Bancos Chineses com excesso de dólares; Veja por que isso é um risco

Bancos Chineses com excesso de dólares; Veja por que isso é um risco

Após uma crescente em depósitos de dólares, os bancos chineses enfrentam dificuldades de emprestá-los. Segundo os operadores responsáveis pela movimentação de valores nos bancos, essa crescente de depósito em dólar representa um risco aos esforços oficiais de conter o iuan.

Esse grande fluxo de depósito em dólar, foi impulsionado pelo forte aumento nas receitas de exportação, e pelos fluxos de investimento. O valor dos depósitos em moeda estrangeira nos bancos chineses, saltou para mais de 1 trilhão de dólares, pela primeira vez em abril, mostram dados oficiais.

“Esse posicionamento em particular, em nossa opinião, é suscetível a uma capitulação caso a ampla tendência de baixa do dólar continue”, disse o estrategista de câmbio do UBS para a Ásia Rohit Arora, especialmente se o iuan se valorizar abaixo de 6,25 ou 6,2 por dólar.

A moeda iuan trabalha próximo de máximas

O governo chinês é responsável por controlar a moeda iuan, atualmente a mesma anda em  máximas em 3 anos. Ela trabalha superando uma resistência em 6,4 por dólar. O banco está tomando medidas para evitar que este aumento possa desencadear uma enorme conversão dos depósitos em iuanes.

O Banco do Povo da China (BC do país), informou nesta segunda-feira (31) que tomará medidas para controlar esse grande aumento. Como medida principal, a partir de meados do mês de junho, os bancos devem aumentar as reservas para esses depósitos, uma medida que visa desencorajar um aumento do volume dos mesmos.

 Durante o período de pandemia o sistema bancário convertendo 254 bilhões de dólares em iuanes para os clientes. Apesar do superávit comercial do país, a demanda ainda continua bem alta.

Dados do BC chinês mostrar aumento em depósitos no mês de abril

Foi um aumento de 242,2 bilhões de dólares, mostram dados do BC chinês, aumento equivalente a 1,8% do Produto Interno Bruto (PIB) e volume maior que os vangloriados ingressos no mercado de títulos da China, que totalizaram cerca de 220 bilhões de dólares no período.

Brasil crescerá mais de 5% este ano

A projeção para o crescimento da economia brasileira em 2021, segundo o Bank of America, é de 5,2% ante 3,4% do cenário anterior, citando contínua surpresa para cima proveniente de indicadores de atividade.

Através de uma nota, o BofA citou que: “Para o segundo trimestre de 2021, esperamos que a tendência de recuperação continue à medida que as restrições de mobilidade são suspensas”.

Nesta terça-feira (01) o Goldman Sachs elevou acentuadamente, sua previsão de crescimento para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2021, para 5,5%, ante 4,6% anteriormente, uma das perspectivas mais altas para a maior economia da América Latina.

E nesta quarta-feira (02) o dólar opera em queda abaixo de R$ 5,10. Dando sequência ao recuo acentuado da véspera, que levou a moeda a fechar abaixo de R$ 5,15, no menor patamar desde dezembro passado.

Na tarde de hoje o dólar recuava 1,19%, cotado a R$ 5,0850. Na mínima do dia até o momento, chegou a R$ 5,0754. Para o fim deste ano o Bank of America cortou para R$ 5,20 (de R$ 5,40) sua estimativa do dólar.

Veja também: China quer destronar o Bitcoin, mas o povo chinês não

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts