China bloqueia contas que falam sobre criptomoedas no Weibo

China bloqueia contas que falam sobre criptomoedas no Weibo

Nesse último final de semana houve uma intensificação da repressão a criptomoedas e mineração de bitcoin em Pequim. Em decorrência disso, a China que possui uma rede social similar ao twitter, chamada Weibo, bloqueou muitas contas relacionadas às criptomoedas e afins. A mensagem que aparecia para os usuários era de que a conta “viola leis e regras”.

As criptomoedas já estão a certo tempo no mercado, no entanto, recentemente a China começou a promover ações contra esses ativos. Em maio, por exemplo, o conselho de estado do país fortaleceu uma campanha contra criptomoedas. A campanha buscava reprimir a comercialização e mineração de bitcoin.

Além disso, a intensificação da campanha contra as criptomoedas teve início alguns dias após três órgãos da indústria terem banido pagamentos e serviços financeiros com o sistema cripto. Ademais, mais ações repressoras são esperadas pelo governo Chinês. A vinculação de atividades criptográficas com a lei é uma delas.

Repercussão das ações da China

Um entusiasta do bitcoin e outras criptomoedas que se auto intitula “Mulher Dra. Bitcoin mini” postou um comentário sobre a repreensão no Weibo. Segundo ele, “é um Dia do Julgamento para a criptografia KOL”. O usuário teve sua conta principal cancelada neste último sábado.

Segundo o professor adjunto da Escola de Direito de NYU, Winston Ma: “O governo deixa claro que nenhuma versão chinesa de Elon Musk pode existir no mercado de criptografia chinês”. O professor Ma também deixou claro estar no aguardo de uma decisão da suprema corte chinesa sobre o tema criptomoedas.

Vale ressaltar que a suprema corte da China está averiguando a possibilidade de relacionar a mineração de criptos, com o direito penal do país. Ele também é autor do livro The Digital War e acredita que a publicação da interpretação judicial sobre o tema sairá em um futuro próximo. Ademais, até o momento todas as regras contra criptomoedas foram publicadas por órgãos administrativos na China.

Nesse ínterim, um regulador financeiro vai de encontro a opinião do professor e disse que a interpretação judicial da suprema corte chinesa é a chave para resolver a ambiguidade legal. Ao passo que a mesma não conseguiu identificar corretamente quais as empresas de comércio de criptomoedas que atuam com operações ilegais.

Como a mídia chinesa enxerga as criptomoedas

Recentemente, a Xinhua, agência oficial de notícias chinesa, publicou artigos que evidenciam muitos golpes dentro do sistema de criptos. Além disso, a CCTV, uma emissora estatal, declarou que as criptomoedas são ativos de baixa regulamentação.

O que permite que sejam usadas no comércio no mercado negro, lavagem de dinheiro, tráfico de armas e drogas e jogos de azar, por exemplo. Vale destacar que o Banco Central da China está no processo de realizar testes com a nova moeda digital do país. Juntamente com isso, houve o congelamento do Weibo acontecendo enquanto a mídia chinesa aumenta o número de denúncias contra o cripto mercado.

Por fim, não é possível relacionar esses acontecimentos, mas é válido dizer que nenhuma ação é feita por acaso, principalmente quando se trata de criptomoedas e “caça” com esse tipo de ativo que a China tem realizado.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts