Mineração criptomoedas em casa

Compensa minerar criptomoedas em casa? Descubra agora!

Que tal utilizar o seu computador pessoal para complementar sua renda? Não, isso não é mais uma das propagandas enganosas sobre como ganhar dinheiro fácil na internet. O assunto de hoje é a mineração de criptomoedas

O processo de mineração das criptomoedas é algo que chama a atenção de muitos, até dos não entusiastas de criptoativos, que enxergam na atividade, a possibilidade de fazer uma graninha extra. Mas afinal de contas, compensa utilizar o computador pessoal para esse fim?

O que é a mineração de criptomoedas?

A mineração de criptomoedas é o processo de adicionar novos registros de transações na plataforma da moeda digital, também conhecido como blockchain, esse livro razão público, armazena todas as transações.

No sistema bancário tradicional, por exemplo, quando se realiza uma simples transferência utilizando o PIX, um usuário precisa de uma conta bancária de destino e uma conta bancária de envio. Toda essa transação ocorre no servidor bancário que valida e completa a operação. 

No caso dos criptoativos, essas transações não possuem um servidor específico, o sistema da Blockchain é descentralizado e todo esse processo de validação ocorre graças ao trabalho de mineradores. 

Em suma, cada transação gera uma senha que deve ser descriptografada, o papel dos mineradores é utilizar o poder de processamento de suas máquinas, resolver o “quebra-cabeças” e validar a operação, recebendo uma recompensa por isso. 

Pool de Mineração 

Pools de mineração são formados por grupos de mineradores, que se unem com intuito de aumentar o poder computacional do grupo, dessa forma, aumentando as oportunidades de encontrar blocos de mineração, sem aumentar os custos com hardware. 

Em outras palavras, a pool funciona como um grande grupo de trabalho, que conjuntamente resolve os diversos “quebras cabeças”, validando essas operações. Como resultado, cada membro do grupo recebe uma recompensa proporcional à capacidade de processamento “emprestada” ao grupo.  

Para alugar a capacidade de processamento do seu computador, é necessário criar uma conta em uma corretora de hash power, essas corretoras conectam vendedores e compradores de hash power (poder de processamento). 

Consumo de energia

 Recentemente falamos sobre a polêmica levantada por Elon Musk e o consumo de energia da rede Bitcoin, é importante ressaltar que esse é um ponto-chave no cálculo de rentabilidade, dado que o custo de energia no Brasil é bastante alto. 

Pesquisas indicam que a rede de Bitcoin, consome um total de 113,89 TWh por ano, se os rumores sobre os danos ambientais envolvendo a manutenção de criptomoedas te fazem refletir sobre a mineração e utilização, tenha em mente que o sistema bancário atual é responsável por no mínimo o dobro do consumo de energia

Cálculo do custo de energia para o usuário

Primeiramente é importante conhecer o kWh cobrado pela fornecedora de energia da sua região, coletando essa informação na sua conta de energia, pode-se realizar os cálculos. Uma forma direta de fazer isso, é utilizando a calculadora de lucros da nicehash.

A nicehash é uma grande corretora de Hashpower, além de oferecer outros serviços. Com os dados de consumo dos dispositivos já registrados, a única alteração que precisa ser feita, é em relação ao custo da rede e a moeda, que deve ser colocado em (BRL – R$).

Em seguida, o site irá gerar o resultado em tabela, onde na primeira linha mostrará o cálculo de rendimento bruto e na segunda linha serão exibidos os custos atrelados ao consumo de energia. Tendo isso em mente, é possível ter uma ideia de quanto será o aumento na conta de luz.

Qual equipamento utilizar?

Existem duas opções para quem deseja minerar criptomoedas, são elas, CPUS e GPUS.

As CPUS, mais conhecidas como processadores, por mais contraintuitivo que possa parecer, não compensam para utilização na mineração, pois sua capacidade de processamento são baixas para essa finalidade em relação às GPUS. 

Já as GPUS, unidades de processamento gráficas, também conhecidas como placas de vídeo, são dispositivos que mesmo, os mais simples, se tornam mais potentes que as CPUS, em geral, para essa atividade.

Mineração criptomoedas em casa
Comparativo entre algumas das placas mais utilizadas no mercado

Cálculo de rentabilidade

Para fins de cálculo de rentabilidade, é importante não apenas considerar os resultados obtidos através das calculadoras, mas também entender a dinâmica das criptomoedas que possuem forte volatilidade. 

Além disso, corretoras de Hashpower costumam efetuar os pagamentos em Bitcoin, o que significa, na prática, que apesar de o processo de mineração ser referente a outra criptomoeda, muito provavelmente seu pagamento será feito em Bitcoin.

Assim sendo, o que hoje representa um custo de energia na ordem de 15% em relação ao retorno obtido, pode se transformar em 30% ou mais, em caso de queda forte no valor da criptomoeda, logo esse custo de oportunidade deve ser constantemente reavaliado. 

Riscos envolvendo mineração

É importante ter em mente, que a mineração em casa, utilizando o computador pessoal, não incorre apenas em riscos relacionados à rentabilidade e ao consumo de energia, mas também sobre o impacto nos dispositivos, assim como o desempenho do computador no uso diário. 

Dessa forma, se o seu computador é também a sua ferramenta de trabalho, é muito provável que ele fique lento ao executar outras tarefas simultâneas, enquanto realiza mineração, incorrendo em uma possibilidade de lentidão ou travamentos. 

A mineração pode estragar a placa de vídeo? 

Essa é a mais polêmica das questões, primeiro, é preciso ter em mente que a placa estará utilizando sua capacidade máxima de processamento, contudo, o que eventualmente prejudica o dispositivo não é apenas o uso intensivo, mas as temperaturas que costumam a ficar bastante altas devido a esse uso. 

Logo, seria importante monitorar essas temperaturas de modo a garantir com que a placa permaneça segura e não sofra danos no curto e médio prazo. 

Conclusão                  

A decisão sobre se a mineração em casa compensa ou não, é bastante individual. Deve-se considerar, todos os custos apresentados, os eventuais riscos associados ao uso intensivo dos dispositivos e claro, a necessidade do computador para uso no trabalho.

Para quem pensa na atividade como possibilidade de garantir apenas uma grana extra, pode ser interessante alugar o seu poder de processamento para algum pool de mineração, de modo a pagar aquele chopp no final de semana. 

De qualquer forma, todas as variáveis são pouco precisas, a rentabilidade está muito associada a dois fatores, o custo de energia, que costuma ser crescente e o preço das criptomoedas que é bastante volátil. 

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts