Grayscale pretende transformar o GBTC em uma ETF de Bitcoin

Grayscale pretende transformar o GBTC em uma ETF de Bitcoin

Pode ser que nas próximas semanas o Bitcoin receba sua primeiro ETF nos Estados Unidos, pelo menos se depender da Grayscale isso irá acontecer. De acordo com o departamento da gigante de investimentos em criptomoedas, faltam apenas alguns “pontos de maturação” para o primeiro ETF de Bitcoin ser lançado na Bolsa americana.

Michael Sonnhenshein é CEO da Grayscale e reiterou que é apenas uma questão de tempo até que o primeiro ETF de Bitcoin passe a ser negociado na Nasdaq. Atualmente, existem outros 13 pedidos de ETFs em análise, sendo que nessas decisões, os Estados Unidos ainda não são o país mais avançado, mas sim o Canadá.

ETF de Bitcoin pode resolver o problema do preço baixo atual?

Para alguns especialistas do criptomercado, um ETF de Bitcoin negociado na maior bolsa de valores do mundo poderia sim, ser uma solução para o momento de baixa que o Bitcoin está apresentando desde maio.

O CEO da Grayscale, também tem a mesma opinião e afirmou publicamente que pretende transformar o seu produto em 100% Bitcoin e o fará assim que tiver todas as condições adequadas: “Acho que em nosso lugar, com a nossa visão de mundo, estamos realmente trabalhando em um ponto que pode ser a maturação do mercado”, afirmou o CEO.

Na semana passada a Grayscale anunciou uma parceria de peso, com o gigante bancário BNY Mellon, que vai oferecer serviços enquanto a empresa se prepara para oferecer o ETF em BTC. A Grayscale têm sido manchete do mercado de criptomoedas devido ao desbloqueio das suas reservas, com opiniões sobre o impacto que isso causou.

Bank of America também deu sinal verde para o Bitcoin

Os avanços institucionais não param apenas por parte do Grayscale, mesmo que o Bitcoin e outras criptomoedas estejam em momento de baixa. Uma outra notícia que impactou o mercado foi dada ainda semana passada, através do Bank of America que resolveu atender os seus clientes e passará a oferecer contratos futuros de BTC.

Outro estudo muito positivo que foi publicado neste mês, revelou que 40% dos investidores institucionais que já estão com reservas de Bitcoin não pretendem se desfazer do ativo digital. Além de manterem-se como “hodlers”, o grupo dos 40% também pretende fazer novos aportes futuros.

B3 já está mais avançada que Bolsa dos Estados Unidos em relação à ETFs de criptomoedas

Os brasileiros já têm a opção de negociar um ETF de Bitcoin pela B3, distribuído em várias das corretoras nacionais. Trata-se do QBTC11, que foi lançado pela QR Asset e foi o primeiro fundo integral em Bitcoin de toda a América Latina.

O ETF replica o índice CME CF Bitcoin Reference e pode ser negociado a partir de um investimento de R$ 100 em uma home broker brasileira. É uma opção segura para quem está começando um investimento em moedas digitais, buscando acima de tudo segurança.

O produto é oferecido sob toda regulamentação aprovada pela CVM e o ETF de Bitcoin da B3 pode ser adquirido através de Modal Mais, Easynvest, Inter e Órama.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts