Daniel Kahneman

Daniel Kahneman: O medo de perder é a maior causa do fracasso

Os ativos de renda variável são conhecidos pelos seus riscos inerentes que o investidor deve estar ciente conforme ele faz qualquer tipo de alocação de recursos sobre eles (investimentos). A baixa histórica dos juros do Brasil trouxe à tona uma nova visão do brasileiro de como enxergar os investimentos.

Embora essas ideias estejam aos poucos sendo introduzida no Brasil, o fato é que ainda são muitos os que estão dispostos a correr mais riscos em busca de uma maior rentabilidade nos investimentos ou na modalidade de trader.

Historicamente, o Brasil sempre ficou acomodado à renda fixa, que rendia altos ganhos apenas deixando-se o dinheiro na poupança. Nessa nova realidade, viu-se que não mais estaríamos nesta normalidade, de modo que o número de pessoas que migraram para a renda variável foi enorme, do ponto de vista comparativo com outros períodos.

Com essa grande quantidade de novos investidores da renda variável, em especial, no trader, o medo de expor aos riscos é bastante comum nesse meio. O problema, nesse caso, é que o medo de perder acaba sendo, entre outros motivos, uma das maiores causas do fracasso.

Esse pensamento que vem do especialista em economia Daniel Kahneman, nos faz compreender melhor que muitos dos erros que cometemos nos investimentos podem estar mais ligados às nossas emoções e psicológico do que propriamente a nossa técnica, que por sua vez não deixa de ser extremamente importante.

Veja também: Dividendos ou Juros sobre Capital Próprio (JSCP): Qual o melhor provento?

Quem é Daniel Kahneman?

Daniel Kahneman é um famoso especialista em economia comportamental. Em 2002, levou o prêmio Nobel de economia, por conta de seus estudos aprofundados sobre a temática de que o homem é programado a agir instintivamente em suas ações diárias.

Essa forma instintiva de agir do ser humano acaba sendo independente da técnica que o indivíduo possua, o que lhe gera a necessidade de que uma maturidade e controle tanto emocional quanto sobre seus impulsos sejam desenvolvidos ao longo do tempo, o que também se inclui aos investidores.

Os ensinamentos de Daniel Kahneman acabaram tendo um grande impacto no meio científico e acabou servindo como um líder a ser seguido nos assuntos que remetem a influência do psicológico nos investimentos e operações financeiras de maior risco.

Muitas ideias que eram comuns de serem disseminadas entre os investidores da Bolsa de Valores acabaram sendo derrubados por conta das ideias de Daniel Kahneman, embora ele seja muito querido nesse meio.

Daniel Kahneman acabou colocando à prova os grandes especialistas do mercado financeiro, relativizando diversas questões que até aquele momento acreditavam fazer parte de uma ciência exata do que qualquer outra coisa.

Daniel Kahneman e Amos Tversky: Uma parceria de sucesso

Daniel Kahneman é formado em psicologia e apresenta especializações nesta área. No entanto, também tem um grande conhecimento em matemática, o que acabou levando-o, em meio a essa junção de conhecimentos diferentes, levou a estar presente nesses estudos sobre economia comportamental.

Ele nasceu em Israel em 1934, onde realizou boa parte de seu tempo construindo sua especialização acadêmica. Foi nesse país que Daniel Kahneman atuou boa parte do tempo como professor e também como pesquisador.

Durante essa carreira, Daniel Kahneman acabou conhecendo Amos Tversky, com o qual formou uma dupla fantástica no que diz respeito aos estudos comportamentais Novos estudos foram surgindo, até que inseriram essas ideias no meio econômico.

A partir de então, o comportamento humano passou a ser extremamente importante nas questões ligadas às ciências exatas, como uma das principais variações no que diz respeito, na realidade, ao que não era mais tão “exato” assim a partir da década de 80.

Kahneman criou então seu livro “rápido e devagar”, que foi um dos maiores sucessos de sua vida, que tem seu tema voltado à psicologia econômica. Esse livro acabou se tornando best-seller o que alavancou o sucesso do autor.

Após se mudar para os EUA, Daniel Kahneman realizou seu doutorado em 1961. Nessa década começou a fazer novos estudos a respeito da análise comportamental do mercado financeiro e dos investimentos.

Foi através de suas obras e destaque nesse setor, que Daniel Kahneman se tornou um dos mais respeitados do setor econômico sem nem mesmo ter feito nenhuma especialização específica para isso.

Todos esses sucessos acabaram se juntando a Amos Tversky, que embora bastante distinto em sua personalidade a Daniel Kahneman, acabava complementando essa parceria nos estudos e na genialidade.

Veja também: As melhores corretoras de bitcoin do Brasil 2021

Por que o medo vai te fazer perder mais dinheiro nos investimentos?

Supondo que você tenha uma perda de R$10 mil em algum investimento ou operação de trade que você tenha realizado. Em outra situação, você ganha os mesmos R$10 mil reais em lucros. Já reparou que a dor e o desconforto da perda geralmente é maior do que a felicidade dos ganhos, mesmo que sejam do mesmo valor?

O fato é que nós fazemos muito mais para evitar as perdas, do que necessariamente obter ganhos nos investimentos, principalmente para você que é trader. Daniel Kahneman aponta que o trader está muito mais propenso a tomar atitudes que evitem os riscos de se perder do que propriamente aceitar a chance de ganhar.

Entender isso faz com que você tenha ferramentas não só para evitar novas perdas, mas também de recuperar parte ou até tudo que você havia perdido anteriormente nas suas tentativas de sucesso como trader.

Exemplificando

Imagine a seguinte situação: Você entra em um jogo, no qual se joga um dado número de 1 a 6 e se observa qual número aparece na face superior. Supondo que se o número que visto seja par você ganha R$500.

Mas se o número for ímpar, você perde R$400. Segundo os estudos de Daniel Kahneman, as pessoas tendem, em sua maioria, a nem sequer entrar nesse jogo, mesmo que a probabilidade de ganho e perda seja igual e o valor do ganho seja maior que o da perda.

Isso acaba ocorrendo mesmo que do ponto de vista matemático e da probabilidade, você esteja levando vantagem. Acontece que a dor de perder os R$400 acaba sendo sentida pelo ser humano muitas vezes mais do que a felicidade de ganhar os R$500. Isso foi comprovado pelos estudos de Daniel Kahneman.

Aversão à perda

Desse modo, acaba não compensando o desgaste psicológico de assumir o risco de certas perdas, o que faz com que tenhamos o que Daniel Kahneman chamou durante suas teses de “aversão à perda”.

Evolutivamente o ser humano acabou criando muito mais mecanismos emocionais e psicológicos que tendem a proteger aquilo que já se tem, do que sair de sua comodidade em busca de uma nova felicidade ou conquistas, para que nós tivéssemos uma maior chance de sobreviver como espécie.

Vale ressaltar que essa ideia acabou influenciando em como o trader pensa naturalmente em suas operações nos dias de hoje, na maioria dos casos, desde que não se tenha uma preparação para agir diferente.

Para que sua mente compense essa diferença, seria preciso ganhar no mínimo o dobro do valor da perda. Nesse caso, ilustrando o exemplo anterior, seria preciso que se ganhasse pelo menos R$800 para que psicologicamente começasse a ficar aceitável.

Risco-retorno

É por conta disso que grande parte dos traders colocam pelo menos a relação risco-retorno de 1:2 para que se compense entrar em certas operações. Essa relação mínima acaba não sendo realizada de forma à toa e acaba sendo observada por quem faz sucesso nesse mercado.

Muitos traders experientes acabam colocando essa relação de forma ainda mais positiva para o retorno, chegando a ser até mesmo de 1:3, 1:4, e assim sucessivamente. Isso vale também para os estudos sobre investimentos mais a longo prazo e por isso se torna tão importante os ensinamentos de Daniel Kahneman.

Colocar esse tipo de risco-retorno em suas operações, faz com que você esteja mais preparado para aceitar também as suas perdas, que eventualmente também ocorrerão e aumenta seu tempo inserido no mercado, gerando tempo de tela suficiente para se tornar consistente.

O que Daniel Kahneman diz para quem quer ser bem sucedido nos investimentos?

Usando a mesma lógica do jogo que citamos anteriormente do dado, Daniel Kahneman diz que você pode até ser mais propenso a não entrar no jogo se o dado for jogado uma única vez. Entretanto, se oferecer a você a chance de jogar 10 vezes, é muito provável que o seu psicológico venha a agir de forma diferente e passe a aceitar melhor a ideia de se arriscar.

Isso acontece por conta dessa aversão a perda que temos quando olhamos especificamente para um acontecimento pontual, analisando apenas um caso. Mas que quando visto de forma macro, acaba nos remetendo mais segurança.

Investidores que pensam com uma maior visão a respeito dos seus investimentos não ficam buscando apenas deixar de perder, mas pensam de que forma os ganhos possam superar essas perdas. Isso acaba separando os investidores amadores dos profissionais.

A partir do momento que você amplia sua visão nos investimentos, fica muito mais simples aceitar as perdas, o que estatisticamente colabora para a construção de pessoas mais bem sucedidas.

Você para de remoer alguma perda pontual em uma operação de trade que acabou tendo, ao passo que não cria barreiras psicológicas para assumir riscos, desde que tomados de forma consciente, seguindo-se um método.

Decisões conscientes

Além disso, Daniel Kahneman sugere que é preferível que você não fique sempre acompanhando se seu desempenho está bom. Segundo ele, pessoas que verificam todos os dias acabam cometendo mais erros do que pessoas que não o fazem.

As pessoas que verificam todos os dias têm uma tendência maior de entrar em pânico quando surge alguma perda, fazendo mudanças que não deveriam ser feitas e atitudes tomadas que fogem do método adotado.

Desse modo, Daniel Kahneman acaba apoiando muito mais a ideia de buy and hold, no qual vai muito além dos investidores que buscam resultados a longo prazo, mas sim de qualquer um que toma decisões conscientes, e a partir disso, permanecem com elas, sem ver se estão se saindo bem o tempo todo.

Desse modo, Daniel Kahneman sugere que estudar e se especializar para tomar uma única decisão excelente e mantê-la, é muito melhor do que quem negocia com mais frequência em relação aos investimentos.

Conclusão

Daniel Kahneman se tornou um dos mais conhecidos teóricos e estudiosos sobre a temática comportamental nos investimentos. Sua vida acabou sendo voltada à especialização do comportamento humano, e como o homem, historicamente e evolutivamente tende a agir instintivamente.

No mais, a probabilidade acaba tendo uma série de novas variações e condicionantes quando falamos nas nossas decisões sobre investimentos ou até mesmo operações atuando como trader.

Para Kahneman, as operações de curto prazo acabam exigindo um treinamento especializado do seu psicológico para aceitar as perdas, uma vez que naturalmente a nossa mente nos remete ao pânico, medo do que pode acontecer e consequentemente a tomada de decisões erradas que nos fazem perder dinheiro.

Veja também: Psicologia financeira: como as emoções afetam seu desempenho

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts