Cannabis

Sim, é possível investir em Cannabis de forma legal e rentável!

Uma pergunta que geralmente paira na cabeça dos investidores tem relação sobre como é possível diversificar seus investimentos e ter mais rentabilidade. Certamente esse é o tipo de questionamento que todos gostariam de ter a resposta.

Contudo, a verdade, é que para encontrar uma resposta é necessário realizar muito estudo sobre os diferentes mercados para decidir pela melhor opção. Com isso, é de bom conhecimento que altos riscos trazem altas possibilidades de retorno.

Nesse sentido, aqueles que acreditaram no poder do Bitcoin e outras criptomoedas. Hoje desfrutam de grandes ganhos. Dessa forma, outro mercado, que iremos tratar nesse artigo, que já vem tendo grande rentabilidade e tem futuro promissor, é o de cannabis.

Sendo a liberação de uso e comercialização ainda muito discutido pelo mundo. Com isso, o crescimento do mercado vem sendo bastante promissor, principalmente após alguns estados dos EUA liberarem o uso e comercialização.

Embora muitos associem somente ao uso para fins recreativos. A cannabis tem sido de grande importância para a fabricação de fármacos e produtos veganos. Com isso, neste artigo iremos explicar sobre o mercado de cannabis e como é possível realizar investimentos no setor direto aqui do Brasil. 

Veja também: ESG: Conceito que tem transformado o mercado financeiro

O Mercado de cannabis

Cannabis

No último ano, o mercado mundial (estamos falando aqui do mercado legal) de cannabis, teve receita de US$21,3 bilhões de reais. Este valor significa um aumento de 48% em relação ao ano de 2019.

Estes valores despertam o interesse de diversos investidores. Para se ter noção, com a agenda regulatória para permitir o cultivo da cannabis para fins medicinais. Serão gerados 117 mil empregos e movimentar R$ 26 bilhões até 2025.

Nesse sentido, em relação aos EUA, como uma agenda regulatória englobando todo o país, existe o potencial de geração de 1 milhão de empregos. Já em relação à movimentação monetária, espera-se um aumento de US$130 bilhões no recolhimento de impostos pelo país também até 2025.

Ainda segundo alguns especialistas, as ações do mercado de cannabis possuem potencial para repetir o desempenho das empresas americanas de tecnologia. Estas tornaram pessoas comuns em ricas para quem realizou investimento na década de 90. Nesse sentido, obtiveram ganhos de 200% até 260.000% até os dias de hoje.

Sustentabilidade vinculada a cannabis

O que poucos sabem, é que a cannabis não se restringe apenas a uso recreativo e fabricação de medicamentos. Nesse sentido, existe um mercado de sustentabilidade que pode se aproveitar da agenda regulatória no Brasil e no mundo.

Isso se dá pelo mercado do cânhamo. Uma variedade da planta que pode ser utilizado na indústria de vestuários, cosméticos, etc.

Nesse sentido, o cânhamo industrial é um tipo de cannabis que possui baixor teor do THC, o princípio psicoativo da cannabis. Além disso, existe um levantamento publicado pela empresa Kaya Mind. Que diz que, enquanto 1kg de algodão gasta 17 mil litros de água, a mesma quantidade de cânhamo utiliza 700 litros.

Com isso, a planta possui produção de carbono negativa, ou seja, absorve mais CO2 da atmosfera do que sua colheita, processamento e transporte do que joga na atmosfera.

Segundo a empresa Kaya Mind, além de super-resistente é super absorvível, podendo reter água por mais tempo do que o algodão. Abaixo traremos alguns exemplos de aplicação por diferentes indústrias.

Indústria Papeleira

Curiosamente, a utilização do cânhamo para a fabricação de papel não data de hoje. O primeiro livro na China e a Declaração de Independência dos Estados Unidos utilizam o material.

A cannabis possui maior concentração de papel do que a própria celulose, sendo possível obter mais papel em menor tempo por hectare plantado. Além disso, o processo exige pouca manipulação química.

Bioplástico

O mercado de bioplástico, tipo de plástico que não é derivado de petróleo e é biodegradável, também é beneficiado com a regulamentação da cannabis. O motivo se assemelha ao da indústria papeleira. Como acréscimo, a cannabis possui propriedades capazes de gerar materiais tão fortes e resistentes quanto os plásticos convencionais.

Nesse sentido, a celulose do cânhamo pode ser utilizada para a construção de partes de automóveis, instrumentos musicais, brinquedos, recipientes etc. As aplicações, inclusive, podem ser feitas através da utilização de impressoras 3D.

Alimentos

A cannabis é uma planta oleaginosa rica em vitaminas e aminoácidos. Assim, possuindo grande potencial para funcionar como alimento. Também produz ácidos graxos essenciais, como o Ômega e Ômega 6.

Com a demanda pelo desenvolvimento de proteínas vegetais. Todo um mercado de alimentos derivados da cannabis se apresentam como boa solução. Estes alimentos podem ser chocolate, leite, panificados, etc.

Como investir em Cannabis no Brasil

No Brasil, para realizar investimento no mercado legal de cannabis, é necessário utilizar um Exchange Traded Fund (ETF). Este meio de investimento negociado em bolsa é atrelado a algum índice de referência.

Contudo, o ETF mais acessível para o investidor é o fornecido pela BTG Pactual. O ETF, intitulado de Cannabis Ativo FIM, é o primeiro fundo com 100% de exposição em cannabis disponível para todos os clientes do banco. É possível iniciar investimento na indústria realizando uma aplicação mínima de R$100.

Com isso, o ETF possui algumas das maiores empresas do setor que atuam na área de biotecnologia, medicamentos, cosméticos etc. Nesse sentido, embora esteja exposto 100% na indústria de cannabis, os seguimentos de atuação são diversificados.

Além do ETF da BTG Pactual, a Vitreo possui o fundo Cannabis Ativo. Com investimento inicial em R$ 1 mil. Além disso, a alocação se divide em 80% em ETFs de cannabis e 20% do fundo canabidiol. Segundo George Wachsmann, gestor da Vitreo, é o melhor momento da história para começar a investir no setor.

Veja também: Lucro de grandes empresas dobra em relação ao primeiro trimestre do ano

Conclusão: mas será que vale o investimento?

É uma daquelas perguntas que todos querem saber a resposta. Contudo, o mercado legal da cannabis já apresenta um crescimento relevante há alguns anos. Outro ponto, é que com a crescente agenda regulatória, liderada pela eleição de Biden nos EUA, espera-se que o mercado tenha crescimento exponencial.

Além de retorno para investidores, os países que passaram a regulamentar o cultivo e utilização para os diversos fins, terão bom impacto na sua economia. A agenda ESG demandada por empresas e consumidores trazem a cannabis para o centro da conversa. O motivo é que a planta pode tornar diversos produtos mais sustentáveis.

Sendo assim, é recomendável diversificar sua carteira de investimentos utilizando fundos de cannabis. Embora ainda não seja possível realizar investimentos diretos em ações no Brasil, os ETFs têm gerado grande rentabilidade. O ETF da BTG Pactual subiu 155% no último ano. Estude e procure estar por dentro deste mercado.

Veja também: Brasil tem piora no Ranking ESG; Confira os impactos disso!

 

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts