacidade diferente daquelas encontradas em outras partes do mundo.

“Fora da China, concordo que a questão da privacidade está no centro do debate”, disse He, economista do Chicago Booth. Mas, acrescentou, “para o povo chinês, [a privacidade tem um significado] totalmente diferente do que os ocidentais pensam”.

Zhiguo He, economista.

As plataformas de pagamento móvel da China podem já ter acostumado seus usuários a ter seus dados rastreados; e empresas privadas na China já estão compartilhando dados do usuário com o governo.

“Não há nada secreto no momento em que você usa uma plataforma [móvel] para pagar, pois eles têm análises para rastrear seu comportamento. Uma simples varredura em um site do governo em busca de algo significa que você já foi rastreado”.

Lim, gerente de hotel. 

Outros disseram que os cidadãos que cumprem a lei não devem ter nada a temer.

“A moeda digital pode ser rastreada de qualquer maneira na China, acho que a privacidade não importa, porque estou usando [dinheiro] normalmente”

Lin, comerciante de videogames.

E nesta era digital, há algo mais privado?

“Eu acho que (expor a privacidade) é um fato do qual ninguém pode fugir. Só posso contar com o sistema para restringi-lo e equilibrá-lo.”

Zhang, gerente de uma empresa de conteúdo online. 

Quando o DCEP será lançado? 

Enquanto os testes do DCEP estão em andamento, o governador do Banco Popular da China (PBOC), Yi Gang, subestima sua importância.

“[Os testes] não significam o lançamento oficial do yuan digital… não há cronograma para um lançamento oficial”

Disse Yi em uma entrevista recente à publicação do banco central China Finance.

Além de poder usar o yuan digital para pagar bens e serviços em empresas como Starbucks e McDonald’s, o piloto faz referência aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, em Pequim.

“Isso implica que levará bem mais de um ano para o PBOC lançar completamente sua moeda digital”, disse He.

Texto traduzido do time da Forkast News publicado em 12 de junho de 2020 no Decrypt.co.

Write A Comment