Varejo

Vendas do comércio avançam 1,2% em julho e batem recorde histórico

Após o volume de vendas ter aumentado 1,2% apenas no mês de julho, o comércio varejista brasileiro bateu um novo recorde desde a série histórica que teve ínicio em 2000. Essa foi a quarta alta mensal deste ano, de acordo com os dados que foram divulgados pela Pesquisa Mensal do Comércio.

O crescimento do setor acumula 6,6% ao longo do ano e nos últimos doze meses o crescimento acumulado é de 5,9%. Ainda que os números pareçam animadores, infelizmente com a alta da inflação, esses índices não chegam a ser suficientes para todos os comerciantes.

Apesar do crescimento, comércio não conseguiu superar todas as perdas

Apesar do movimento positivo, o Instituto ressalta que nem todas as perdas do último ano já foram recuperadas. Este é o caso de equipamentos e material para escritório, que ainda está 26,7% abaixo do patamar antes da pandemia ou de combustíveis e lubrificantes, ficando 23,5% abaixo.

Das oito atividades que foram pesquisadas, cinco delas conseguiram apresentar resultados positivos neste último mês. O maior destaque foi para o grupo de artigos de uso pessoal e doméstico, que apresentou uma alta de 19,1% no período.

Para o IBGE, esse movimento de recuperação se deve ao fato de que os lojistas estão sabendo aproveitar o período de maior abertura do comércio, realizando promoções para atrair os consumidores.

Tecidos, vestuários e calçados puxam a alta recente

A pesquisa destacou que os maiores avanços do período foram registrados em tecidos, vestuários e calçados, que subiram 2,8%. Depois aparecem equipamentos e material para escritório, informática e comunicação com 0,6%.

Ainda com uma leve alta, ficaram supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumos com 0,2% de crescimento. Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e perfumaria ficaram estáveis, com alta de apenas 0,1%.

E alguns setores não conseguiram aproveitar o bom momento do comércio e registraram quedas, sendo que os mais chamaram a atenção foram livros, jornais, revistas e papelarias, com uma queda de -5,2%. Móveis e eletrodomésticos caíram -1,4%, seguido de combustíveis e lubrificantes com uma queda de -0,3%.

Comércio varejista passou por ampliação e o destaque para Rondônia

O volume de vendas do comércio varejista foi ampliado, que por sua vez cresceu 1,1% em julho no comparativo ao mês anterior. Lembrando que além do varejo, o setor abrange também veículos e materiais de construção.

Segundo o IBGE, a alta foi puxada pelo setor de motos, veículos e peças, que apresentou uma alta de 0,2% sendo que o grupo de materiais de construção foi responsável por 2.3% das vendas do mês.

Já comentando sobre os resultados do comércio por federação, Rondônia foi o estado que apresentou o balanço mais positivo no mês da pesquisa, subindo 17,5%. O pódio é completado por Santa Catarina com 12,5% e Paraná com 11,1%. Já em relação as quedas, Minas Gerais é quem teve o mês mais negativo, baixando -2,1%, seguido do Rio Grande do Norte com -1,5%.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts