Prévia do PIB brasileiro registra alta de 0,44% no mês de abril

Prévia do PIB brasileiro registra alta de 0,44% no mês de abril

O IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), considerado uma prévia do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil, teve uma alta de 0,44% em abril deste ano, na comparação com março. Os dados foram divulgados pelo Banco Central nesta segunda-feira (14). Além disso, o índice registrou alta de 15,92% em relação a abril do ano passado.

Desta maneira, o IBC-Br volta a apresentar crescimento após ter tido sua primeira queda em 10 meses em março. No entanto, os resultados foram abaixo do esperado. Segundo os economistas, a expectativa era de uma alta de 1,35% em relação a março deste ano. Já em comparação com abril de 2020, era esperado um crescimento de 18,2%, levando em conta a queda do PIB  apresentada no ano passado.

Esse resultado abaixo do esperado ocorreu devido à situação da pandemia no Brasil. Muitos lugares ainda contam com sérias restrições de circulação e para o comércio, o que prejudicou o índice e o PIB em consequência.

Deste modo, a produção da indústria brasileira caiu 1,3% no mês de abril. Esse resultado deixou o nível da produção 1% abaixo do registrado antes da pandemia. Em contrapartida, as vendas do comércio e o volume de serviços cresceram acima do esperado em abril. O varejo registrou alta de 1,8% no mês, e o setor de serviços cresceu 0,7% (ainda estando abaixo do nível pré-pandemia).

Crescimento da estimativa do PIB para 2021

Os especialistas aumentaram a previsão do crescimento do PIB para 2021, do mesmo modo que elevaram a estimativa média da inflação pela décima semana seguida, e do juro básico da economia.

Os dados são do relatório Focus, divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central. O relatório é atualizado toda semana, e conta com uma pesquisa feita em mais de 100 instituições financeiras.

Os economistas subiram a estimativa de crescimento do PIB de 2021 de 4,36% para 4,85%. Porém, para 2022, a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto baixou de 2,31% para 2,20%. Isso demonstra então uma reação da economia brasileira, em meio a crise causada pela pandemia de coronavírus.

Inflação no relatório Focus

Juntamente com o PIB, as previsões para a inflação deste ano também subiram. Em relação ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), inflação oficial do Brasil, as expectativas foram de 5,44% para 5,82%.

O centro da meta da inflação para este ano é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Isso significa que a meta será cumprida se a inflação ficar entre 2,25% e 5,25%. Deste modo, as projeções do IPCA ficam cada vez mais acima do teto da meta.

Além disso, as previsões para a taxa básica de juros também aumentaram. O mercado financeiro subiu de 5,75% para 6,25% ao ano a previsão para a Selic ao final deste ano.

Em suma, os resultados positivos do PIB trazem esperança para a economia brasileira em meio à pandemia de coronavírus. No entanto, eles vêm em conjunto com uma alta da inflação e uma alta dos juros.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts