Camila Russar

Escrito por

Author

Designer, marketeira de produto e apaixonada por escrever textos sobre tecnologia e startups.

Apenas mencionar a palavra derivativos já faz muita gente pensar em alto risco e muita complexidade.

Derivativos de fato podem significar mais risco, porém na sua concepção são instrumentos desenvolvidos para proteção e aumento de previsibilidade, potencialmente reduzindo o impacto da volatilidade de preços em uma carteira de investimentos ou na receita de uma empresa.

Os principais usos de derivativos são: proteção, especulação e arbitragem. É importante destacar que toda negociação de derivativos terá 2 participantes, que vão trocar os riscos de suas posições.

Por exemplo o produtor da commodity vai negociar derivativos possivelmente com alguém disposto a correr o risco da variação de preço futura, nesse caso, um especulador. Os participantes desse mercado e seus objetivos são complementares.

Derivativos ganharam maior destaque nas últimas décadas com a estruturação do mercado financeiro, que criou mecanismos de proteção para investidores. Apesar de ter ganhado grande repercussão midiática desde a crise financeira de 2008.

Eles ainda são uma incógnita entre muitos investidores, especialmente entre aqueles que usam criptomoedas. Você sabia que é possível usar derivativos para se proteger da volatilidade do Bitcoin e ainda ganhar com isso?

O que são derivativos financeiros?

Os derivativos existem há séculos e tiveram sua origem nos mercados agrícolas, onde os produtores precisavam se proteger das flutuações de preço causadas por excessos de produção ou fatores climáticos.

Basicamente são instrumentos financeiros ou contratos entre 2 participantes do mercado que concordam com a compra ou venda de um ativo ou mercadoria, definindo preço, quantidade e um data futura para liquidação financeira e entrega.

Praticamente todos os mercados com liquidez relevante conta com oferta de derivativos para seus participantes: juros, moedas, ações, commodities (café, ouro, milho) e mais recentemente criptomoedas como o Bitcoin são bons exemplos.

Qual a importância dos derivativos?

Os derivativos são extremamente importantes para assegurar o funcionamento da economia mundial, porque ajudam a distribuir o risco entre os participantes de mercado, oferecendo maior previsibilidade e a possibilidade de neutralizar ou ao menos reduzir o impacto de eventos adversos na produção e comercialização de produtos ou serviços.

O aumento da previsibilidade de preços tende a ampliar a utilização de determinado produto e isso necessariamente se reflete no aumento de liquidez e alocação mais eficiente de recursos.

Por esses motivos, eles são utilizados por muitos produtores de commodities como café, milho e soja, assim como por investidores que buscam proteger seus investimentos da volatilidade.

A maioria dos mercados passa por esse período de amadurecimento, como observamos na ampliação dos mercados agrícolas desde a Idade Média, mercados de dívidas desde o século XIX, mercados de ações ao longo do século XX.

É natural que o mesmo processo aconteça com o mercado de criptoativos, especialmente para o Bitcoin, que já conta com contratos futuros negociados na CME (Chicago Mercantile Exchange) uma das maiores bolsas de derivativos do mundo.

Porém, antes de começar a utilizá-los, é preciso saber quais são os derivativos disponíveis no mercado de Bitcoin e o básico sobre o seu funcionamento. Vamos lá?

Exemplo prático de uma operação de derivativo

Um exemplo prático do mercado de derivativos: suponha que você seja um minerador de bitcoin.

Sua operação de mineração só será lucrativa caso o preço do Bitcoin esteja a US$ 6000 quando você for vender o total minerado daqui a 1 ou 3 meses. Mas sabemos que preço do Bitcoin é volátil e pode subir ou cair muito até lá, tornando a operação mais arriscada e imprevisível. Veja abaixo o gráfico do Bitcoin:

derivativos
Veja a volatilidade do preço do Bitcoin

Se o preço do Bitcoin cair muito o que vai acontecer? Provavelmente você terá um prejuízo grande. Mas como você é um produtor esperto, você procura o mercado de derivativos para se proteger dessa queda do preço do Bitcoin.

Então você pode fazer um contrato futuro que te dá o direito de vender as seus sacas por US$ 6000 ao final do mês, preço que a sua mineração é lucrativa, independente do preço de mercado do bitcoin, se protegendo assim de uma queda de preço.

Mas e se o oposto ocorresse? E se o Bitcoin subisse demais, digamos para US$ 8000?

Nesse caso, você ainda venderia o Bitcoin a US$ 6000 e perderia a chance de ter um lucro maior. Contudo, ainda estaria excelente para você, que já lucrou com a venda do Bitcoin. Aquele especulador que firmou esse compromisso contigo, também teria lucro.

Mas por que alguém compraria seu Bitcoin a um preço acima do mercado? Quem assume esse contrato, pretende especular no mercado em busca de lucro pessoal, em troca esse especulador te dá a possibilidade de se proteger.

Se ele está firmando esse compromisso de comprar o seu Bitcoin, é porque ele acredita na valorização dele, aumentando seus lucros.

Desta forma, os derivativos são amplamente utilizados por produtores rurais. Eles ajudam a evitar grandes oscilações nos preços, que podem ocorrer a qualquer momento dadas as incertezas que envolvem qualquer atividade empresarial.

Quais derivativos de Bitcoin estão disponíveis?

Atualmente é possível negociar contratos futuros e opções vinculadas ao preço do Bitcoin. Muitos mineradores já utilizam essas operações. A novidade é que elas agora estão disponíveis no Brasil.

Vamos explicar adiante com esses instrumentos funcionam. Apesar de serem semelhantes, cada um tem suas particularidades, que serão explicadas abaixo:

Mercado futuro

Contratos futuros são contratos padronizados negociados em bolsa de valores. O único elemento sujeito a variação é o preço, tanto vencimento e quantidades envolvidos nos contratos são definidos pela bolsa que intermedeia a negociação.

As partes não estão vinculadas, o que significa que o investidor pode vender o contrato antes do seu vencimento. As operações de futuros são muito utilizadas nas negociações de dólar, juros, boi gordo, soja, algodão, café, milho e outros.

Ajustes financeiros acontecem diariamente e esse mercado geralmente trabalha com garantias depositadas na bolsa ou na corretora utilizada pelo investidor no momento de abertura da operação.

Por exemplo, se ele vendeu um contrato futuro de dólar e a moeda subiu, parte da garantia depositada será utilizada no pagamento do ajuste.

Contratos futuros de Bitcoin são negociados na CME como mencionamos acima e também na BitMEX, startup sediada em Hong Kong.

Mercado de opções

Opções dão ao comprador o direito de comprar ou vender um ativo a preço definido previamente. Em contrapartida toda opção tem um emissor, que por sua vez tem a obrigação de comprar ou vender o ativo pelo preço estabelecido.

Opções de compra são chamadas de calls e opções de venda de puts. As condições mais importantes a serem observadas são a data de vencimento, o preço de exercício (o strike) e o prêmio a ser pago pelo comprador ao emissor da opção.

Opções européias só podem ser exercidas na data do vencimento enquanto opções americanas podem ser exercidas a qualquer momento. Essa nomenclatura é apenas uma convenção e não tem relação com a disponibilidade geográfica dessas opções.

Exemplo prático: Imagine que a ação da empresa ABC é negociada a R$ 10,00 no mercado à vista, e a opção de compra com vencimento em 2 meses pelo preço de exercício de R$ 10,50 está sendo negociada a R$ 0,50 (prêmio).

Isso significa que o comprador dessa opção terá o direito de comprar essa ação a R$ 10,50 e para isso gastou R$ 0,50. Se no vencimento a ação estiver abaixo de R$ 10,50 o comprador não exercerá o seu direito e a opção vai expirar (ou virar pó, no jargão de mercado).

Se a ação estiver acima de R$ 10,50 (cotada a R$ 15,00, por exemplo), o comprador vai exercer a opção, fazendo com que emissor da opção obrigatoriamente venda o ativo pelo preço de exercício.

Como uso derivativos em criptomoedas?

No caso do Bitcoin os participantes do mercado que claramente se beneficiam do uso de derivativos são mineradores, empresas que têm receitas na criptomoeda e também investidores que já têm ou pretendem ter exposição ao ativo digital.

Assim como mencionamos anteriormente os derivativos podem ser usados para proteção (redução de riscos) ou alavancagem (aumento da exposição).

Quando duas ou mais opções com diferentes condições (preços, strikes, vencimentos) são combinadas temos as chamadas operações estruturadas, que são montadas por empresas especializadas e recomendadas de acordo com o cenário de mercado ou expectativa do cliente.

Existem diversos tipos de operações estruturadas, uma estratégia muito popular em ativos de risco (por exemplo ações ou índices de ações) são as operações de principal garantido, onde o investidor tem o valor aplicado protegido (integral ou parcialmente) e o potencial de alta limitado a um patamar pré estabelecido.

Nox Bitcoin é a única empresa brasileira que tem operações estruturadas voltadas para o Bitcoin. Você pode entrar em contato com os nossos especialistas para montar o melhor tipo de operação para você. Confira nesse link.

Como funciona?

A empresa oferece a Operação de Capital Protegido, que funciona da seguinte forma: o cliente investe com Reais (R$), comprando o mínimo de 1 Bitcoin e tem esse valor protegido até vencimento da operação em 27 de setembro (a cotação inicial hoje é de R$ 23.900), ou seja se o Bitcoin estiver cotado a R$ 20.000 o cliente receberá os R$ 23.900 de volta.

Em contrapartida o cliente abre mão de parte do movimento de alta, nesse exemplo o cliente recebe 70% da alta até o limite de 20%, ou seja, ganho máximo de 14% em reais. Exemplo de uma operação recente:

Essa operação é um exemplo claro de aumento de previsibilidade e redução de riscos para investimento em Bitcoin, onde o resultado mínimo é de R$ 0,00 (sem prejuízo) e o ganho máximo de R$ 3.346. Você já entra na operação sabendo o quanto pode perder e o máximo que pode ganhar.

Esse tipo de operação ainda é pouco conhecida no Brasil, especialmente para a comunidade de criptomoedas.

Esse tipo de operação é importante para trazer um novo público para o mercado de criptomoedas: investidores mais conservadores e investidores profissionais.

O uso de derivativos para criação de operações estruturadas abre um leque de possibilidade e estratégias para os investidores de criptomoedas e também de outros mercados como renda fixa, ações e fundos de investimentos.

Com essas operações é possível aumentar lucros ou reduzir perdas, o que até então não era factível com Bitcoin.

Publicado originalmente em Coin Times.

Write A Comment