NFTs: Entenda essa nova tendência entre milionários

NFTs: Entenda essa nova tendência entre milionários

O termo NFT tem ganhado cada vez mais força no mercado financeiro. Um NFT (Non-Fungible Tokens) trata-se de uma tecnologia de tokens não fungíveis. Algo que é “Não fungível” significa ser único, sendo assim, não poderia ser substituído por outro.

Só para ter uma noção melhor do que essa ideia representa um Bitcoin é fungível, sendo possível trocar um por outro Bitcoin, onde o investidor terá a mesma coisa. É por conta disso que o ativo bitcoin não se enquadra na categoria de um NFT. Mas essa ideia não para por aí.

Outras características descrevem um NFT, entre elas, ele se trata de um ativo digital que só existe através de um Blockchain. O Blockchain, por sua vez, é uma tecnologia muito associada hoje ao Bitcoin e criptomoedas, e serve como um livro-razão público, que permite que qualquer pessoa tenha a possibilidade de ver autenticidade do ativo.

Quando um ativo é registrado como um NFT ele é transformado em um ativo único no mundo digital e com caráter exclusivo, que pode ser uma música, uma arte gráfica ou até mesmo um tweet. Por falar em tweet, recentemente Elon Musk quase participou do mercado de NFT pela primeira vez.

Veja também: Minerando Bitcoin com um Game Boy. Entenda a história!

Recentemente, Elon Musk havia resolvido entrar no mercado de NFT, e acabou recebendo propostas em relação a isso. Entretanto, após colocar um tweet à venda através de um NFT e ter recebido proposta de US$1,121 milhão, o homem mais rico do mundo acabou desistindo do negócio.

Desse modo, Elon Musk acaba desistindo de entrar no mercado de NFT, embora não se saiba se ele voltará em algum momento. Vale salientar primeiramente o que é NFT. Esse termo tem ganhado força nos últimos dias, principalmente através de grandes volumes de dinheiro relacionados a negócios desse tipo.

Elon Musk anunciou aos seus 49 milhões de seguidores que “Estou vendendo esta música sobre NFTs como um NFT”, referindo-se a um tweet com um videoclipe original dele que falava sobre NFT e tinha o termo “HODL”, que se refere a prática de holding nos investimentos.

NFTs: Entenda essa nova tendência entre milionários

Elon Musk recebeu várias propostas e a maior delas foi de US$1,121. Apesar disso, Elon Musk acabou desistindo da ideia no dia 17 de março de 2021, afirmando que: “Na verdade, não parece certo vender isso. Vai passar”.

Negócios como esse tem se disseminado. O CEO do Twitter, Jack Dorsey, recebeu na última semana uma oferta de US$2,5 milhões pelo primeiro tuíte do mundo. “Apenas configurando meu Twitter”, disse Jack no tweet publicado em 21 de março de 2006, mas em inglês.

NFTs: Entenda essa nova tendência entre milionários

Um episódio também relacionado foi uma obra original de Banksy, que foi queimada para a venda de sua reprodução digital por um preço 4 vezes maior do que a obra valia.

Outros episódios também aconteceram nesses dias, como um meme vendido por aproximadamente US$600 mil e dentre outros casos de vídeos e músicas sendo comercializadas a valores astronômicos.

A exclusividade de um NFT e os altos valores?

Muitos usuários conseguem copiar o arquivo contido em um NFT o quanto quiserem, mas a assinatura digital por trás desse ativo jamais pode ser falsificada ou alterada. Sendo assim,  colecionadores de produtos digitais raros um pouco de paz de espírito.

Mesmo que as pessoas possam ver os NFTs, apenas quem comprou acaba tendo o status de proprietário. Essa espécie de “direito digital” sobre o ativo que o comprador de um NFT possui exclusivamente é o que torna o mesmo tão atrativo.

Essa mesma lógica se segue entre milionários e bilionários com obras de arte de grandes pintores, itens antigos e históricos no Brasil e qualquer item raro que possa ser colecionável. A ideia de possuir aquilo com essa exclusividade acaba elevando o preço desses ativos.

Quanto menor a oferta de algo, mais raro se torna essa coisa. Em um NFT, o ativo se torna único e o agravante para isso é que por ser um ativo digital em Blockchain, essa ideia de continuar sendo único e imutável acaba sendo maior que no caso de uma obra de arte, por exemplo.

A importância da Blockchain para os NFTs

A tecnologia Blockchain pode ser comparada à figura de um livro contábil, onde se faz registros das transações de moeda. Ela é uma rede que funciona com blocos, que por sua vez, sempre carregam uma impressão digital.

Nesse sentido, apesar de haver uma mudança para o bloco seguinte, a impressão digital do bloco anterior continuará imutável, por conta disso, que o uso da Blockchain na segurança dos NFTs é tão importante.

A Blockchain surgiu em meados do ano de 2008, envolvida sobre um sistema de pessoa para pessoa, que gerou o termo peer-to-peer em relação ao Bitcoin. Isso foi criado para se evitar o gasto duplicado dos valores reais.

Apesar de ser uma tecnologia muito associada ao setor financeiro, a Blockchain agora consegue ser associada a diversos tipos de soluções e demandas. Dessa vez, a tecnologia é utilizada até mesmo na arte, o que era algo inédito até então. Com o passar do tempo, novas funções podem ser colocadas para a Blockchain, que avança em quase todos os setores.

O avanço dos NFTs pelo mundo

Esse mercado surgiu e acabou surpreendendo muitas pessoas, visto que a partir disso, começou-se a vender coisas que antes não se tinha conhecimento de que se pudesse adquirir por uma grande quantidade de dinheiro como está sendo feito.

Seria algo raro que pudesse ser vendido digitalmente, como o caso do próprio tweet de Elon Musk. Além disso, esse tipo de arquivo ou qualquer outro registro é realizado em uma Blockchain, que é uma rede imutável relacionada à criptografia.

A ideia de adquirir um NFT a um preço tão alto é mais relacionado ao fato do status de possuir aquilo e está relacionada hoje a uma forma de ter coisas colecionáveis que antes não estavam associadas a esse meio.

A efetividade da rede Blockchain trouxe uma nova forma de “tokenizar” coisas que antes não podiam ser. A Julieti Brambila, que é diretora jurídica do Alter, que por sua vez é a primeira cripto conta do Brasil explica que: “Tokenizar nada mais é do que você pegar um objeto que tem algum valor e transferir ele para o mundo digital em uma Blockchain”.

Veja também: O trader desconhecido que já ganhou 1.012.069% de lucro

Um item que é classificado como um token não-fungível é quando se tem algo único, sem substitutos, e que pode ser replicado dessa forma é vendido para alguém, que por sua vez, receberá um certificado registrado na Blockchain.

O volume de negociação de NFT no Blockchain atingiu o valor de US$ 400 milhões, de acordo com as informações oferecidas pelo NonFungible.com, que fornece dados compactados dos marketplaces de NFT.

Um exemplo de sucesso dos NFTs foi a NBA Top Shot, que juntou a NBA relacionada ao esporte com a startup de tecnologia Blockchain Dapper Labs, que conta com aproximadamente 683 mil usuários. As vendas totalizaram cerca de US$396 milhões, dos quais US$232 milhões foram só no mês de fevereiro.

Os melhores momentos de algum jogo ou então algum lance específico de Lebron James era vendido a um determinado valor, e só quem comprasse, teria acesso exclusivo ao material imutável.

O início dos NFTs foi no ano de 2017, quando os gatinhos animados Cryptokitties da empresa canadense Dapper Labs iniciaram esse mercado e se tornaram uma febre entre os usuários.

NFTs: Entenda essa nova tendência entre milionários

Outros exemplos de NFTs pelo mundo

O youtuber americano Logan Paul, fez uma arte dele mesmo segurando algumas cartas de Pokémon e tornou isso um NFT. Um estoque de 3 mil unidades custava 1 Ether (ETH) cada. Logan Paul acabou faturando mais de US$5 milhões com as vendas desse material “tokenizado”.

Outro caso que ficou bastante conhecido, foi alguém que pagou US$6,6 milhões por um vídeo com duração de 50 segundos de Michael Joseph Winkelmann, o Beeple, que se trata de um artista digital, designer gráfico e também animador americano bastante conhecido em seu segmento.

NFTs: Entenda essa nova tendência entre milionários

Beeple também realizou a venda de outro NFT que ficou famoso. O artista fez uma colagem que ficou conhecida pelo nome de “EVERYDAYS: THE FIRST 5000 DAYS”. A venda da obra ficou no valor de US$69 milhões, chamando a atenção pelo montante de dinheiro utilizado na venda.

Na música, o conhecido meme “Deal With It” acabou sendo “tokenizado” pela NFT Foundation e virou um ativo que foi vendido por 15 ETH, equivalente na cotação de hoje a aproximadamente US$28,8 mil.

A banda Kings of Leon registrou um álbum inteiro em NFT, denominado “When You See Yourself” e que terá sua versão em token não-fungível na plataforma da YellowHeart, embora as músicas sejam normalmente divulgadas pelo mundo do modo tradicional.

Conclusão

O sucesso dos NFTs surpreende muitas pessoas, principalmente no que se refere aos valores envolvidos nos negócios em questão, surgindo assim uma dúvida: Porque as pessoas pagam tanto dinheiro por esses ativos?

Em suma, o NFT se tornou uma nova forma de utilização da tecnologia Blockchain, que por sua vez, tem transformado completamente diversos segmentos e resolvido demandas importantes por todo o mundo. Apesar disso, é preciso ter um olhar especial para os NFTs, já que não se sabe ao certo como esses ativos serão negociados futuramente e qual proporção tomará.

De qualquer modo, chama a atenção por ser um novo segmento em que os detentores de grandes quantias de dinheiro têm colocado dinheiro atualmente, além de serem pessoas de grande relevância internacional, algumas das vezes. Esses fatores podem fazer com que os NFTs tomem proporções cada vez maiores.

Veja também: Listagem direta ou IPO: Qual a preferência das empresas na abertura de capital?

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts