Cartão de crédito: Brasil aumenta seu uso na pandemia

Cartão de crédito: Brasil aumenta seu uso na pandemia

Um levantamento feito pela Associação Brasileira de Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) apontou que pelo menos 30% das compras que são feitas através da internet utilizam o cartão de crédito para pagamento.

A pesquisa foi feita no quarto trimestre de 2020 e mostra que a relação entre os brasileiros com o cartão de crédito acabou mudando durante a pandemia. O mesmo levantamento feito pela Abecs, só que dessa vez em 2018, mostrou que esse número cresceu 7 pontos percentuais, já que era de 23%.

Embora o número pareça pequeno, na verdade se trata de um dado bastante relevante sobre as informações e mudanças de hábitos no consumo dos brasileiros. Mas a mudança do Brasil para com o cartão de crédito não é à toa, já que esse segmento tem passado por diversas transformações que atraíram muitos brasileiros para esse meio.

O superintendente executivo de cartões do Santander, Rogério Panca, disse em uma publicação exclusiva da CNN Brasil Business que “A gente tem registrado uma queda de 32% nos pagamentos feitos em dinheiro em relação ao ano de 2019″, o que mostra que não só cartão de crédito tem sido mais utilizado, mas que o dinheiro físico em si tem sido cada vez menos usado. Mas o que levou a isso?

Cartão de crédito passou a ter mais vantagens

Antes o cartão de crédito acabava sendo um dos grandes inimigos na hora de controlar as dívidas, principalmente por conta dos altos juros que estavam associados, além de outros custos como o pagamento de anuidade.

Com o aumento da concorrência no setor, principalmente com o crescimento de fintechs nesse meio, muitos dos cartões de crédito passaram a trazer possibilidades interessantes, zerando a anuidade e ainda oferecendo programas de cashback e outras vantagens aos seus clientes.

Hoje em dia, através de critérios diferenciados, é possível até mesmo pessoas que estão com o nome sujo terem cartão de crédito. Importante destacar que além dessas questões que favoreceram o uso dos cartões de crédito, essa forma de pagamento acabou se expandindo junto com a digitalização.

Durante a pandemia, os meios digitais passaram a ser mais utilizados nas finanças, seja para realizar compras ou até mesmo arcar com outros compromissos importantes no pagamento de contas. Isso vem de encontro justamente com a informação de Rogério Panca sobre o quanto despencou o uso do dinheiro físico.

A digitalização também acelerou esse processo no Brasil

Os juros referente aos parcelamentos e os custos associados a eles tornaram-se mais acessíveis e menos comprometedores ao bolso do trabalhador. Isso aconteceu porque os juros no Brasil acabaram ficando boa parte do tempo em baixa durante a pandemia, embora tenha começado a aumentar e tem a perspectiva de continuar crescendo em 2021.

Além disso, o aumento do desemprego e a redução da renda em um momento atípico como este, associado a alta dos preços de produtos e serviços fez com as empresas oferecessem novas condições de pagamento, também entendendo esse momento de dificuldade e isso foi facilitado com esse aumento do uso de aplicativos e os meios de pagamento pela internet.

Até mesmo pessoas de baixa renda passaram a adotar os meios digitais, já que o Auxílio Emergencial é pago através do aplicativo do Caixa Tem e os recursos podem ser gastos diretamente pelo aplicativo. Com essa digitalização entre pessoas que não tinham antes acesso a esses meios, também aumentaram o número de golpes envolvendo o cartão de crédito e outras formas de pagamento, como o próprio PIX.

Vale destacar, no entanto, que com as empresas aprendendo cada vez mais a vender pela internet e esse desenvolvimento da cultura de comprar pela internet pelos consumidores, faz com que não só o cartão de crédito possa ganhar mais adeptos, mas também exista uma melhora na educação financeira das pessoas no uso digital.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts