Edtech

O que são edtechs e como mudam o mercado de educação

A tecnologia vem mudando a forma que fazemos as coisas e isso se aplica a diversos setores da economia, bem como nosso cotidiano. Isso não é diferente quando o assunto é educação. Nos últimos anos, a tecnologia vem mudando o ambiente educacional, independente da faixa etária do estudante.

Nesse sentido, a pandemia acabou também acelerando o uso de tecnologia na sala de aula. Na verdade, a partir do momento que a sala de aula se torna uma reunião virtual em um aplicativo de videoconferência, a própria sala se torna a tecnologia.

Dessa forma, neste artigo falaremos sobre o conceito de Edtech, que trata justamente sobre a mistura de tecnologia e educação. Sendo assim, entenderemos o que uma Edtech propõe e quais são as empresas disponíveis no setor. Acompanhe esse artigo e fique por dentro do futuro da educação!

O que é uma Edtech?

Edtech

De forma resumida, uma Edtech é uma empresa que utiliza a tecnologia para propor soluções inovadoras para a área educacional. O termo surge do acrônimo entre as palavras Education e Technology. Com isso, essas empresas passam a utilizar essas soluções tecnológicas como uma facilitadora do processo de aprendizagem e aprimoramento do sistema de educação.

Dessa forma, quando falamos de soluções tecnológicas, o escopo de aplicação é bastante extenso. Por exemplo, pode ser fornecimento de cursos online, softwares LMS, plataformas de ensino, games educativos, simuladores de realidade virtual, etc.

Sendo assim, o objetivo das Edtechs é realizar a promoção de um ambiente de aprendizagem mais eficaz, rápido. Assim, melhora a absorção e retenção de todo o conteúdo ensinado na sala de aula. Mas não basta somente a utilização de ferramentas tecnológicas, é necessária uma estratégia que suporte a utilização.

Com isso, hoje, segundo a Abstartups (Associação Brasileira de Startups), existem 449 Edtechs atuando no Brasil. Dentre elas, 70,6% fornecem soluções para o ensino infantil, fundamental e médio. Algumas são organizações sem fins lucrativos, contudo, a maioria são startups que viram no setor uma oportunidade de negócio.

Veja também: Conheça o projeto de educação financeira do BC para o ensino fundamental

O mercado de edtechs

Segundo a Abstartups, 43% das edtechs brasileiras estão sediadas no Estado de São Paulo. Não é um número de se assustar, visto que é o centro econômico do país.

Além disso, no estado, estão os principais sistemas de educação do país, facilitando a proposta de soluções. Em seguida, destacam-se os estados de Minas Gerais (11%), Rio de Janeiro (10%), Paraná e Santa Catarina (5%) e Rio Grande do Sul (3%).

Nesse sentido, em termos globais, quem lidera este mercado são Estados Unidos. Segundo a Associação da Indústria de Software e Informação (SIIA), o mercado de Edtechs americanas vale mais de US$ 8,3 bilhões.

Dessa forma, segundo os analistas da Abstartup, o mercado de Edtechs brasileiro está em expansão. Segundo eles, a combinação do impacto social promovido pelas edtechs e o potencial da área é bastante atrativo para empreendedores. Contudo, ainda há muitos desafios para serem superados.

Segundo Mairum Andrade, gerente de tecnologias educacionais do CIEB, “trata-se de um mercado em que mais de 80% das escolas de ensino básico são públicas, e a aquisição ou a contratação de tecnologia pelas redes públicas de ensino ainda é muito baixa, pouco estruturada e muito burocratizada”.

Contudo, os desafios variam de acordo com o nicho de atuação das edtechs. Por exemplo, os desafios de uma empresa que fornece solução para educação básica irão ser diferentes para aquela que oferece solução para educação corporativa.

Principais Edtechs brasileiras

Entre as 449 edtechs listadas pela Abstartups, falaremos aqui sobre algumas mais conhecidas no mercado. Sendo assim, abaixo falaremos sobre o Descomplica, Alura,e Wtiseed, É possível acompanhar os dados no site da Abstartups.

Descomplica

Fundada em 2011, a empresa começou fornecendo conteúdo de curso pré-vestibular, focado principalmente no Enem. Realizando pagamento de uma assinatura mensal, os usuários têm acesso a aulas gravas, ao vivo, monitoria, correção de redações, etc.

Contudo, hoje, a companhia oferece também conteúdo para concursos públicos, reforço universitário e cursos de pós-graduação. A plataforma possui 230 mil alunos. O sucesso da edtech proporcionou a inclusão no ranking da revista americana Fast Company. O Descomplica foi listado como a terceira empresa mais inovadora da América Latina.

Alura

A Alura fornece conteúdo educacional para um dos maiores déficits profissionais do Brasil. A plataforma possui conteúdo de tecnologia totalmente em português.

Com mais de 1120 cursos, os usuários possuem acesso a formações em programação, design, mobile, marketing digital. Também possui acesso a técnicas de growth marketing, etc.

Além disso, a startup também fornece uma plataforma voltada para a introdução de jovens e adolescentes no mercado de tecnologia.

O pagamento é semelhante ao descomplica, onde os usuários assinam um plano individual. Também possui planos corporativos, fornecendo uma ferramenta de gestão de desempenho para o setor de RH das empresas.

Veja também: A importância da educação financeira infantil

Witseed

A Witseed fornece uma solução um pouco diferente das demais. Esta, mistura o cinema à educação e tecnologia, introduzindo conteúdo audiovisual para educação corporativa.

Dessa forma, a edtech realiza uma adaptação do conteúdo para os profissionais, abordando diversos temas. Entre eles, podemos citar negociação, liderança, automação, processos analíticos e criatividade. Seus principais clientes são Vale, Gerdau, Natura e Simenes.

Conclusão

De forma geral, as startups buscam propor soluções disruptivas para determinados setores do mercado. E é isso que as edtechs propõem. O setor de educação é um tanto tradicional, ao longo do tempo, inseriu poucas novidades tecnológicas em seu ambiente. Por outro lado, a mente humana já está adaptada e possui necessidades em relação à tecnologia.

Nesse sentido, existem pesquisas que mostram o aumento de produtividade de alunos quando é inserido tecnologia na sala de aula. É um mercado de grande potencial, que carece de soluções para determinar um novo caminho.

Contudo, existem diversos desafios, principalmente quando se trata de educação básica. Com isso, soluções em educação corporativa acabam sendo mais atraentes devido a sua viabilidade.

Com isso, é um setor que vale a pena ser acompanhado nos próximos anos. Certamente teremos alguma empresa listada em bolsa em pouco tempo.

 As gigantes Cogna e Yduqs, são duas empresas listadas em bolsa que já compraram edtechs. Dessa forma, já preveem o futuro da educação e começaram a incorporar o conhecimento destas edtechs para si mesmas.

Veja também: Jogos de tabuleiro para educação financeira

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts