Por que educação financeira deveria ser ensinada nas escolas?

Por que educação financeira deveria ser ensinada nas escolas?

Porque a educação financeira se tornou um assunto tão importante atualmente? O tema “finanças” ainda é um tabu em muitos lares brasileiros e muitos pais privam seus filhos de conhecerem a rotina financeira de sua própria casa, contudo a solução pode estar no ambiente escolar. As escolas podem ter um papel fundamental para mudar esse cenário.

Assim, ainda que muitos assuntos de extrema importância sejam abordados em uma sala de aula, o tema educação financeira só ganhou maior relevância recentemente, quando o ciclo de baixa na taxa de juros chegou ao nível mínimo histórico em março de 2020.

Nesse sentido, o artigo de hoje tem por objetivo mostrar os benefícios da implementação de programas de governo na escola pública. Algo que de certa forma, já está até sendo realizado em duas frentes, pelo governo federal através do MEC e pelo Banco Central.

Educação financeira nas escolas

Em agosto, o governo federal por meio do MEC lançou um programa com essa finalidade de ensinar educação financeira nas escolas. O programa foi desenvolvido para professores, para que os mesmos possam lecionar sobre o assunto em suas aulas.

No Brasil, após a atual pandemia, muitas famílias tiveram que mudar o padrão de vida e cortar gastos em casa e isso pode ser um tema bastante desconfortável a ser discutido com uma criança ou um adolescente.

Nesse contexto, a sala de aula pode ser um ambiente importante para que temas dessa complexidade sejam tratados, dado que isso poderia ser feito de uma forma mais leve e natural. Uma vez que estejam habituados a lidar com esse assunto de forma teórica poderão entender melhor o contexto em que estão inseridos na prática e contribuir com a nova rotina adotada.

Veja também: 5 dicas para começar a educar financeiramente seus filhos

Projeto Piloto do Banco Central Para as escolas

O primeiro projeto a ganhar notoriedade com foco nas instituições públicas de ensino fundamental, foi o “aprender valor”. Esse projeto incluiu 429 escolas em 250 municípios localizados nos estados do Ceará, Minas Gerais, Pará, Paraná, Mato Grosso e Distrito Federal.

Diferente do projeto proposto pelo MEC, o “aprender valor” foi desenvolvido com foco em uma plataforma online com intuito de ser utilizado em qualquer escola do país. Além disso, foi fornecida capacitação para os profissionais de educação utilizarem a plataforma.

Enquanto isso, a parceria entre MEC e CVM visa capacitar os docentes para atender um todo de 25 milhões de alunos, que inclui não apenas os estudantes do ensino fundamental, mas também alunos do primeiro ano do ensino médio.

A ideia é oferecer capacitação para esses profissionais, para que seja possível replicar os conhecimentos adquiridos, criando nos alunos uma cultura de poupança, prevenção de gastos, investimentos e claro, consumo consciente.

Os benefícios da educação financeira na vida dos jovens

 A adolescência é a idade em que muitos jovens fazem planos, sonham em ter sua casa própria, com a sua independência financeira, seu carro, etc. A educação financeira pode ajudar o jovem a administrar seus recursos fazendo com que esses sonhos sejam possíveis.

Ensiná-los a entender sobre princípios básicos de economia e porcentagem, por exemplo, pode torná-los mais independentes e assertivos, evitando futuros problemas de inadimplência.

 E quando se trata de inadimplência, segundo dados de maio deste ano, cerca de 39% da população adulta encontra-se inadimplente na Serasa e o total de devedores é o maior desde agosto de 2020. Muitos fatores podem ser apontados como a causa desse problema como a pandemia de COVID-19, alta taxa de desemprego no país, os aumentos das taxas de juros e etc.

Veja também: A importância da educação financeira infantil

A pandemia e a reflexão sobre reserva de emergência

Durante a pandemia muitos tiveram dificuldade em administrar seus gastos e o número de desempregados chegou perto dos 15 milhões, no primeiro trimestre de 2020. Ainda assim, muitos tentaram manter o mesmo padrão de vida, acumulando dívidas.

Daí a importância de um planejamento financeiro adequado, que considere a formação de reserva de emergência como fator de segurança necessário.

Assim, o planejamento financeiro, tem que ser pensado não apenas como uma forma de alcançar objetivos, mas também de prevenção. Nesse sentido, a pandemia mostrou que muitos não estavam preparados, não possuíam nenhuma reserva de emergência. Assim, o nível de endividamento da população cresceu bastante no período.

Os benefícios dos programas nas escolas para o futuro do país

Ensinar educação financeira nas escolas não apenas pode mudar a forma com que a população cuida do seu dinheiro e investe, mas também deve ter impacto em toda economia do país.

Segundo dados divulgados pelo Serasa há cerca de 62 milhões de brasileiros endividados no país, esse número é referente a uma pesquisa realizada no primeiro semestre. O valor médio de cada conta em atraso supera os 1.100,00 R$.

Nesse sentido, criar uma cultura de gastos controlados e poupança pode não apenas melhorar a qualidade de vida dessas pessoas, mas também impactar outras áreas que beneficiam nosso país como um todo, na parte de investimentos, por exemplo, um maior estímulo pode gerar novas contratações e investimentos, uma redução desenfreada do consumo pode contribuir para o controle da inflação.

Em outras palavras, todo o país sai ganhando com a implementação de um programa desse tipo nas escolas, a educação financeira sem dúvidas, é um tema importante para o crescimento do país.

Conclusão

Como vimos, para o Brasil deixar de ser o país do futuro, não basta investir apenas em educação de qualidade. Falar sobre investimentos e priorizar o assunto nas escolas, é tão relevante quanto investir no sistema educacional tradicional.

O País precisa criar uma cultura de gastos consciente, isso tem impacto em todas as áreas, e não difere do que ocorre em Brasília. Afinal, o não respeito ao teto de gastos, é um bom exemplo da falta de “educação financeira” de nossos políticos.

Em outras palavras, a solução está na escola, é ali que mora o futuro do nosso país, nesse sentido, ambos os projetos voltados para educação financeira, são ótimas oportunidades para que no futuro tenhamos isso consolidado em todas as escolas do país.

Veja também: Jogos de tabuleiro que incentivam a educação financeira

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts