dividendos

Dois tipos de carteira de dividendos para 2021

Um assunto que é bastante comentado no mercado de ações é o pagamento de dividendos, que por sua vez, acaba sendo um atrativo bastante interessante em relação a escolha dos ativos que se vai investir na bolsa de valores para muitos investidores.

Isso acontece porque os dividendos são uma possibilidade de gerar uma renda extra durante alguns meses, ao passo que a própria ação em si, pode gerar uma valorização atrativa.

Algumas pessoas acreditam que as empresas que não pagam dividendos são na verdade um investimento ruim. Aqui é importante tomar cuidado com isso, já que estamos tratando de coisas diferentes, que são valorização dos ativos e pagamento de dividendos.

Se você está investindo em uma empresa que ainda está em crescimento, é até mais interessante que ela não pague dividendos, já que assim ela possa investir em si mesma o seu lucro buscando alavancar de forma sólida sua própria valorização de mercado e uma entrega de resultados mais efetivos.

Sendo assim, boas pagadoras de dividendos são, na realidade, empresas estáveis que acabam distribuindo dividendos por conta de não conseguir reinvestir todo seu lucro no mesmo Retorno Sobre Investimento (ROI) que ela gera para si mesma.

Leia também:

As empresas melhores pagadoras de dividendos 2020

Quais são as formas de se receber dividendos?

Entender as formas que se tem para receber esses dividendos é o primeiro passo a fim de se montar uma boa carteira de dividendos para 2021. Sendo assim vamos citá-las a seguir.

Para receber esses dividendos, há 5 formas essenciais que podemos utilizar. A primeira delas e também a mais comum é na forma dinheiro, ao qual a própria empresa disponibiliza na carteira do investidor um determinado valor que já havia sido predeterminado por ela mesma.

Esse tipo de pagamento é feito através de um valor determinado pela empresa previamente e que pode ser calculado de acordo com o número de ações que o acionista possui. Outra possibilidade, é a representação deste valor em percentual.

Uma segunda forma de receber seus dividendos, é justamente através do valor ser pago através de mais cotas de ações, de modo que a empresa oferece cotas de ações proporcionais a participação do investidor como um acionista dela.

Desse modo, você consegue muitas das vezes fazer uma espécie de “bola de neve” de valorização a longo prazo com determinada empresa de sua confiança, já que as ações que você receber podem render ainda mais lucros no futuro.

Uma terceira forma de receber seus dividendos é na forma de um dividendo especial. Esse tipo, em específico, é relacionado a um pagamento que não estava previsto pela empresa de forma antecipada, e acaba sendo uma espécie de bônus para seus acionistas.

Ele geralmente acontece no caso de mudanças nas regras da B3, nas leis do país que possam interferir nisso ou até mesmo na venda de alguma parte da empresa, que por sua vez, acaba gerando um forte caixa para a mesma, que traz a possibilidade de dividir isso com seus acionistas.

Em relação a mudança das regras, a justificativa pode ser a realização de pagamentos antecipados, a fim de que não precise pagar mais a frente, devido alguma alteração que possa não ser interessante para a própria empresa pagar isso em um futuro mais próximo, mas sim, naquele momento que não estava previsto.

A quarta forma de receber dividendos é o pagamento do que se chama de Juros Sobre Capital Próprio, conhecido pela sigla JCP, ao qual o investidor precisa necessariamente pagar imposto de renda em 15% em relação a este valor que recebe.

Esta modalidade acaba sendo mais vantajosa para a empresa pois ela recebe isenção fiscal, que possibilita um pagamento maior aos investidores.

A quinta e última maneira de se receber esses dividendos é quando eles são pagos na forma de direitos de subscrição, que acontece quando a empresa acaba emitindo mais ações na bolsa. Essa subscrição funciona como uma espécie de vantagem dos acionistas, que poderão comprar ações da empresa antes mesmo dela ser liberada ao mercado

Vale a pena montar uma carteira voltada somente a dividendos?

O fato é que hoje os dividendos são uma parte importante que muitas empresas têm feito questão de sempre distribuir aos seus acionistas, uma vez que é um fator muito atrativo para conseguir que mais pessoas possam investir nela, e assim, a empresa consiga mais dinheiro para conseguir realizar aquisições ou melhorias significativas para crescer ainda e fazer algo que atribua cada vez mais valor à sociedade.

Uma carteira de dividendos é muito interessante de ser realizada no sentido de montar uma renda passiva, porém, deve-se levar em conta que algumas vezes não teremos necessariamente um ganho com ela propriamente dito.

Isso acontece porque algumas ações podem ficar em zero a zero na valorização depois de um tempo, ao passo que outras podem até mesmo se desvalorizar. Desse modo, não é tão interessante olhar rigidamente o valor apenas de dividendos que essas empresas pagam, mas também o potencial de valorização que elas possuem atrelado aos dividendos.

Afinal, se o dividendo às vezes não conseguir abater a desvalorização que o papel daquela empresa teve, na prática o que aconteceu foi a perda de dinheiro, ao passo que o investidor acaba enganando-se achando que os dividendos recebidos trouxeram um ganho.

Analisar esses pontos é essencial para quem pensa em montar uma carteira de dividendos que seja de fato lucrativa e consistente, ao passo que jamais se deve pensar única e exclusivamente apenas nos indicadores de boas pagadoras de dividendos.

Mas se você analisa duas empresas, no qual precisa escolher uma delas, e ambas são do mesmo setor, talvez o pagamento de dividendos seja um fator decisivo na escolha entre elas. Muito cuidado também em se analisar dividendos apenas por valores sem antes ver o setor que elas estão atuando.

Comparar empresas de dois setores diferentes da mesma forma pode ser um erro tanto na questão de um estudo de valorização a longo prazo, como também na própria análise dos dividendos que ela paga.

Vale destacar que algumas empresas que possuem um alto crescimento em pouco tempo, algumas vezes estão focadas em reinvestir seu capital na aceleração desse crescimento, desse modo, são mais interessantes na valorização do seu ativo, mas não no pagamento de grandes dividendos aos seus acionistas.

Isso acontece porque o pagamento de dividendos é mais visto em ações de empresas mais consolidadas no mercado, que possuem um caixa mais robusto, e as empresas ainda em crescimento estão com o esforço mais voltado em crescer ainda mais seu valor de mercado, antes de distribuir o lucro aos seus investidores.

O que levar em conta na montagem de uma carteira de dividendos para 2021?

Primeiramente é preciso entender que alguns setores, que como dissemos, estão envolvidos com empresas mais consolidadas no mercado, possuem um destaque maior no pagamento de dividendos de forma histórica.

Sabendo quais são esses setores, fica mais simples saber onde olhar de forma mais aprofundada as possibilidades que se têm para montar esta carteira de dividendos, já que as empresas conhecidas como boas pagadoras de dividendos tem uma propensão maior de também serem interessantes nisso num futuro próximo.

Outro ponto a se analisar, é que o ano de 2020 acabou sendo atípico, assim, é preciso olhar com cuidado alguns setores em que o poder de caixa não tenha sido tão afetado pela crise como as demais, o que também interfere nos pagamentos dos dividendos para o ano de 2021.

Geralmente os setores que mais pagam dividendos são os do setor bancário e também os denominados Utilities, que são as empresas voltadas a distribuição de energia, saneamento e afins.

Pensando em todos esses fatores, vamos citar aqui opções interessantes para o ano de 2021, embora isso não seja uma recomendação de compra de nenhuma forma, mas sim uma análise a respeito de uma propensão maior a um de pagamento de dividendo interessante, juntamente com uma boa expectativa de crescimento da empresa.

Empresas e fundos interessantes para se observar em 2021

Começando pelo setor bancário, vemos que são uma forte possibilidade para o ano de 2021, já que o próprio Conselho Monetário Nacional travou a distribuição de dividendos em até 25% em 2020, de modo que o próximo ano deve vir com tudo para a volta desses pagamentos.

Uma análise em relação ao setor, foi realizada pelo estrategista-chefe da Levante, Rafael Bevilacqua, ao qual aponta que Itaú e Bradesco podem ser opções relevantes de boas pagadoras de dividendos para o próximo ano.

Isso decorre por conta do Itaú, com o papel de ações da ITUB4, ter uma perspectiva de um Dividend Yield na faixa de 5,4% até 6,9%, levando em conta uma projeção até mesmo um pouco conservador de um cenário em que o crescimento do banco seja abaixo do obtido em 2019, segundo o especialista.

Rafael ainda apontou uma sensibilidade maior em relação ao banco Bradesco, do papel de ações BBDC4, que por sua vez, teria segundo sua estimativa um Dividend Yield de 5,2% até 6,7%, levando em conta um cenário de queda do lucro da empresa em aproximadamente 10% a 30% no ano.

Outra possibilidade levantada por Rafael seria a Mahle Metal Leve, do papel de ação LEVE3. A Metal Leve é uma indústria brasileira fabricante de autopeças com sede em Mogi Guaçu, interior de São Paulo, e que tem possibilidade de dividendos interessantes para 2021, até por conta da baixa concorrência, poder de transformação ao longo do tempo e uma boa eficiência energética.

A estimativa levantada é que se tenha um Dividend Yield de 5,1% a 6,7%, mesmo com a estimativa de uma queda no lucro numa faixa de 20% a 40%. No setor energético, Rafael levantou a análise da Transmissão Paulista, a Isa CTEEP, do papel de ações TRPL4.

Para a Transmissão Paulista, a estimativa seria sobre um cenário de lucro da empresa em torno de R$1,8 bilhão no ano de 2021, que traria um Dividend Yield em torno de 4,8% a 7,2%, considerando a distribuição de 50% a 75% do lucro em dividendos.

No setor de saneamento, a análise foi em torno da Sanepar, do papel SAPR4, a Companhia de Saneamento do Paraná, que é uma empresa brasileira que detém a concessão dos serviços públicos de saneamento básico em cidades do Estado do Paraná.

Para a Sanepar, a estimativa foi em torno de um lucro de aproximadamente R$ 1,2 bilhão, de modo que se a empresa fizer o pagamento de dividendos entre 25% e 40%, o dividend yield delas seria em torno de 4,0% a 6,3%.

Outra forma de olhar essa estratégia de montagem de carteira para 2021, olhando além do Dividend Yield estimado para o ano que vem, foi a abordagem de empresas ou fundos que pagaram dividendos em meses diferentes, porém, abordando uma forma de receber durante todos os meses alguns dividendos.

Essa estratégia seria voltada a ideia de receber dividendos todos os meses em 2021, ou pelo menos, uma possibilidade de que isso aconteça, já que obviamente uma empresa que pagou em 2020, não necessariamente pagará em 2021, mas esta possibilidade aumenta. Essa carteira teórica foi montada por Thiago Reis, que foi sócio-fundador da Set Investimentos e é fundador da Suno Research. 

A carteira Teórica de Thiago Reis que pagou dividendos em 2020 e que tem a possibilidade de pagar em 2021 ficou da seguinte forma:

No mês de janeiro temos a empresa Engie, que é a é a maior geradora privada de energia do Brasil, e possui o papel de ações EGIE3. Ela pagou pagou seus dividendos em 29 de Janeiro de 2020, e é uma das que mais pagam dividendos do setor, que já é um setor propenso a ter uma maturidade maior e boa geração de caixa. No mesmo setor, tivemos a colocação da Taesa, dos papéis TAEE11, TAEE3 e TAEE4, que pagou dividendos em 15 de maio.

No mês de fevereiro temos o Iridium, IRDM11, que é um fundo Imobiliário, que pagou dividendo no dia 18, e que é um do ramo de recebíveis imobiliários, sendo assim, por ter essa característica, já paga dividendos todos os meses.

Outros fundos imobiliários citados são o da Maxi Renda (MXRF11), que pagou todos os meses e seria uma possibilidade para o mês de abril, e um fundo do BTG Pactual do código, do código BCFF11, que pagou no mês de junho.

Em março a Itaúsa, dos papéis ITSA4 e ITSA3, foi citada como a que pagou dividendos no dia 06 de Março, que como já dissemos, já tem uma fama por pagar bons dividendos no setor bancário e deve voltar com tudo no pagamento deles para o ano que vem, por conta do travamento ocorrido em 2020.

No setor bancário ainda tivemos Banco do Brasil Seguridade (BBSE3, BBSE4), que pagou seus dividendos em 24 de Agosto, e o Bradesco (BBDC4 e BBDC3) que pagou no dia 03 de Novembro.

Em relação aos demais meses restantes tivemos o mês de maio com a Hypera (HYPE3 e HYPE4) que pagou no dia 15 e é a maior empresa farmacêutica brasileira em termos de receita líquida e capitalização de mercado.

Para o mês de setembro, a opção abordada foi a Petrobrás, PETR4 e PETR3 que pagou no dia 30 e se torna uma opção interessante para dividendos neste mês. No mês de outubro a opção escolhida foi a EzTec (EZTC3 e EZTC4) que pagou seus dividendos no dia 2, e se torna a primeira e única opção desta carteira em relação ao setor de construção.

Por fim, o mês de dezembro levou a empresa Fleury, dos papéis FLRY3 e FLRY4, que pagou seus dividendos durante este mês e se tornou uma ótima opção para 2021. Ela é uma das maiores e mais tradicionais empresas de medicina diagnóstica do País. Sendo assim, com estas empresas e fundos, seria possível a montagem de uma carteira com o objetivo de recebimento de dividendos para todos os meses do ano que vem, que mesmo não sendo uma garantia, é uma grande possibilidade.

Conclusão

Como dissemos, a construção de uma carteira totalmente voltada ao pagamento de dividendos pode ser uma excelente opção para 2021, desde que seja pensada de forma estratégica e inteligente, levando em conta fatores como o próprio pagamento de dividendos, o setor que pertence e também a possibilidade de crescimento da empresa.

Apresentou-se aqui a possibilidade de dois tipos de estratégia para se montar uma carteira de dividendos para o próximo ano, mas ao mesmo tempo vale ressaltar que as empresas e fundos citados aqui em nenhum momento foram uma recomendação de compra.

Essas estratégias tiveram como ideia principal a estimativa do Dividend Yield futuro para o ano de 2021, com base nas estimativas feitas por Rafael Bevilacqua quanto ao lucro dessas empresas e o pagamento de dividendos que elas poderiam realizar.

A segunda forma de análise foi justamente a de Thiago Reis, que por sua vez, criou uma carteira de dividendos para o ano que vem voltada a ideia de recebimentos mensais de dividendos, levando em conta os pagamentos realizados no ano de 2020. 

A partir disso, é muito importante que o leitor entenda as possibilidades que ele tem, o tipo de análise que pode ser feito, e assim, andar com as próprias pernas para tentar montar sua própria carteira de dividendos para o ano que vem, de modo consciente e responsável, sabendo de seus riscos e conhecendo as empresas que pretende investir.

Total
46
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts