No início deste ano, o LinkedIn divulgou uma lista das 15 profissões em alta 2020 no Brasil. A relação foi amplamente replicada em portais de notícia, mas foram poucas as explicações do motivo dessas serem as posições em alta para os próximos 12 meses.

Lançando mão de algumas reportagens e acontecimentos dos últimos meses, neste texto vou tentar explicar o cenário brasileiro que influenciou a lista divulgada pela rede social profissional.

Smartphones são a extensão do nosso corpo

Que todos vivemos um boom da tecnologia já sabemos. Mas, por quê? Hoje, os dispositivos que estão ao nosso redor são praticamente essenciais para nossa vida. Eles estão nos fazendo economizar tempo, dinheiro e esforço físico.

A “tecnologia” está em simbiose com a gente. Ela depende dos nossos dados para evoluir e dependemos dela em nosso dia a dia. A última notícia que temos, que explica de forma extrema nossa co-dependência, foi o caso veiculado nesta semana, em que um publicitário foi ao hospital após ver um alerta em seu apple watch de que seus batimentos estavam em 170/min. Uma vida salva para as pessoas e, para a tecnologia, dados para pesquisas científicas e oportunidades de negócios.

Toda essa proximidade com os smartphones abre um leque enorme de possibilidades e serviços a serem oferecidos aos consumidores. Aqui, falo de consumidores não só de quem compra um produto, mas também quem adquire serviços e conteúdos.

O topo da lista

Além de estarmos com os dispositivos o tempo todo, somos o segundo país no ranking de uso de redes sociais no mundo. Ficamos mais de 3 horas por dia conectados, gerando o ambiente perfeito para a primeira da lista de ‘profissões em alta 2020’ do LinkedIn: Gestor de mídias sociais.

Ele, que vem acompanhado pela profissão número 12 da lista, o assistente de mídias sociais, acumula mais de 100% de crescimento de média anual. Ou seja, nos últimos 5 anos, a profissão mais que dobrou ano a ano.

O coach, os engenheiros e os vendedores

Presentes na lista, estes profissionais dependem uns dos outros para atingir o objetivo final das empresas: vender os produtos ou serviços digitais. Os serviços ganham destaque pelo crescimento nos últimos anos, estão tão em alta, que o governo está buscando uma alternativa para taxá-los. 

Em 2019, fomos os terceiros maiores criadores de unicórnios do mundo – que são startups avaliadas em mais de U$1 bi. Estas startups, fornecedoras dos serviços digitais, precisam de mão de obra para inovar constantemente. Ao mesmo tempo, forçam uma atualização de empresas mais tradicionais do mercado, fazendo com que todos necessitem dos perfis profissionais citados na relação do LinkedIn.

O ciclo do serviço

Coach

O Coach de metodologia Agile é o 15º colocado da lista de profissões em alta para este ano. Mas o que ele faz? O coach é um profissional que vai orientar e ensinar times a aplicar metodologias de gestão de projetos focadas em inovação. Por meio dessas metodologias, por exemplo, Facebook, Google, Amazon e outras grandes do mercado desenvolveram sua forma de trabalhar e inovar constantemente. 

Desenvolvedores e engenheiros

Mas, para se implementar a metodologia ágil nas empresas, são necessários profissionais para aplicá-la diariamente. Aí entram mais algumas profissões da lista: 

  • Engenheiros de dados, que vão criar a base de dados da empresa e seus usuários; 
  • Os cientistas de dados, que vão analisar as informações computadas e gerar insights para a área de estratégia das empresas; 
  • E os engenheiros de cibersegurança, que tornam seguras todas essas informações e são cada vez mais necessários, considerando a nova Lei Geral de Proteção de Dados. 

Depois, para que o produto seja vendido, as pessoas precisam ter acesso à informações na internet. Os desenvolvedores Java (8º da lista) criam ambientes digitais para que esses dados estejam disponíveis.

Além disso, o Desenvolvedor de plataforma Salesforce (13º), personaliza a ferramenta de CRM, que faz a gestão do relacionamento com o cliente, enviando notificações e e-mails promocionais, captando dados e entregando ao usuário o que ele precisa no momento certo.

Vendas

O representante de vendas listado pelo Linkedin como terceiro colocado,  por mais que pareça ser uma profissão super tradicional, está totalmente voltado para a internet. Segundo a pesquisa, os maiores demandantes pelo perfil são empresas de softwares de computadores, tecnologia da informação e serviços e internet. Eles estão sendo utilizados para montar as estratégias e times de vendas dessas novas tecnologias e soluções digitais.

Sucesso do cliente

Uma vez a venda efetuada, entra o Especialista em Sucesso do Cliente (4º da lista), garantindo que o pós venda seja satisfatório, auxiliando o cliente e garantindo que ele tenha uma boa experiência com a marca.

RH

E, para que essa roda enorme gire, as pessoas certas precisam ser encontradas e contratadas. Por isso, a profissão número 14 entra em ação, o recrutador especialista em Tecnologia da Informação.

Representei de forma simples o modelo organizacional de uma startup. Em amarelo, estão as áreas que cada uma das profissões em alta 2020 estão presentes.

profissões em alta 2020

O mercado financeiro brasileiro

Na lista de profissões em alta 2020 do LinkedIn, duas parecem estar mais deslocadas. Mas, também acabam entrando neste cenário de inovação.

O Brasil está crescendo em seus serviços financeiros. Hoje, temos 3 fintechs entre as mais inovadoras do mundo. O Nubank em 16º lugar, o Banco Inter, em 28º, e a Creditas, 41ª.

Temos bancos tradicionais passando por adaptações em seus serviços e se tornando mais digitais, com menos burocracias – vivemos em um cenário em que todo mundo quer oferecer um serviço financeiro.

Com este amadurecimento e crescimento do mercado, vão surgindo novas empresas e as já presentes vão se desenvolvendo cada vez mais, como podemos ver o exemplo da XP. Por isso, surge a necessidade de mais duas profissões em alta, o Day Trader e o Consultor de investimentos. 

Leia também

Os motoristas

Os motoristas estão em décimo lugar na lista de profissões em alta 2020. Este ponto me deixa com uma pulga atrás da orelha. Sabemos que a crise financeira forçou muitas pessoas a buscarem alternativas de emprego. Uber, 99 e Cabify foram os serviços de transporte utilizados para poderem fazer uma renda extra. 

Mas, a pesquisa do LinkedIn revela que a busca pelo serviço aumentou na rede social. Empresas do segmento de Internet, transportes terrestres e ferroviários e serviços ao cliente são as que mais procuraram pelos profissionais. 

Esta pode ser uma evidência de que transportadores, e-commerces, marketplaces e prestadoras de serviços B2C estão buscando pelos profissionais. Se você é motorista e não colocou em sua descrição no LinkedIn, você pode estar perdendo ótimas oportunidades. 

Sabemos que a tecnologia veio para ficar, mas ainda não sabemos todas suas consequências. Além da lista de profissões em alta 2020, acredito que poderemos ver outras alterações no mercado profissional.  O surgimento de profissões que nem imaginávamos que existiriam pode ser uma delas. Qual seu palpite?

Write A Comment