O que é melhor: BDRs ou investir no exterior?

O que é melhor: BDRs ou investir no exterior?

A diversificação é algo que deve ser sempre buscado por qualquer investidor que queira ter sucesso em seus investimentos. E quando digo diversificação, não estou me referindo apenas a tipos de ativos diferentes, mas também em todas as suas variações.

Quando se trata de investidores brasileiros, sabemos que o real ainda tem pouco lastro e importância no cenário internacional. Desse modo, como não sabemos o dia de amanhã, é essencial que tenhamos um olhar mais atento a investimentos em moedas fortes, que tenham mais tempo de história e mais presença no negócios que rege as finanças pelo mundo.

Hoje a moeda mais forte nos negócios internacionais é o dólar. Diversos ativos acabam sendo extremamente importantes hoje para o cenário mundial, mas a maioria deles são comparados ao dólar.

Veja também: Veja o que mudou para declarar bitcoins no imposto de renda 2021

Até mesmo o bitcoin e criptomoedas geralmente são comprados e vendidos através de sua paridade com a moeda americana, o que faz com que ela seja tão presente e importante até mesmo na economia brasileira.

Não apenas o dólar em si, mas diversas outras moedas como o euro e a libra, tem um importante papel no cenário econômico internacional. Estar exposto em diferentes moedas e economias diferentes, pode proteger o investidor das instabilidades políticas e econômicas que eventualmente podem acontecer em algum deles.

No Brasil, em especial, temos um grande histórico de instabilidade política e mudanças nos planos econômicos que aconteceram durante anos na história do Brasil. Aqui, sem dúvidas, virou um “laboratório” de planos e medidas mirabolantes na tentativa de controlar índices inflacionários e outros problemas de política monetária.

Como já dissemos, não sabemos o dia de amanhã e essa frase faz ainda mais sentido quando se mora no Brasil. Sendo assim, investir no exterior, pelo menos uma parte de seu patrimônio torna-se uma medida sensata e uma boa prática de investimento.

Quais são as formas de expor seus investimentos no exterior?

Com a pandemia, a taxa Selic caiu para patamares nunca antes vistos antes durante o ano de 2020, com isso, surgiu a preocupação em preservar o capital fora do país. Muitos preferiram dar fuga das instabilidades políticas brasileiras, além do risco fiscal que acabou sendo uma pauta que ganha cada vez mais força no Brasil.

Manter uma carteira balanceada no exterior em meio a pandemia e fugir do real, pelo menos em partes, pode ser uma alternativa interessante. O real foi uma das moedas com o pior desempenho no mundo em 2020, o que fez com que até mesmo o mercado estrangeiro tirasse grande quantidade de capital do país.

O que é melhor: BDRs ou investir no exterior?

Em 2021, esse desempenho ruim continua. Sendo a Bloomberg, considerando o período de janeiro e fevereiro, o real foi a moeda com maior desvalorização entre países emergentes. Frente ao dólar, essa desvalorização do real nesse período foi de 7,22%.

Até um tempo atrás, para investir nas empresas de capital aberto da bolsa de valores nos EUA ou em outros países era necessário abrir uma conta no exterior, gerando inclusive a necessidade de realizar remessas de câmbio. Esses fatores traziam também diversas questões burocráticas, mas que estão também em constantes mudanças.

Veja também: Dólar nas alturas, vale a pena investir no exterior?

Mas hoje aumentaram o número de opções em que se é possível diversificar os investimentos lá fora, por meio da ascensão dos BDRs. Os BDRs, sigla que significa Brazilian Depositary Receipts, significa “recibos depositários brasileiros” em português.

Esse conceito trouxe maior simplicidade ao investidor brasileiro, oferecendo a oportunidade de investir em empresas fora do país sem a necessidade de comprar dólar ou criar uma conta diretamente no exterior.

Através dos BDRs é possível investir em empresas como Google, Apple, Amazon, Disney, Coca-Cola através da moeda corrente brasileira, o real. Nessa modalidade o investidor brasileiro não está adquirindo diretamente as ações de uma companhia estrangeira, mas sim certificados de valores mobiliários com lastro em ações internacionais.

Os BDRs são negociados na B3, onde a instituição depositária adquire, no exterior, ações de uma companhia e as mantém em conta de custódia. Em seguida, ela cria no Brasil um programa de BDR e as registra na CVM para negociação.

É importante dizer que os preços dos BDRs aqui no Brasil seguem duas variações principais:

  • A variação nas cotas: O preço das cotas, assim como qualquer ação, cai ou aumenta conforme a oferta e demanda do ativo lá fora;
  • A variação cambial: Preço do dólar em paridade comparativa com o real.

Isso permite que os BDRs tenham em alguns casos uma valorização dupla, desde que o dólar aumente seu valor frente ao real e as cotas de ativos no exterior também tenham uma valorização.

Os BDRs podem ser patrocinados ou não patrocinados. Nos patrocinados, que são a minoria dos BDRs, as empresas no exterior contratam bancos para que sejam as Instituições Depositárias, que por sua vez, irão fazer o lançamento das ações dessa companhia na bolsa de valores brasileira.

O que é melhor: BDRs ou investir no exterior?

Veja também: Risco de processo faz 5 conselheiros da Petrobras desistirem da renovação de mandato

Há também os não patrocinados, no qual são os bancos que possuem ações na empresa e emite os BDRs, mas nesse caso, a empresa não tem qualquer tipo de responsabilidade nisso, apenas as Instituições Depositárias, ou seja, o banco.

Nas patrocinadas ainda existem 3 níveis, onde as diferenças pontuais podemos observar na tabela abaixo:

O que é melhor: BDRs ou investir no exterior?

Além disso, é importante citar aqui que existe uma terceira opção de investimento no exterior que são as empresas Offshore, no qual tem contas abertas em território estrangeiro e monta sua empresa no país em questão.

Mas apesar disso, diversos debates surgem através das formas diferentes de expor seus investimentos no exterior e há muitas discordâncias entre os analistas. Mas afinal, o que é melhor: Comprar BDRs ou investir no exterior diretamente por meio de uma conta própria lá fora?

BDRs ou conta no exterior?

Independente de qual opção você escolher, existem os prós e os contras para as duas possibilidades, então é importante que você analise cada uma delas pontualmente para não tomar nenhuma decisão precipitada.

Em termos de simplicidade para investir, a possibilidade dos BDRs acaba sendo mais vantajosa. Qualquer corretora brasileira que você tenha conta, é possível investir nos BDRs através de seu home broker de forma rápida e prática.

Quando você abre uma conta no exterior e investe diretamente no país que você quer adquirir os ativos, provavelmente você tem um número muito maior de possibilidades, já que nem todas as empresas com capital aberto na B3 tem BDRs aqui no Brasil.

Importante dizer que quando você investe em BDRs, você não está adquirindo diretamente as ações, mas sim um recibo que comprove o seu direito de ter essas ações e ser detentor delas, por meio de uma instituição que faz a custódia dessas ações no exterior.

Veja também: PIB brasileiro tem maior retração desde 1990. Veja os números!

Nos BDRs não patrocinados, há um risco associado aos seus direitos, uma vez que eles vão de encontro com a legislação e regulação vigente do país sede da empresa em questão, no qual você adquiriu os recibos. Importante frisar que esses riscos associados são baixos e difíceis de acontecer, mas vale a pena ter conhecimento sobre.

Abrir uma empresa no exterior, como já citamos anteriormente, conhecida como Offshore, acaba sendo uma modalidade um pouco diferente destas. Mas a carga tributária que você terá que arcar pode ser interessante ou não dependendo do país que você está investindo. Mas mesmo assim, acaba sendo a melhor forma de investir diretamente no exterior (sem ser por BDR).

Mas voltando à discussão da comparação entre BDRs e conta no exterior, é importante dizer que os custos dos BDRs acabam sendo não tão relevantes, já que hoje é possível comprá-las sem custos de corretagem.

Há um risco nos BDRs de ter um spread um pouco mais alto (ou não), dependendo da liquidez do ativo aqui no Brasil (BDR) que se está pretendendo comprar. Vale lembrar que essa diferença de preço na compra aqui ou no exterior já foi muito maior no passado do que agora. Desse modo, a maior parte dos spreads nos BDRs do Brasil acabam sendo pouco relevantes hoje.

Vale ressaltar que sobre os dividendos dos BDRs você precisa arcar com um custo extra para investir, já que nas legislações lá fora, diferente do Brasil, ocorre uma tributação governamental sobre os dividendos em diversos países.

Nos custos para se comprar ativos em contas no exterior, há uma variação que depende de qual corretora você escolhe, além da variação cambial que pode influenciar nesse quesito também, taxa de corretagem, além de outras variáveis.

Imposto nos BDRs e no exterior 

Deve-se considerar também a possibilidade de pagamento do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF), caso seja necessário, ou de qualquer outro tributo que precise ser colocado na ponta do lápis.

Nos BDRs, o pagamento de Imposto de Renda vai ser feito através dos 15% do lucro obtido. Investindo diretamente nos EUA, você não precisa necessariamente pagar esse valor.

O pagamento, nesse caso, vai ser conforme se atinja US$35 mil em vendas de ações, conforme as regras estabelecidas por lá. Cada país terá suas próprias regras em relação a isso, ao qual você precisa ficar atento na hora de declarar Imposto de Renda em seus ativos.

De modo geral, os BDRs podem ser mais interessantes nas questões de custos, embora não seja uma regra dependendo de todas essas variáveis. No exterior você terá muito mais possibilidades de investimento, onde você também não terá muitos problemas em relação à liquidez dos ativos.

Essa liquidez é algo que deve ser considerado nos BDRs, embora esse problema hoje não seja algo tão relevante como foi há tempos atrás. Vale ficar atento na análise de ativos pontualmente e verificar caso a caso.

Conclusão

Após expor aqui as diferenças principais entre BDRs e investir no exterior de forma direta, você deve estar se perguntando: “Mas qual deles é melhor?” Se você prestou atenção em todos os pontos colocados, percebe que na verdade não existe um melhor e sim, aquele que se encaixa melhor a você, conforme o que você procura.

Cada um deles vai ter vantagens e desvantagens em relação ao outro, e o que vai ter é o melhor investimento para você. De modo geral, mas não sendo uma regra, se você procura praticidade e facilidade para se expor lá fora, os BDRs podem ser a melhor opção para você. Se você procura maior número de ativos e possibilidades de investimento, abrir uma conta pode ser mais interessante.

Nos custos, os BDRs são uma excelente alternativa para isso, embora surjam diversas variáveis nesse meio, que possam pender para o outro lado. De qualquer modo, é importante lembrar que os BDRs podem ser convertidos para ativos diretos no exterior.

Sendo assim, você pode usar seus recibos adquiridos para obter as ações daquela empresa no país sede, com alguns custos atrelados, mas que permitem você mudar de ideia se necessário.

Total
1
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts