Investidores estão apostando mais em criptomoedas do que em ações, revela pesquisa

Investidores estão apostando mais em criptomoedas do que em ações, revela pesquisa

Os investidores no Brasil seguem buscando uma preferência pelas criptomoedas em seus investimentos ao invés de ações. De acordo com o levantamento recente que foi divulgado pela Brunswick Insight, nesta última quarta-feira (17), 39% dos entrevistados indicaram que estão investindo em criptomoedas, contra 28% dos que investem em ações.

Apesar da queda da confiança, a renda fixa ainda corresponde à maior parte do investimento de pessoas com mais conservadorismo em relação ao dinheiro, com 71% dos entrevistados que afirmam que ainda possuem algum tipo de investimento em renda fixa.

Também de acordo com o levantamento, os investidores estão prezando por transparência, clareza e facilidade no acesso às informações das empresas em que pretendem investir. 63% dos entrevistados informaram que gostariam de receber mais informações antes de investir.

Nível de satisfação dos investidores com o mercado

Os investidores também apontaram o seu grau de satisfação atual com o mercado. 84% dos investidores afirmaram que estão confiantes com as suas decisões de investimentos, além de que 58% deles afirmaram que estão investindo mais hoje do que no passado.

84% dos entrevistados afirmaram que estão satisfeitos com os seus atuais investimentos, além de que 67% dos entrevistados afirmaram que pretendem realizar novos investimentos com os lucros dos ativos apostados hoje.

Também aparecem as mesmas opções quando foram consultadas as faixas etárias. Existe uma manutenção por alguma classe de ativos de acordo com cada entrevistado, sendo que a diversificação dos investimentos é maior quando temos os jovens na pesquisa.

Investidores costumam avaliar alguma fonte de informação

64% dos investidores são pessoas físicas e afirmaram que costumam estudar algum tipo de informação prévia sobre investimentos. Apenas 4% afirmaram que não avaliam nenhum tipo de informação prévia antes de colocarem o dinheiro.

75% dos entrevistados indicaram que costumam avaliar fontes com credibilidade para buscarem informações sobre o mercado financeiro, sendo que consultores e assessores financeiros também foram consultados na pesquisa.

As mídias sociais foram as que menos geram confiança para os investidores, sendo que apenas 20% dos entrevistados utiliza de mídias sociais como Facebook e Instagram para obter informações atualizadas sobre o mercado financeiro, sendo que 64% deles citaram o Youtube.

Maior parte dos investidores em criptomoedas têm menos de 40 anos

A pesquisa levantou em conta 300 investidores que são pessoas físicas no Brasil, buscando avaliar como esse público está buscando informações, as suas tomadas de decisões sobre investimentos, além de quais são os seus objetivos e áreas de interesse geral.

A maioria dos entrevistados têm entre 30 e 39 anos, sendo que 24% deles ficam abaixo dos 30 anos. Entre os ouvintes da pesquisa, 57% são mulheres e 43% homens, sendo que 42% residem na região Sudeste. A região Nordeste aparece na sequência da pesquisa com 28%.

Outro ponto chamativo é a renda média mensal considerável dos entrevistados, que vai de R$ 7 mil até R$ 19.999, com um total de ativos investidos entre R$ 10 a 100 mil, o que correspondeu a 59% dos entrevistados.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts