João Vitor

Escrito por

Author

Trabalha como consultor financeiro, é estudante de Engenharia Química pela Unesp e escreve sobre temas relacionados a economia, finanças e investimento.

Prever o preço exato de um ativo para o futuro, é uma missão bastante complicada, já que essas variações se dão de forma interligada aos acontecimentos temporais e notícias do mercado financeiro. Obviamente temos diversos outros aspectos, porém estes, tornam estas variações ainda mais imprevisíveis quanto as cotações.

Além disso, outros fatores essenciais na alteração desses preços que podem ser citados são: Mudanças nas questões relacionadas ao cenário macroeconômico nacional e mundial e estruturas de governança, no caso de ações de empresas. A alteração da cotação desses ativos, também influencia em índices de ETF’s que são compostos por eles, como o tão conhecido Ibovespa no Brasil.

Outro ponto bastante importante, é que em meio a esta variação do mercado de ativos, que incluem diversas incertezas, não há uma indicação exata que se um ativo subiu uma determinada taxa em sua cotação, ele vai valorizar igualmente em determinado período, de forma proporcional.

Isso vale também dizer que se um ativo está caindo desenfreadamente, não significa que ele vai sempre cair. Há uma série de fatores que podem nos indicar uma maior probabilidade de que determinado ativo está em uma tendência de alta ou baixa, podendo-se assim prever uma faixa de preço ao qual ele possa se inserir.

Embora isso seja realizado por inúmeros especialistas do mercado financeiro, praticamente todos eles com certeza erraram em alguma de suas cotações, previsões e afins. O mercado de ativos de renda variável cria uma possibilidade incrível de valorização e lucro em muitos casos, mas é imprescindível se entender os riscos com o que se está lidando.

Quando fazemos uma lista de ativos que mais se valorizaram ou que tiveram maior baixa em determinado período, não estamos dando nenhum tipo de recomendação de compra e venda, mas sim, chamando sua atenção para estes, aos quais consideramos que se tiveram resultados tão relevantes, merecem pelo menos ser objeto de estudo, para que assim, se abram possibilidades para o seu comportamento futuro, com base em diversas análises.

Sendo assim, trazemos aqui essa lista de ativos que estão entre os que mais valorizaram em 2020, chamando sua atenção para sua performance até momento, levando em conta a cotação a partir do dia 1º de janeiro deste ano.

  1. Bitcoin +121,58%
  2. Dólar +35,65%
  3. NASDAQ +35,64%
  4. Ouro +25,21%
  5. S&P500 +9,95%
  6. Ibovespa -11,22%

Bitcoin

O bitcoin, sem dúvida, foi um dos ativos que mais valorizaram durante esse ano bastante conturbado pela pandemia e dificuldades da bolsa de valores em diversos aspectos. Foi um ativo que surgiu em 2008, como uma resposta a crise do subprime, para que pudesse ser uma alternativa de substituição aos dinheiros estatais convencionais.

Com um diferencial bem importante, que é a sua descentralização e escassez, ou seja, não é possível que um governo tenha o poder de “imprimir” novos bitcoins por exemplo, torna-o uma alternativa bastante interessante de proteção, principalmente em momentos de inflação e desvalorização das moedas convencionais, reguladas pelo governo, além de ser uma alternativa em momentos de crise, como a que estamos vivendo este ano.

É possível se analisar a valorização desse ativo de duas formas aqui no Brasil. Como moeda corrente no país, é inevitável que o real seja utilizado para esta comparação. Entretanto, como as cotações do bitcoin de forma mundial costuma ser feita em dólar, que também foi um dos ativos mais valorizados neste ano, a comparação bitcoin-real acabou trazendo um resultado de valorização duplicada.

Sendo assim, o ativo que rondava valores aproximados a R$ 29 mil no dia 1º de janeiro, já está hoje (16/11), cotado a um valor aproximado de R$ 89 mil. Isso significa uma valorização que supera os 206%. A cotação do bitcoin em reais quase triplicou em pouco mais de 11 meses, mesmo atingindo sua mínima de R$ 24,6 mil no dia 13 de março.

Preço do Bitcoin em Reais. Fonte: TradingView

Na cotação em dólar, o bitcoin começou o ano por volta dos US$ 7,166 e hoje no dia 16 de novembro já alcança a marca aproximada de US$ 16400, uma valorização superior a impressionantes 121%.

bitcoin usd
Preço do Bitcoin em Dolares. Fonte: TradingView

Como o sucesso que aumenta ano a ano, o bitcoin tem atraído cada vez mais investidores de peso, que aos poucos, tem colocado grandes fortunas em investimento em bitcoins, o que pode ser um passo bastante importante para que o bitcoin tenha a possibilidade de voar para valores acima dos R$ 100 mil em um curto período de tempo.

Isso é possível, já que, por sua estrutura de funcionamento, não acontece por regulações em seu preço de forma artificial ou que atenda a conflitos de interesse governamentais, e sim, apenas atende de forma essencial às leis do mercado de oferta e demanda.

Ouro 

O ouro historicamente sempre teve um grande papel comercial, sendo assim, por sua escassez natural, ou seja, um ativo real sem manipulação estatal, que acaba tendo grande papel de proteção ao patrimônio como um todo.

Em tempos de crise é um ativo que muitos investidores costumam colocar dinheiro, de forma a evitar a desvalorização do dólar. Em 2020, além de proteção o ouro tem chamado a atenção por sua enorme valorização.

Em sua cotação em reais, o ouro acabou tendo uma valorização em torno de 70% desde o dia primeiro de janeiro deste ano, até o dia 13 de novembro, passando de valores aproximados de R$ 195,9 mil por quilograma para R$ 331,8 mil por quilograma de ouro. Vejamos como se deu o comportamento do gráfico da cotação de ouro este ano, segundo o site Bullion-Rates.com:

preço do ouro

Na cotação em dólar, o ouro passou dos US$ 1530 no início do ano de 2020, teve sua mínima em março, chegando em US$ 1470, teve sua máxima do ano no dia 6 de agosto, quando chegou em US$ 2067 e está no momento (16/11) em uma cotação de US$ 1892.

preço do ouro usd
Preço do Ouro por Onça/Troy em USD. Fonte: TradingView

Sendo assim, sua valorização em dólar, que por sua vez costuma ser a cotação mais utilizada, atingiu valores aproximados a 23,6%. Mas também há quem conseguiu aproveitar muito bem esses momentos de mínimo e máximo do mercado de ouro, conseguindo lucros que puderam chegar até os 40,6% cotado em dólar. Na cotação em reais os lucros foram muito maiores, devido a valorização dupla nesse caso, do dólar e do ouro, em comparação a moeda nacional brasileira.

Dólar

Como já citamos aqui, o dólar é um ativo muito conhecido por ser um ativo de proteção. É a moeda criada por um Estado que é mais utilizada nas relações comerciais internacionais, e é por isso que as cotações de ativos mundialmente conhecidos são cotados preferencialmente em dólar.

O dólar tem seu papel de ser uma moeda forte, reconhecida pelo uso mundial e acaba servindo de parâmetro para as outras moedas. É por isso que a todo momento, costuma-se procurar saber qual o preço do dólar em reais para um determinado momento.

Produtos ou matérias-primas exportadas no Brasil, acabam sendo boa parte delas cotadas em dólar, principalmente no setor de tecnologia. No cenário de pandemia, o real acabou se desvalorizando muito frente ao dólar, o que fez com que quem tivesse seu patrimônio guardado na moeda americana, pudesse não só proteger-se de perdas, mas também adquiriu a possibilidade de lucros muito interessantes ao longo do ano.

O dólar começou o ano de 2020 muito próximo dos R$ 4,00 e ao longo do ano viu-se seu preço caindo e subindo conforme novos cenários políticos e econômicos aconteciam. No dia 12 de maio, atingiu seu máximo de cotação, chegando a R$ 5,88. Acabou vendo uma queda acentuada no seu valor no mês de junho, chegando a valor aproximado de R$ 4,80.

Mesmo assim, após o mês de junho, viu seu preço ter altas bastante relevantes, de modo que em 29 de outubro estava beirando os R$ 5,77. Teve uma queda desde então, estando no dia de hoje (16/11) com seu preço tangenciando a faixa dos R$ 5,40.

Sendo assim, seu valor anual acabou sendo na faixa de 35%, levando em conta o ínicio do ano até o período atual. Quem conseguiu aproveitar a mínima do ano e a máxima, conseguiu lucros que beiram os 47%, tornando o dólar um dos ativos mais valorizados do ano de 2020.

dólar 2020
Preço do dólar. Fonte: TradingView

O interessante da valorização do dólar, é que no caso de ativos que se valorizaram e que tem sua cotação dolarizada, como os já citados bitcoin e ouro, a possibilidade de ganho acabou sendo dupla. E é por este motivo, que os lucros da compra e venda bitcoin-real e ouro-real acabaram tendo taxas tão elevadas durante o ano.

IVVB11

O ativo chamado de iShares S&P 500 Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Índice, nada mais é do que um fundo de índice, como o próprio nome sugere, ao qual ele performa de acordo com a ETF S&P 500, que é o principal índice da bolsa dos EUA.

O S&P 500 é composto pelas 500 maiores empresas dos EUA, das quais detém 80% da cobertura de capital de toda bolsa norte-americana. O IVVB11 é o código corresponde ao papel de ativo representativo da S&P 500 no Brasil, desta forma, se torna uma alternativa de investir na bolsa americana, sem a necessidade de comprar dólar ou então abrir conta em corretora dos EUA.

Só para se ter uma ideia, o índice S&P 500 tem como principais participantes as ações da Apple, Microsoft, Alphabet (Google), Amazon, Facebook e dentre outras empresas globais. Dessa forma, estamos na verdade investindo nas maiores empresas do mundo de uma vez só, quando se trata de se investir nesse índice.

E é por esta razão, que mesmo em meio a crise causada pela pandemia, o IVVB11 foi um dos ativos de maior valorização no Brasil para o ano de 2020. Além disso, por ser um ativo dolarizado, aconteceu justamente o que já dissemos anteriormente, a valorização do dólar também aumentou o crescimento desse ativo aqui no Brasil, frente ao real. 

Começou o ano de 2020 cotado R$ 140 aproximadamente. Em março, quando todas as bolsas despencaram, assim como diversos outros ativos, o IVVB11 atingiu sua mínima do ano, cotado a R$ 123,58 no dia 23 de março. No atual momento em que esse texto é escrito (16/11), este ativo está performando em torno de sua máxima, por volta dos R$ 212.

Essa valorização representa uma alta superior a 50% durante todo o ano. Para quem ainda teve a oportunidade de comprar na mínima e vender durante este atual período, os lucros sustentaram-se em torno de 71%.

Preço do IVVB11. Fonte: TradingView

Ibovespa em 2020: Ano perdido?

O ano não foi nada fácil para os investidores brasileiros e para os que não investiram em ativos cotados em dólar, desde o início do ano. Entretanto quem soube aproveitar oportunidades pontuais de ações que valorizaram muito durante o ano, ou então, aproveitou a baixa histórica da bolsa durante o mês de março, talvez conseguiu um bom lucro até então.

O fato é que, em termos de cotação anual, o índice Ibovespa acabou performando mal, em meio aos problemas relacionados à política e economia do país durante este ano de crise. No início do ano, o Brasil vivia um dos de seus melhores momentos na bolsa, começou o ano batendo perto dos 119 mil pontos, sua máxima histórica.

Com a pandemia, tudo veio por água abaixo, até atingir sua mínima em março, chegando perto do piso dos 63 mil pontos. Uma queda que chega a beirar os 47% em menos de 3 meses. Depois disso, o Ibovespa conseguiu uma excelente recuperação, cotado hoje (16/11) por volta dos 105 mil pontos.

Ibovespa em 2020
Ibovespa. Fonte: TradingView

Mesmo com a recuperação, o Ibovespa até o momento, acabou trazendo um ano perdido para os investidores que compraram ações no início do ano. Sua variação desde o ínicio do ano foi por volta de -12%.

Quem aproveitou sua mínima do ano e vendeu agora, conseguiu lucros superiores a 66%. Sendo assim, embora tenha sido talvez um ano perdido para os adeptos da compra de longo prazo que entraram no começo desse ano na bolsa, trouxe uma oportunidade incrível em oportunidades pontuais do mercado.

3 ações que voaram no Brasil de 2020

Embora o índice Ibovespa não tenha sido tão bom quanto poderia ser em certos aspectos, algumas ações específicas performaram muito bem e foram peça chave para os investidores que se viram em meio de uma crise durante todo o ano, cheio de incertezas e de uma volatilidade incrível do mercado.

As ações ordinárias da Weg, por exemplo, foi um dos destaques deste ano. Começando o ano cotado em torno de R$ 35, as ações representadas por WEGE3 estão custando hoje aproximadamente R$ 81. Isso significa uma valorização de incríveis 131%. em pouco mais de 11 meses.

weg 2020
Preço da WEG. Fonte: TradingView

Quem comprou na baixa do mês março, que custava em torno de R$ 26,20, obteve uma valorização hoje de quase 209%. Isso significa praticamente triplicar o dinheiro investido neste ativo. Vendendo na máxima, perto de R$ 85,70 no início deste mês, o lucro poderia ser de até 227%. 

Outra ação que se valorizou muito durante este ano foram as ações ordinárias da Marfrig, representadas pelo código MRFG3. Ela começou o ano cotada perto dos R$ 10. Teve sua mínima em março, perto dos R$ 6,45 e se recuperou, atingindo sua máxima no final de agosto, acima dos R$ 18.

marfrig 2020
Preço da Marfrig. Fonte: TradingView

Atualmente (16/11), cotada em aproximadamente R$ 14,70, as ações da Marfrig tiveram uma valorização de 47% ao ano. Levando em consideração os pontos de mínimo e máximo durante o ano, alguns investidores tiveram a oportunidade de se lucrar com o ativo até impressionantes 180%.

As ações da Localiza Hertz, foi outro ativo de grande destaque no ano de 2020. No momento que este texto é escrito, sua cotação performa próximo a sua máxima anual. Começou o ano próximo a R$ 49,30, atingiu sua mínima em março, perto aos R$ 23 e atualmente está em torno de R$ 66,40.

Localiza 2020. Fonte: TradingView

A performance das ações no ano foi superior 34% e para quem teve a oportunidade de comprar na mínima, os lucros até o momento estão em torno de 188%. Sendo assim, as ações da Marfrig estão na nossa lista de ativos destaque do anos de 2020.

Conclusão 

Em um ano bastante conturbado a bolsa brasileira teve diversos altos e baixos, trazendo muitas incertezas e medo aos acionistas de renda variável. Ao mesmo tempo, em um cenário de juros baixo e com a renda fixa em um cenário não tão favorável, a alternativa foi buscar oportunidade de investimento em ativos oportunos, que acabaram performando muito bem durante a recuperação na pandemia.

Exceto algumas ações específicas que trouxeram grandes oportunidades para quem investiu nelas neste ano, e aqui você pôde ver 3 delas, os ativos que tiveram excelentes performances foram os que, de alguma forma, puderam trazer proteção frente a grande volatilidade do mercado e a desvalorização da moeda brasileira, que foi derretendo, frente ao dólar, por exemplo.

Ativos como bitcoin, ouro e o próprio dólar foram refúgios em meio às dificuldades do mercado financeiro. Além disso, ativos como o IVVB11, que performaram sua cotação junto ao dólar e aos ativos dos EUA, puderam ser uma saída para o momento. 

Dessa maneira, o ano de 2020 foi em partes de muito terror, medo e perdas para muitos investidores, mas também de ascensão e lucratividade recorde para outros, fazendo com que esse período fosse tivesse ainda mais esse caráter único e particular da história para o mercado e para os acionistas.

Write A Comment