Intenção para contratação nos últimos meses do ano deve ser o maior desde 2013

Intenção para contratação nos últimos meses do ano deve ser o maior desde 2013

O indicador de contratação deve continuar a ser impulsionado, sobretudo pelo comércio atacadista e varejista, que está confiante em uma forte recuperação das vendas para o final deste ano.

Nem todos os empresários pretendem fazer contratações, sendo que 69% dos entrevistados afirmou que pretende manter do jeito que está o seu quadro de funcionários. A pesquisa de expectativa foi realizada pelo ManpowerGroup.

O indicador de expectativas para o Brasil é de 14%, com um crescimento de seis pontos percentuais em relação ao último trimestre, além da expectativa de fechar com 18 pontos percentuais acima do mesmo período em 2020.

Expectativa de contratação no Brasil não era tão positiva desde 2013

O Brasil não apresentava uma expectativa de contratação tão otimista desde o quarto trimestre de 2013, quando o índice atingiu 17%. Cerca de 800 brasileiros foram entrevistados pelo grupo, onde 19% afirmaram terem intenção de contratar, mas a ampla maioria com 69% não pretendem realizar alterações no seu quadro de funcionários.

As entrevistas foram realizadas entre 14 e 30 de julho. Os empresários destacaram que o país ainda está em um período de incertezas na economia, mas mesmo assim existe um otimismo para a retomada das vendas, o que abre uma boa perspectiva para as empresas e para quem está em busca de se recolocar no mercado de trabalho.

Resultado coloca o Brasil em um cenário de certo destaque

O resultado coloca o Brasil na 21º posição em um ranking de 43 países que foram analisados, onde a expectativa mais alta é a dos Estados Unidos, onde 48% dos empregadores pretendem contratar novos funcionários para as suas equipes.

A recuperação das vendas no Brasil deve acontecer nos últimos três meses do ano sobretudo pelas datas festivas, como o Dia das Crianças, Black Friday e Natal, o que deve provocar uma maior procura dos consumidores aliado a bons preços.

A pesquisa também mostra um pouco sobre a atual dificuldade para se gerar empregos no Brasil, por conta também da alta tributação que é imposta pelo Governo Federal e que dificulta a geração de novos postos de trabalho. Além do que 49% dos brasileiros afirmam que têm dificuldade em serem contratados pela falta de qualificação.

Comparativo através de setores

O destaque para a geração de contratações nos próximos meses deve ser em especial para o comércio atacadista e varejista, com o índice mais forte dos últimos oito anos, onde o crescimento deve atingir de 16 a 37 pontos percentuais no comparativo com o atual trimestre.

O menor ritmo deve acontecer para quem está na administração pública, em que os planos de contratação não vão mudar em relação ao atual trimestre. O crescimento do comércio atacadista e varejista deve chegar à até 22%, seguido de agricultura e indústria com 21%.

No comparativo de contratação por cada região, o Paraná é quem está registrando o índice mais forte desde 2013, seguido de Minas Gerais e da cidade de São Paulo. O Rio de Janeiro é o que apresentou o menor crescimento de todos estados.

Total
31
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts