Bitcoin

El Salvador prepara lançamento de stablecoin próprio

Como já sabemos, El Salvador foi o primeiro país no mundo a aceitar o Bitcoin (BTC) como uma moeda oficial e legal, agora lançará sua stablecoin. A medida considerada controversa por uns e acertada por outros, foi uma boa notícia para entusiastas do Bitcoin e outras criptomoedas. 

Nesse sentido, o governo local tem planejamentos de implementar uma stablecoin lastreada em dólar até o final de 2021. A princípio, a criptomoeda será chamada de “Colón-Dollar”.

A ideia é restaurar uma questão importante de sua política monetária, a capacidade de emissão de moeda nacional. O país não consegue realizar emissão de moeda nacional desde que passou a adotar o dólar americano, em 2001.

Segundo o noticiário local, após o presidente Bukele anunciar o Bitcoin como uma das moedas oficiais, diversas reuniões aconteceram. Ao que tudo indica, estas foram feitas entre o presidente e seus irmãos, que são grandes entusiastas de criptomoedas. Estes costumam a aconselhar o presidente a tomar decisões relacionadas aos criptoativos.

Veja também: Após o episódio de El Salvador, Twitter também deve aceitar Bitcoin

Detalhes da implementação da stablecoin

Nesse sentido, o portal El Faro, divulgou uma série de vídeos privados onde os irmãos e o presidente. Nestes vídeos, eles discutem sobre a implementação da stablecoin. O material divulgado possui um conteúdo de mais de duas horas de duração. Não falam só sobre criptomoedas, como também o estabelecimento de um novo sistema financeiro.

Segundo um dos irmãos, Ibrajim, seria necessário um fundo de reserva de pelo menos US$ 500 milhões. Este valor seria usado para incentivar o uso da stablecoin. No conteúdo divulgado, també é mencionada a criação de uma superintendência financeira para lidar com o novo sistema financeiro. Este seria chamado de o Comitê Blockchain de El Salvador.

Além disso, Ibrajim afirmou que “o que queremos fazer primeiro é construir nossa carteira do governo e uma moe estável”. Para ele, “a única maneira de obter a moeda do governo é comprá-la”. Por fim, afirmou que “o que queremos fazer com a moeda estável do governo é que ela não possa ser minerada”.

Por fim, em relação à proposta de implementação, até agosto já estaria disponível uma análise estratégia e legal para ajustar as leis de El Salvador para a tecnologia Blockchain.

Por outro lado, a proposta de desenvolvimento do “Cólon-Dollar” deverá ser entregue no dia 7 de setembro. Esta viria junto com as carteiras digitais e o mecanismo de pagamento. Já no dia 14 de setembro, seria entregue a prova de conceito para métodos de pagamento digital e cripto-cólon.

Veja também: Com a adoção do Bitcoin em El Salvador, toda rede poderá ser afetada?

Aumento de pressão na rede

Segundo especialistas do JPMorgan, a adoção do Bitcoin por El Salvador, pode prejudicar a própria criptomoeda e o país. Para eles, o Bitcoin é altamente líquido, onde maioria dos volumes negociados são internalizados pelas principais bolsas. Nesse sentido, mais de 90% dos Bitcoins não mudam de mãos em um período maior que um ano.

Contudo, ao utilizar a criptomoeda como oficial, El Salvador acaba criando um potencial de limitação na capacidade do Bitcoin de servir como meio de troca. Por isso a importância do lançamento de sua stablecoin

Segundo eles, a atividade de pagamento diária em El Salvador representaria 4% do volume de transações recentes na rede. Além disso, o volume seria 1% do valor total dos tokens que forem transferidos entre carteiras no último ano.

Veja também: El Salvador se prepara para mineração de Bitcoin através de vulcões

Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts