Marlon Corrente

Escrito por

Author

Serial Entrepreneur, Investor, and Business Intelligence Specialist. I work generating data and I’m just trying to understand what it means in the real world.

O Investificar se notabilizou por ter conteúdos sobre investimentos, finanças e economia. No entanto, diante da gravidade dos acontecimentos, gostaríamos de pedir licença para falar sobre um assunto muito importante, que é a curva de infectados do Coronavírus. Tomem cuidado, fiquem em casa e lavem as mãos.

Texto de Marlon Corrente:

Se tivesse sido mais efetivo em relação ao distanciamento social nos primeiros dias provavelmente o Brasil possivelmente não teria 1000 casos no país num cenário totalmente gerenciável. Se seguir o padrão de propagação da Itália o país pode ter mais de 25.000 casos nos próximos 30 dias. O caminho que o Brasil vai seguir depende da sua responsabilidade individual hoje, não amanhã, hoje.

É complexo projetar o futuro, sobre o ponto de vista de mercado e também sobre a ótica de saúde pública. O que muita gente tem feito hoje é usar os padrões de predictive analysis pra tentar entender os cenários que o Brasil pode ter pela frente com base no que aconteceu em outros países.

Lembrando, são projeções apenas, ideias de que futuro pode se basear em qualquer coisa do passado. Essas projeções usam os dados de propagação por individuo e os padrões de crescimento na Europa e Estados Unidos para tentar traçar uma linha para o Brasil.

Todos os dados apresentados abaixo consideram relatórios oficiais apresentados até o dia 17 de Março de 2020.

evolução
Curva de evolução do Coronavírus por país. Fonte: Bemax

Essas são as evoluções por país, no momento que escrevo esse artigo os números de infectados são:

Italia: 31.506 infectados

Estados Unidos: 7.568 infectados

Espanha: 13.910 infectados

França: 7.730 infectados

Reino Unido: 1.950 infectados

Brazil: 349 infectados

Os exemplos de Europa, Reino Unido e Estados Unidos demonstram que as ações de contenção se tornam mais complexas quando os países atingem os primeiros 100 casos.

O Brasil reportou ter atingido os 100 primeiros casos a cerca de 5 dias atrás, no dia 13 de Março de 2020. Abaixo o gráfico mostra os padrões nos países da Europa, Reino Unido e Estados Unidos nos primeiros 5 dias após os 100 primeiros casos serem reportados.

coronavirus
Os primeiros 5 dias depois de 100 casos. Fonte: Bemax

A progressão hoje do Brasil é maior que a França nos seus 5 primeiros dias e muito parecido com a Espanha.

coronavírus
Curva do Brasil caso siga o pior cenário ou padrões de outros países. Fonte: Bemax

Baseado nos padrões de crescimento dos casos na Europa, Reino Unido e Estados Unidos é possível ver alguns cenários possíveis para o Brasil nas próximas duas semanas.

No melhor cenário, o país controla as transmissões comunitárias, estabiliza as transmissões familiares e apenas dá conta de tratar os casos antigos. Esse cenário é hoje infelizmente muito improvável pois dependeria hipoteticamente de decisões agressivas de distanciamento social terem sido tomada 2 semanas atrás.

Seguindo padrões de crescimento conhecidos na Europa, o Brasil deve ter nas próximas duas semanas algo entre 4.500 e 5.000 casos. Casos os próximos dias demonstrem que o padrão de transmissão no Brasil se descontrolou nas últimas semanas, é possível que o país ultrapasse 10.000 casos já nos próximos 14 dias.

coronavírus
Padrões de crescimento do Coronavírus. Fonte: Bemax

O gráfico acima mostra projeções totais para o Brasil em 30 dias seguindo padrões de crescimento dos casos de Europa, Estados Unidos e Itália (tirando a média dos outros países europeus).

O grande desafio do Brasil hoje é não repetir a demora da Itália, se a média de crescimento se repetir provavelmente teremos mais de 25.000 casos no país em 1 mês

Existem uma série de razões pra Itália ter sido especialmente afetada, que um artigo apenas pra isso seria necessário. O importante é entender duas coisas.

1: Os modelos apresentados por cima não são regras, são projeções, que mostram a importância que cada elo da corrente tem de se cuidar e não se tornar um agente de transmissão.

2: A situação escala rápido e sempre existe um atraso entre a realidade e o que é reportado pra você, por questões de processamento de dados dos testes e por motivos óbvios da relação transmissão e sintomas.

Por isso, se cuidem e sejam críticos quanto às pessoas que ainda relevam a urgência e a necessidade de se proteger hoje, não amanhã.

Write A Comment