Renda média do trabalho encolhe em níveis recordes desde 2017

Renda média do trabalho encolhe em níveis recordes desde 2017

Com o aumento do desemprego em todas as regiões do país, uma das poucas soluções encontradas pelos trabalhadores para enfrentar este recorde negativo é aderir à informalidade, que mesmo com o avanço, ainda não é suficiente para aumentar a renda média do trabalhador brasileiro.

Mesmo para quem voltou a trabalhar neste ano, ainda não foi possível para todos os trabalhadores recuperarem a renda que recebiam antes do início da pandemia. O que acontece é que com a diminuição da jornada de trabalho, boa parte dos empregados necessitaram ter de aceitar receber menos do que ficar sem nada de renda.

Além do retorno dos trabalhadores informais, o avanço da vacinação alivia um pouco o cenário de crise econômica para essas famílias, porém mesmo assim a renda média mensal continua caindo, agravada pela inflação e com o menor patamar desde o ano de 2017.

Detalhes sobre a renda média salarial no segundo trimestre do ano

A renda média mensal do trabalho ficou em R$ 2.433 no segundo trimestre de 2021, o que representa uma queda de quase 7% em comparação com o mesmo trimestre no ano passado, quando a renda estava em R$ 2.613, além de uma inflação menor, o que permitia que se comprasse mais do que hoje.

Os números partem de um levantamento da base de dados da IDados, que realiza uma amostra das condições dos domicílios desde os últimos 40 anos, onde se considera como renda habitual do trabalhador a sua ocupação atual, com os valores já descontados da inflação.

Embora a renda média ainda esteja em níveis pré-pandemia, é esperado que para os próximos meses essa renda média caia ainda mais em virtude do elevado número de desempregados e em busca de retomar aos trabalhos mesmo com uma remuneração mais baixa.

Com 14 milhões de desempregados no país, tendência é que o número piore no ano que vem

Já são 14 milhões de desempregados no Brasil e a tendência é que as pessoas trabalhem menos horas em trabalhos informais e recebam remunerações mais baixas do que elas gostariam.

Com mais pessoas nesses empregos que pagam menos, a renda média mensal também tende a cair mais. Também existem as perspectivas de inflação para 2022 que não são nada animadoras, o que deve prejudicar ainda mais o quadro econômico.

Para o IDados, o aumento da renda média mensal em 2020 foi apenas artificial, o que é explicado pelo maior número de ocupados em atividades que pagam uma remuneração menor, principalmente considerando os informais e aqueles que decidiram trabalhar por conta própria.

Renda média por cada categoria de ocupação

Mesmo as pessoas que seguem com uma renda que seja “consideravelmente boa”, todos os setores avaliados na pesquisa perderam dinheiro no comparativo de 2020 com o segundo trimestre deste ano.

A renda média mensal mais baixa do período analisado é a dos trabalhadores informais por conta própria, que caiu de R$ 1.500 para R$ 1.423. Entre os grupos que ainda seguem em uma situação mais “confortável”, empregadores que estão com uma renda mensal de R$ 6.000 na média e seguido do setor público com R$ 4.478.

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts