Mineração em nuvem, entenda como funciona

Mineração em nuvem, entenda como funciona

Com o crescimento da indústria de criptomoedas, novas oportunidades vêm sendo geradas em relação a este mercado. Uma destas oportunidades é a mineração em nuvem. Isso leva os participantes ao status de stakeholders em várias blockchains, enquanto investem seu tempo, força de computação e dinheiro na proteção e validação em sua rede de criptomoedas favorita.

Nesse sentido, existem diversas formas de participar do setor de mineração de criptomoedas. Você pode optar por uma aproximação mais prática. Também pode optar por evitar os compromissos técnicos necessários para uma mineração de criptomoedas de forma bem-sucedida.

Com isso, nesse artigo vamos nos concentrar na segunda opção. Dessa forma, vamos explicar tudo que é necessário para ter uma abordagem mais prática para a mineração de criptomoedas. Esta abordagem é popularmente chamada de mineração em nuvem. Contudo, é necessário entender, primeiro, alguns conceitos básicos de mineração de criptomoedas.

Veja também: Conheça o projeto que quer popularizar o DeFi

Mineração de criptomoedas

A mineração de criptomoedas, envolve, uma sequência de processos desenhados para proteger, de maneira descentralizada, uma determinada rede blockchain. Através destas atividades, mineradores validam transações e geram, coletivamente, o fornecimento de novas criptomoedas. De um minerador, é esperado:

  • Executar um nó em uma rede blockchain;
  • Completar tarefas específicas para achar um novo bloco;
  • Carregar novas transações no bloco;
  • Garantir que não haja gasto duplo de criptomoedas.

Dessa forma, ao completar estes processos, a rede blockchain automaticamente recompensa mineradores bem-sucedidos com novas moedas. Este é o mecanismo de distribuição primária utilizado por blockchains que utilizam o mecanismo de consenso Proof-of-Work (PoW). Observe que a tarefa especial atribuída aos mineradores depende do tipo de mecanismo PoW em uso.

Por exemplo, a rede Bitcoin e outras blockchains que utilizam o mecanismo SHA-256, necessita que mineradores disputem a solução de equações matemáticas extremamente complexas antes de um novo bloco ser achado.

Este processo demanda um alto nível de poder computação. Isso significa que mineradores que querem ser bem-sucedidos, necessitam investir uma certa quantidade de dinheiro em hardware. 

Observando isso, as blockchains são projetadas para frequentemente ajustar a dificuldade de mineração. O objetivo é que garantir que novos blocos serão encontrados em um intervalo fixo de tempo. Portanto, sempre que houver um aumento do número de nós em uma determinada rede, ou mesmo aumento do poder computacional, a dificuldade de mineração aumenta em paralelo. 

Entendendo o método

Mineração em nuvem é o processo de utilizar o poder de computação em nuvem para minerar criptomoedas. Neste caso, você paga terceiros para realizar todo o trabalho por você. Em essência, você não necessita comprar ou manter rigs de mineração especiais. Também não precisar executar um nó de uma blockchain.

Nesse sentido, com a mineração em nuvem, os participantes podem alugar rigs de mineração ou hash power. Para quem não sabe, a hash power é uma medida de potência de uma plataforma de mineração. É normalmente calculado em unidades de Gh/s e Th/s. O provedor de mineração em nuvem possui e opera uma instalação ou fazenda carregada de rigs de mineração. 

Com isso, oferece aos usuários a oportunidade de comprar ou alugar uma parte da hash power gerada pelo equipamento. O provedor de mineração em nuvem precisa ter investido em hardware de última geração. Além disso, de forma ideal, o provedor também deverá ter estabelecido sua fazenda de mineração em um local com acesso à eletricidade barata e com clima mais frio.

Dessa forma, essa solução é ideal para indivíduos que não estão interessados em se engajar em questões técnicas de mineração. Na maioria dos casos, os participantes conseguem acompanhar sua hash rate e receitas de mineração em nuvem através de smartphones. Algumas configurações de mineração em nuvem até redirecionam automaticamente o hash power para a criptomoeda mais lucrativa durante um período.

Veja também: Conheça a privacy coin Monero (XMR)

Tipos de mineração em nuvem

A mineração em nuvem pode ser oferecida por um servidor físico ou virtual de mineração. Hoje, existem três métodos conhecidos para mineração em nuvem. Abaixo, iremos falar brevemente sobre cada um deles.

Virtual Private Server

Este método de mineração necessita de alugar um servidor e instalar um software de mineração. Em outras palavras, necessita do aluguel de um computador que acessamos de forma remota através a internet.

Aluguel de força computacional

Este consiste em comprar ou adquirir um contrato com uma companhia para alugar parte de seu hash power. Geralmente, usuários pode escolher a quantidade de hash power a ser contratada ou alugada. Os ganhos serão proporcionais a quantidade de força adquirida por eles.

Nesse sentido, a maior vantagem é que não é necessário ter nenhum hardware de mineração para começar a minerar. Sendo assim, é a forma mais comum e usada como método de mineração em nuvem. Mas tenha cuidado, devido a sua popularidade, existem diversas companhias dedicadas em vender essa força computacional de forma fraudulenta.

Mineração hosteada

Nesta modalidade, as empresas arcam com as despesas dos mineradores. Ou seje, elas se encarregam pelo consumo e manutenção do hardware de mineração dos seus clientes. Não é um método muito comum, mas vem ganhando seguidores, visto que muitas pessoas não podem custear esses gastos.

Contudo, eles possuem o equipamento. Como as companhias são responsáveis por essas despesas, eles podem até obter taxas preferenciais. Isso faz da mineração algo mais lucrativo do que para uma pessoa privada.

Conclusão

Plataformas de mineração em nuvem podem ser bastante lucrativas. Contudo, é necessário avaliar diversos aspectos antes de tomar riscos e arriscar seu próprio dinheiro. A maior vantagem destas plataformas é oferecer ao cliente é não precisar investir altos valores em hardware de mineração. Também não é necessário gastar grandes quantias com sua operação.

Contudo, embora a mineração em nuvem possa ser lucrativa, é necessário ter cuidado com as plataformas que oferecem serviços “muito bons para serem verdade”.

Nem todas as plataformas que encontramos na internet são confiáveis ou operam de forma legítima. Inclusive, diversas operam em esquema de pirâmide, captando grandes quantias e, depois, simplesmente somem com o dinheiro dos investidores.

Sendo assim, embora a mineração em nuvem permita a mineração de criptomoedas utilizando equipamento de terceiros, ainda envolve grandes riscos. Desde que esse método se tornou popular, muitas pessoas perderam seus investimentos e lucros.

A mineração em nuvem trouxe oportunidades para aqueles que estão em desvantagem. No entanto, é necessário ter cuidado com empresas que estão se aproveitando desta situação.

Veja também: Criptomoedas e inflação, entenda a relação

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts