Banco Central reforça combate contra laranjas em transferências PIX

Banco Central reforça combate contra laranjas em transferências PIX

O Presidente do Banco Central Roberto Campos Neto, concedeu nesta última segunda-feira (5) uma palestra na Associação Comercial de São Paulo, onde afirmou que já está acontecendo um combate contra as contas laranjas – que são as contas que criminosos abrem em nome de outras pessoas, com o intuito de aumentar a segurança das transferências com PIX.

Campos Neto explicou que para os casos de fraudes ou sequestro relâmpago, os criminosos utilizam de uma conta bancária que não contém os seus dados pessoais para a movimentação de seus recursos. O objetivo a partir de agora é atacar esse movimento laranja, também ressaltando que os bancos precisam assumir o máximo de responsabilidade.

Se criminosos não tiverem como pegar o dinheiro em espécie, crimes irão diminuir

Caso não exista a possibilidade de receber o dinheiro, para o Presidente do BC é bem provável que os criminosos desistam dessa prática ilegal do PIX: “Se em nenhum momento eu tenho a possibilidade de pegar o dinheiro, então a chance de criminalidade diminui”.

Uma outra medida que entrou em vigor nesta semana, foi a restrição de pagamentos entre pessoas físicas das 20h às 6h, onde o valor máximo para se realizar transferências PIX será de R$ 1 mil.

A restrição não valerá apenas para as transações via PIX, mas também para TED e DOC, pagamentos em boleto e compras que envolvam o PIX. Para o cliente que deseja alterar esse limite de transações durante o horário noturno, será necessário entrar em contato com a instituição financeira e explicar o motivo da solicitação.

Segurança do PIX é defendida

O Presidente do Banco Central também ressaltou a segurança do sistema de pagamentos instantâneos, apesar do surgimento de fraudes ao longo do ano. Para Campos Neto, a criminalidade é algo público, sendo que nenhum Governo irá conseguir diminuir a criminalidade a zero.

Como o sistema de pagamentos por PIX, facilita as transações e ao mesmo tempo está se aprimorando para combater as fraudes. Esse sistema de pagamentos instantâneo é mais maleável.

Bancos também passam a ter mais tempo para avaliar as solicitações dos clientes

Também a partir desta última segunda-feira (4), foi alterado o prazo dos bancos para atender ou rejeitar o pedido de limite do PIX. Antes o período variava de uma hora até um dia útil, sendo que agora o tempo permitido passa a ser de até 24 horas.

Já no mês de agosto, o Banco Central anunciou que iria ser feito um controle de transações para pessoas físicas no horário noturno, pois o PIX estava sendo bastante utilizado nesse período para fraudes e sequestros. Mas para muitos analistas, as medidas que vão passar a entrar em vigor não serão suficientes para amedrontar os criminosos.

O que pode acontecer é que no caso de um sequestro relâmpago, o criminoso pode manter a vítima até que retornemos ao horário comercial, onde as transferências com PIX ainda não tem nenhum tipo de limite. Essas restrições também não são um motivo para que a população deixe de acreditar no PIX.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts