João Vitor

Escrito por

Author

Trabalha como consultor financeiro, é estudante de Engenharia Química pela Unesp e escreve sobre temas relacionados a economia, finanças e investimento.

Já abordamos aqui algumas formas de classificar e entender as características das ações da bolsa de valores. Dessa vez, vamos abordar uma forma que passa muitas vezes despercebida por muitos investidores, mas que apresentam conceitos importantes para entender o mercado e para tomar decisões corretas na hora de comprar ativos de renda variável.

Dentro do mercado talvez algumas pessoas tenham visto algumas siglas que representam o nome das ações. Saiba que o número de letras, assim como o número que acompanha não é à toa e tem explicação dentro da lógica que vamos apresentar.

Dentro do mercado temos as ações preferenciais, do tipo PN, as ações ordinárias, conhecidas pela sigla ON e as Units. Ainda dentro das ações do tipo PN, podemos ter variações em PNA e PNB. Mas afinal quais são as diferenças entre todas elas?

Sugestões de leitura

Diferenças entre ações preferenciais e ordinárias

As ações preferenciais (PN) tem um nome sugestivo quanto a preferência dentro do pagamento de dividendos de uma empresa para seus acionistas, ou seja, é um tipo de ação voltada principalmente para uma prioridade mais financeira e de interesse de um recebimento maior de dividendos, dentro da lógica de quem opta por esse tipo de ação.

Entretanto dentro das ações preferenciais não é possível votar a respeito das questões de decisão dentro da empresa, no que tange por exemplo na questão de saldo em uma possível venda da mesma ou até mesmo em mudanças relativas ao controle acionário.

Já nas ações ordinárias (ON) ocorre que o acionista desse tipo de ativo tem direito ao voto nas assembleias e com isso se tem um poder dentro da empresa, proporcional a quantidade de ações que se tem em mãos. Quem possui a maior parte das ações, faz parte do bloco controlador da empresa.

Porém, nesse tipo de ação não ocorre uma preferência no pagamento de dividendos aos acionistas como nas ações PN, porém isso não impede desses acionistas de receber proventos, caso a empresa for lucrativa e desejar atribuir valor aos seus investidores. Para ficar de uma forma um pouco mais resumida temos:

ações preferenciais e ações ordinárias

Aí você pode pensar que as ações PN são muito mais vantajosas do ponto de vista financeiro simplesmente pela questão dos dividendos, contudo, existem outras variáveis importantes a serem levadas em conta.

Em uma eventual mudança no controle acionário, ou seja, alguém ou uma outra companhia comprar aquela empresa, existe uma regra dentro da lógica das ações ON, na qual essa companhia que está adquirindo, terá que além de fazer uma oferta ao grupo controlador dessas ações, ainda terá que pagar pelo menos 80% desse valor pago aos controladores para os minoritários, ou seja, os investidores que participam das ações pela bolsa de valores de forma direta. 

Essas vantagens dentro das ações ON é denominado como Tag Along. Vejamos um exemplo no preço das ações da Petrobrás em 2017 e 2020 para ações preferenciais (azul) e ordinárias (laranja) da mesma empresa:

Comparando as preferenciais e ordinárias, num contexto em que mesmo os preços entre elas haviam se aproximado no começo de 2017, as ordinárias ainda eram maiores, e em alguns momentos acabaram tendo ainda mais valor em relação às preferenciais, com um gap ainda maior.

Isso resulta no fato de que, muitas vezes, a valorização das ações ON acaba sendo maior em muitos casos do que as PN em outras empresas, algumas chegam a ficar discrepante a diferença, e assim, temos essa questão a se analisar na parte financeira das duas ações, que podem estar ligadas tanto na questão de dividendos quanto na de valorização, além das questões burocráticas e administrativas a serem levadas em conta.

Sendo assim, escolher qual dessas ações adquirir, está diretamente relacionado a análise desses fatores descritos, aliados ao interesse e características do próprio investidor em estar adquirindo tal empresa, fazendo com que esses conceitos de ações PN e ON sejam muito relevantes nas decisões de compra, principalmente em companhias que apresentam ações dos dois tipos como opção.

Uma coisa importante a se ressaltar, é que embora as ações ON deem direitos a esses votos em decisões de controle acionista, elas acabam não tendo mesmo peso para todo mundo. 

Obviamente os votos de quem tem mais ações desse tipo, terão proporcionalmente mais relevância do que os que os que menos capital investido ali. Sendo assim, os pequenos investidores, que têm menor relevância, acabam tendo certas limitações durante essas decisões.

Quais as diferenças entre PNA e PNB?

Como essas ações de PN e ON podem ter diferenças que podem variar dentro de cada empresa, alguns investidores podem analisar de forma não muito compensatória essa questão da relação de dividendos e controle de gestão para adquirir as PNs.

Sendo assim, dentro dessa mesma classe, surgiram variações, classes como PNA e PNB, para que possam agrupar e atender ainda mais os interesses de certos acionistas. Com isso, o objetivo seria balancear a vantagem em relação a essas diferentes vertentes e conceitos que foram citados.

Dentro da lógica de pagamento de dividendos da PN, os acionistas de uma PNA geralmente teriam ainda mais preferência dentro do pagamento desses proventos em relação ao PNB, que por sua vez teria maior preferência em relação ao ON, como já dito. 

Sendo assim as variações A e B (assim como qualquer derivativo como PNC, PND, etc.), teriam como princípio dar direitos adicionais aos titulares dos papéis A em relação ao B, que por sua vez teria adicionais em relação ao C e assim sucessivamente. 

Além disso, essas classes trabalham com a restrição de quantidade de posse, tendo mais restrição conforme se está mais longe da classe PNA.

Entretanto, dentro dessas variações, a própria empresa é que atribui essas informações do que/quanto seria esses adicionais. Desta forma, é preciso pesquisar dentro do estatuto dessas empresas, que possivelmente podem ser encontradas na parte de relação com os investidores do site da mesma em muitos casos, para se informar a respeito do que os papéis dos tipos A e B dentro das PNs oferecem de diferente dentro desse contexto.

O que são ações Units?

Dentro dessas divisões, temos também as ações Units, que são ações que mesclam tanto as características das preferenciais, quanto das ordinárias, ou seja, são ações PN e ON de certa forma combinadas.

Essas ações seriam uma forma de se expor aos dois tipos de ações, e assim, ter um pacote completo das diferentes vantagens das duas. Vale ressaltar que essa mesclagem faz com que as vantagens de cada uma delas não tenham a mesma força de relevância individualmente do que elas separadas em PN e ON.

ações unit

E assim, se você estiver focado em uma das características particulares de cada uma delas dentro da sua decisão de comprar as ações, talvez não seja tão interessante assim essa opção. Mas se você busca uma diversificação dentro dessas possibilidades e ao mesmo tempo colocar menos dinheiro nas ações para conseguir isso desfrutar de todos os pontos e vantagens, seria uma opção interessante a se observar.

Como o tipo de ação PN, ON ou Unit, interfere no nome dos papéis dos ativos?

Os nomes dos papéis de diferentes ações são letras acompanhadas de números. As letras geralmente remetem ao nome da empresa que ela representa ou algo relacionado a ela, assim, fica mais fácil olhar essas letras e identificar a qual ela se refere.

Os códigos que representam as ações são 4 letras e um número que vai representar o tipo de ação. Vemos códigos como PETR4, VALE3, ITUB4, BBDC4, ABEV3, dentro outros.

Códigos com final 3 representam ações ordinárias (ON), as ações com final 4 são ações preferenciais (PN) e com final 11 são as Units. Ações com final 5, 6, 7 e afins, serão as ações PN com as classes derivativas como PNA, PNB, PNC, respectivamente e de forma sequencial.

Ainda é possível encontrar outros números ou letras que tem alguns outros significados dentro dos códigos dos papéis. 

Ações com final 1, por exemplo, seriam as que dão direito de subscrição de uma ação ordinária (ON), e assim, o acionista não sofreria variações de preço conforme passam-se os pregões, pois as datas de compra da ação teriam preço definido dentro de uma determinada data. Essa lógica também existe nas ações PN e estão presentes nesses ativos com número de final 2.

Dentro desse prazo entre quando o acionista comprou essas subscrições de ações e quando ela vai entrar em sua carteira (na data pré-estabelecida), ocorre uma mudança nessa numeração final do papel. 

Nesse contexto e apenas durante esse período descrito, as subscrições de ações ON, passa do final 1 para o 9 e as subscrições de ações PN passam do final 2 para 10.

Ainda ocorre que existem duas letras que podem aparecer no final de cada código de um papel, como F e T. 

Quando aparece a letra F, há a indicação de que ocorreu compra de ações forma fracionária, ou seja, o lote padrão de 100 ou 1000 ações que o ativo pode ter está sendo comprado em números fracionários em relação a esse padrão. 

Comprando 80 ações da VALE3, por exemplo, que tem lote padrão igual a 100, o código do papel aparecia VALE3F.

Quanto a letra T no final dos códigos, significa ações realizadas dentro do mercado a termo, que nada mais é do que valores da ação que foram acertados hoje, com valor definido, seja ele com algumas correções ou juros acordados entre as partes ou não, e que vão ser liquidados de forma efetiva em uma outra data, que também é pré-determinada entre as partes.

Por fim, se além das 4 letras, aparecer uma 5ª letra no código do papel da ação que esteja antes do número e seguido após essas 4 letras, essa letra vai significar uma operação daquela ação dentro do mercado de opções, e essa letra vai simbolizar se é de compra ou venda, e o mês de vencimento da opção. 

As ações de compra, por exemplo, a letra vai variar de A até L, com mês de vencimento de janeiro até dezembro de forma respectiva. E as opções de venda, essa 5ª letra vai variar de M até X, com mês de vencimento também de janeiro até dezembro, com sequência alfabética, ligado ao respectivo mês como descrito anteriormente.

Conclusão

Podemos ver que dentro da lógica do mercado e da bolsa de valores, é muito importante entender todos os tipos de ações aos quais podemos investir e entender a particularidade de cada uma delas.

Por fim, entender esses conceitos e associá-los aos mecanismos que estão incluídos dentro da lógica da formação dos códigos dos papéis de ativos, por exemplo, podem facilitar tanto na forma de entender quais seriam as decisões mais corretas a se tomar para cada perfil de investidor em relação a aquilo que ele está interessado, como também facilitar na visualização e identificação de qual empresas, tipos e características o ativo em questão tem, apenas tendo esses conhecimentos e visualizando a linguagem envolvida na bolsa de valores no home broker.

Write A Comment