Lucas Bassotto

Escrito por

Author

Economista, trader e especialista em conteúdo sobre economia, finanças e criptomoedas.

Esta é uma época do ano movimentada para Bollywood (cinema Indiano). O período escolar terminaram e os grandes sucessos de Hollywood ainda estão a alguns meses de distância, tornando-o o momento perfeito para lançar os grandes filmes na primavera da Índia.

Em vez disso, a pandemia de coronavírus interrompeu a indústria de filmes mais prolífica do mundo. Os cinemas fecharam as portas, as produtoras cancelaram as filmagens e os estúdios de cinema atrasaram os lançamentos – incluindo a estreia de pelo menos dois grandes filmes que deveriam sustentar a temporada.

O tão aguardado filme de ação “Sooryavanshi” e a cinebiografia de críquete “83”, a qual conta a história da vitória da Índia na Copa do Mundo de 1983, foram adiados por razões de “saúde e segurança”. Os produtores não disseram quando seriam liberados.

“Os filmes eram lançamentos enormes”, disse Shubhra Gupta, crítico de cinema do jornal Indian Express. “Havia muita expectativa do público. É uma grande perda.”

A pandemia provavelmente custou à indústria cinematográfica da Índia mais de US$ 330 milhões em receita perdida nas bilheterias e cancelou sessões de produção, de acordo com Komal Nahta, analista de comércio de filmes e apresentador de televisão da “ETC Bollywood Business”.

Leia também:

Um ‘efeito cascata’ nos filmes

Mais de 1.800 filmes foram produzidos na Índia em 2018, segundo o Statista, um site de pesquisa e dados. Isso foi mais do que a indústria cinematográfica de qualquer outro país naquele ano.

Enquanto os filmes de Bollywood em hindi dominam a indústria, há outros atores importantes, incluindo o hub regional Tollywood (idioma Telugu), além de filmes feitos em Marathi, Bhojpuri e Bengali.

Ao todo, estima-se que a receita de bilheteria na Índia tenha atingido US$ 1,4 bilhão em 2019, um aumento de quase 12% em relação ao ano anterior, de acordo com um relatório anual publicado pela empresa de consultoria Ormax Media. A maior parte disso veio de filmes indianos; Hollywood representou apenas 15% desse valor no solo indiano.

Os produtores de cinema da Índia também não querem apenas agradar seus fãs indianos. Alguns dos maiores nomes de Bollywood, incluindo Shah Rukh Khan, Akshay Kumar e Deepika Padukone, ajudam o setor a arrecadar receita do público em todo o mundo.

No ano passado, por exemplo, o thriller de ação “Guerra” arrecadou US$ 13,7 milhões no exterior, cerca de um quarto do total das bilheterias.

“Com a Índia, os problemas são múltiplos, porque todos os cinemas do mundo terão que abrir”, disse Nahta, analista de comércio. “As receitas no exterior de grandes filmes hindus formam um enorme componente da receita total”.

Mas a pandemia de coronavírus anulou completamente qualquer plano de lançamento de filmes em um futuro próximo. No final de março, o primeiro-ministro Narendra Modi anunciou um bloqueio sem precedentes de três semanas para 1,3 bilhão de pessoas na Índia, que exigia que tudo fosse fechado, exceto serviços essenciais, incluindo serviços de saúde e supermercados.

Mesmo antes do bloqueio entrar em vigor, as empresas cinematográficas da Índia já anunciaram que suspenderiam sessões de filmes, séries de TV e web. As filmagens permanecem em espera durante o bloqueio em todo o país.

“Vamos ver um efeito em cascata nos filmes”, disse Gupta, crítico de cinema. “Isso afetará toda a lista de filmes deste ano”.

Mesmo que os cinemas reabram, eles continuarão a perder dinheiro se não conseguirem acomodar multidões, de acordo com Nahta. Ele ressaltou que os cinemas chineses estão vendendo ingressos de cinema com regras de distanciamento social em vigor.

“Se você está vendendo ingressos com base no distanciamento social, está reduzindo sua capacidade, porque para cada assento que vende, você mantém um vago”, acrescentou. “Se sua capacidade for de 50%, ela não suportará os enormes orçamentos para filmes”.

Equipes de produção em isolamento

Com a produção de filmes em espera, muitos na indústria ficaram sem muito trabalho a fazer.

A maquiadora de Bollywood Arti Nayar – que trabalha há mais de uma década com estrelas como Sonam Kapoor-Ahuja, Katrina Kaif e Alia Bhatt – disse que projetos e eventos com os quais ela estaria envolvida nesta primavera foram adiados indefinidamente por causa do vírus .

A Associação de Produtores da Índia (GUILD) criou um fundo de ajuda para aqueles pagos por dia, como cabeleireiros, maquiadores e assistentes que trabalham em departamentos técnicos.

Siddharth Roy Kapur, presidente da GUILD, incentivou os membros da fraternidade cinematográfica a fazer contribuições em um esforço para “minimizar os impactos negativos na vida de nossos valiosos colegas e associados neste momento difícil”.

O GUILD também fez parceria com o Conselho Indiano de Produtores de Cinema e Televisão e a Federação de Empregados de Cinema da Índia Ocidental para prestar assistência às pessoas mais afetadas.

“A verdade é que não trabalharemos indefinidamente”, disse Nayar. “Você não pode praticar o distanciamento social, todo mundo trabalha tão de perto.”

Quando se trata de recuperar os orçamentos perdidos, Nahta previu que grandes nomes – tanto na frente quanto atrás da câmera – talvez precisem sofrer um corte nos salários. Ele observou que o salário das principais estrelas constituem a parte mais alta do orçamento e têm maior probabilidade de serem cortadas.

Enquanto isso, Gupta disse acreditar que a pandemia provocará mais conversas entre as produtoras sobre as datas de lançamento, para que dois grandes filmes não sejam lançados ao mesmo tempo, evitando que afetem os lucros um do outro. Ela acrescentou que acha que o setor provavelmente também sofrerá outras mudanças.

“Haverá mais racionalização, cooperação, empatia e consideração da saúde a longo prazo da indústria”, disse Gupta.

Traduzido da CNN Business

Write A Comment