Localiza e Unidas

Cade autoriza participação de concorrentes em processo sobre Localiza e Unidas

A Localiza e  Unidas anunciaram em setembro do ano passado a fusão de suas operações, mediante a incorporação de ações da Unidas pela Localiza. A união pode dar origem à maior companhia do segmento de locação de veículos no mundo, com valor de mercado estimado em cerca de R$ 50 bilhões.

A operação foi aprovada pelos acionistas, mas precisa do aval do Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). O processo para a aprovação da fusão começou a correr no início do ano. Na ocasião, a Localiza e Unidas informaram que estavam confiantes na aprovação do negócio. Durante a reunião, apontou que a demanda decresceu ligeiramente devido à pandemia da covid-19.

No entanto, o Cade autorizou a entrada das concorrentes Fleetzil, ALD, Movida (MOVI3) e Ouro Verde como terceiras interessadas no processo que tramita no órgão sobre a fusão entre a Localiza Rent a Car (RENT3) e a Companhia de Locação das Américas (LCAM3) (Unidas).

O despacho com o aval está publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (16).

As empresas citadas, entraram com pedidos no Cade para participar do processo, pois podem ser afetadas pela decisão a ser adotada pelo órgão. As quatro empresas afirmam que a união da Localiza e Unidas pode criar uma concentração de mercado, resultando um marketshare de aproximadamente 65%.

No momento, elas terão 15 dias para apresentação de informações complementares, documentos e pareceres necessários à comprovação das alegações que fizeram.

Em outras palavras, isso significa que os concorrentes poderão apresentar petições, pareceres, contestações e até mesmo apelar da decisão final do Cade. Ou seja, a fusão de Localiza e Unidas pode atrasar, segundo informado por um experiente advogado em processos administrativos no Cade.

Veja também: Ações de tecnologia: Hora de comprar?

A Movida destaca que a preocupação concorrencial diante da operação estaria na sinergia de estruturas entre os mercados de gestão e terceirização de frotas (GTF) e de rent-a-car, principalmente pelo aumento do poder de compra de veículos.

A Ouro Verde alega que as duas empresas não teriam incentivos de repassar ao consumidor as eficiências obtidas após a operação. A Ouro Verde cita o exemplo da Localiza, que não teria repassado ganhos ao consumidor no terceiro trimestre de 2020, após atingir a maior escala de sua história.

A Fleetzil argumenta que a fusão de Localiza e Unidas teria o potencial de afetar negativamente os mercados de rent-a-car e gestão e terceirização de frotas.

Além disso, a ALD entende que a fusão resultaria em uma empresa com poder de mercado suficiente “para forçar preços, negar fornecimento, ou impedir o acesso às montadoras fornecedoras de frotas”.

Em suma, a notícia foi mal recebida pelo mercado, que, por volta das 15h00, fez os papéis da Localiza caírem 3,51%, aos R$ 57,26, e da Unidas recuarem 2,78%, aos R$ 23,46.

Veja também: DARF: Conceito, emissão e pagamento

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts